A cidade de Lisboa vai começar a fazer uso de grupos de voluntários para tentar manter o espaço público mais limpo, ajudando a câmara numa tarefa que lhe tem merecido reiteradas críticas. A ideia foi lançada por um munícipe, no início de Maio do ano passado, durante uma reunião descentralizada do executivo municipal ocorrida no Lumiar. E é precisamente naquela freguesia que, nesta quarta-feira (18 de Março), é apresentado o projecto “Lisboa é Linda”, com a presença dos vereadores da Higiene Urbana, Duarte Cordeiro, e dos Direitos Sociais, João Afonso, além do presidente da junta, Pedro Delgado Alves.

 

“Este programa insere-se no âmbito da Capital Europeia do Voluntariado – Lisboa 2015, e tem como objetivo o envolvimento dos cidadãos lisboetas na sensibilização e monitorização do espaço envolvente à sua residência e freguesia”, anuncia em comunicado a Câmara Municipal de Lisboa, dando conta que o mesmo “será concretizado em articulação com as juntas de freguesia”. A limpeza do espaço público foi uma das competências que as juntas receberam da câmara, na sequência do processo de descentralização e reforma administrativa da cidade, lançado há pouco mais de um ano.

 

A semente do projecto foi a intervenção de um munícipe, António Sequeira, um militar aposentado, durante uma reunião descentralizada do executivo camarário. Na altura, lamentou o estado de sujidade permanente de muitos arruamentos do Lumiar e da cidade, atribuindo tal situação à incapacidade dos varredores para fazerem face à falta de civismo de muitas pessoas – e salientou o uso desleixado dos ecopontos e papeleiras. Face a isto, propôs a criação de “brigadas populares” para ajudarem as juntas de freguesia e a câmara a sinalizar as situações mais evidentes. Uma ideia que foi prontamente acolhida pelo vereador Duarte Cordeiro, que logo ali se disponibilizou a reunir com o munícipe para estudar a implementação da mesma.

 

Texto: Samuel Alemão

 

O Corvo nasce da constatação de que cada vez se produz menos noticiário local. A crise da imprensa tem a ver com esse afastamento dos media relativamente às questões da cidadania quotidiana.

O Corvo pratica jornalismo independente e desvinculado de interesses particulares, sejam eles políticos, religiosos, comerciais ou de qualquer outro género.

Em paralelo, se as tecnologias cada vez mais o permitem, cada vez menos os cidadãos são chamados a pronunciar-se e a intervir na resolução dos problemas que enfrentam.

Gostaríamos de contar com a participação, o apoio e a crítica dos lisboetas que não se sentem indiferentes ao destino da sua cidade.

Samuel Alemão
s.alemao@ocorvo.pt
Director editorial e redacção

Daniel Toledo Monsonís
d.toledo@ocorvo.pt
Director executivo

Sofia Cristino
Redacção

Mário Cameira
Infografias & Fotografia

Paula Ferreira
Fotografía

Catarina Lente
Dep. gráfico & website

Lucas Muller
Redes e análises

ERC: 126586
(Entidade Reguladora Para a Comunicação Social)

O Corvinho do Sítio de Lisboa, Lda
NIF: 514555475
Rua do Loreto, 13, 1º Dto. Lisboa
infocorvo@gmail.com

Fala conosco!

Faça aqui a sua pesquisa