A cidade de Lisboa vai começar a fazer uso de grupos de voluntários para tentar manter o espaço público mais limpo, ajudando a câmara numa tarefa que lhe tem merecido reiteradas críticas. A ideia foi lançada por um munícipe, no início de Maio do ano passado, durante uma reunião descentralizada do executivo municipal ocorrida no Lumiar. E é precisamente naquela freguesia que, nesta quarta-feira (18 de Março), é apresentado o projecto “Lisboa é Linda”, com a presença dos vereadores da Higiene Urbana, Duarte Cordeiro, e dos Direitos Sociais, João Afonso, além do presidente da junta, Pedro Delgado Alves.

 

“Este programa insere-se no âmbito da Capital Europeia do Voluntariado – Lisboa 2015, e tem como objetivo o envolvimento dos cidadãos lisboetas na sensibilização e monitorização do espaço envolvente à sua residência e freguesia”, anuncia em comunicado a Câmara Municipal de Lisboa, dando conta que o mesmo “será concretizado em articulação com as juntas de freguesia”. A limpeza do espaço público foi uma das competências que as juntas receberam da câmara, na sequência do processo de descentralização e reforma administrativa da cidade, lançado há pouco mais de um ano.

 

A semente do projecto foi a intervenção de um munícipe, António Sequeira, um militar aposentado, durante uma reunião descentralizada do executivo camarário. Na altura, lamentou o estado de sujidade permanente de muitos arruamentos do Lumiar e da cidade, atribuindo tal situação à incapacidade dos varredores para fazerem face à falta de civismo de muitas pessoas – e salientou o uso desleixado dos ecopontos e papeleiras. Face a isto, propôs a criação de “brigadas populares” para ajudarem as juntas de freguesia e a câmara a sinalizar as situações mais evidentes. Uma ideia que foi prontamente acolhida pelo vereador Duarte Cordeiro, que logo ali se disponibilizou a reunir com o munícipe para estudar a implementação da mesma.

 

Texto: Samuel Alemão

 

  • Paulo Magalhães
    Responder

    Uma grande e louvável ideia, para passar a enorme falta a CML em contrapartida baixar as taxas de saneamento aos munícipes em vez de os aumentar em 152% como o fez há bem pouco tempo.

  • Jun Itabashi
    Responder

    As cadeias devem estar cheias de malta aborrecida a passar o tempo sem fazer patavina ou a planear o próximo golpe. Ponham-os (as ) a limpar as ruas seria bom para os/as fazer tomar ar e aprender a respeitar o Próximo .

    • Ricardo Serrao
      Responder

      No meio das cidades? Para fugirem logo de seguida?
      Iss faz sentido é fora dos aglomerados populacionais, ou quando a zona esta deserta,

    • Jun Itabashi
      Responder

      Não sei. Criminais a servir penas leves que se reduziriam por cada dia de ” voluntariado” . Está claro, se os guardas são preguiçosos e passavam o fia a tirar macacos dos narizes está claro que poderia alguns que fugissem. Não estou a falar de gente com penas pesadas , assassinos etc… Mas está claro é só uma idea. Voluntários não duraram muito…

  • Ricardo Serrao
    Responder

    É interessante que ver que a incompetencia da actual camara, pois a limpeza e recolha do lixo nao era um problema tao grave no passado, agora ate justifica voluntariado… E ninguem se lembra de questionar a incompetencia??

    Uma dica para o erro… “A limpeza do espaço público foi uma das competências que as juntas receberam da câmara, na sequência do processo de descentralização e reforma administrativa da cidade, lançado há pouco mais de um ano.”

    Faz algum sentido dividir esse trabalho em 23 juntas, quando podia e devia estar tudo centralizado e coordenado na Camara da cidade??
    Apenas foi uma tentativa de desresponsabilizacao…. Mas continuam a ser responsaveis pela incompetencia das suas medidas governativas.

  • Juan Pratini
    Responder

    voluntários????? escravos, se o costa nao tivesse isentado o benfica em 5 milhoes se calhar havia dinheiro para ter lisboa limpa com pessoal a receber um ordenado de jeito corja nojenta , para onde vai o dinheiro dos nosso impostos?? para os bolsos deles???

  • Rita Guimarães
    Responder

    É uma proposta vergonhosa!! Vamos todos brincar ao voluntariado! Que tristeza!!

  • Carlos Carvalho
    Responder

    Então o Bosta não tem um serviço de limpesa de ruas?
    Os municipes não pagam uma taxa para isso?
    Aqui no Alentejo está sempre tudo limpinho, e não precisamos de voluntariados

    • Juan Pratini
      Responder

      é bem verdade, sempre que se vai a alentejo está tudo tão limpinho

  • Paula Marques
    Responder

    Voluntariado???!?!?!? Mas a CML está a gozar connosco?? Tenho a minha factura da água aumentada em 50% por causa das taxas fixas e variáveis e de recursos hídricos e mais não sei o quê e agora pedem mão-de-obra grátis a pretexto do “voluntariado”!?!?!?

  • Isabel Figueira
    Responder

    Como funcionária do Município de Lisboa, não gosto da notícia….

  • Marco Comivoci
    Responder

    Nós limpamos, o turista usufrui. 🙂
    Já agora, se alguém quiser ser voluntário, venha aqui tapar os buracos da estrada a Benfica.
    Assim a malta escusa de escavacar os carros.
    Qualquer dia cada um cuida da sua porta, mas pagamos impostos municipais na mesma, obviamente.

  • José António Estorninho
    Responder

    Sou contra, se pagamos taxas para a higiene e limpeza da cidade, é ao município que compete esse trabalho.Mas também gostava que alguns dos residentes e utentes da nossa cidade fossem um bocadinho mais asseados, é que muita da porcaria que a gente vê por essas ruas é da sua responsabilidade.

  • Pedro Lima
    Responder
  • Mar Mosso
    Responder

    MAS ONDE CHEGA O DESCARAMENTO !!! A CAMARA MUNICIPAL NÃO TEM DINHEIRO ??? O QUE FAZ À TAXA QUE APLICA NA FACTURA DA ÁGUA ??? VERGONHA !!!

  • Vitor Sabino
    Responder

    A CML não tem ponta por onde se pegue mas ainda assim o melhor voluntariado seria o civismo das pessoas em deixar as ruas limpas, cambada de porcos, gostava de ver certa gentalha em certos países tipo Suiça por ex.

  • Helena Valente
    Responder

    E que tal mais civismo? E que tal mais funcionarios? Voluntários????? Na…..

  • Catarina Morais
    Responder

    Contratem mais trabalhadores!

  • José
    Responder

    E o que fazem os funcionários de limpeza da camara?.
    Conhece um cantoneiro da camara de LIsboa, que está num dos lugares para pessoas com restrições(não tem nada), e vai fazer sabados , a dormir.
    A camara tem que ter mais ficais, para vigiar o seu pessoal, que muita gente não limpa, passa o tempo.

  • Ana Glória Lucas
    Responder

    Se cada cidadão fosse voluntário a não deitar lixo para os espaços públicos e se a Câmara cumprisse a sua obrigação, já não era preciso chegar a este absurdo!

  • Dulce Maria
    Responder

    Se cada cidadão tivesse de pagar uma multa e se houvesse quem a cobrasse , Lisboa era mais limpa

  • Pedro Galvão
    Responder

    Não posso deixar de salientar que esta ideia é um erro crasso. Quando até à um ano tudo funcionava bem…
    Existe um portal camarário que devia ser divulgado por todos os munícipes e sim isso deveria ser um dever e uma obrigação de se sinalizar o que se passa na cidade. Mas as equipas das Juntas têm que dar resposta aquilo que lá e colocado.
    Quando já existe esta solução de sinalização e não se dá resposta a milhares de ocorrências de nada serve esta noticia.

Deixe um comentário.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

O Corvo nasce da constatação de que cada vez se produz menos noticiário local. A crise da imprensa tem a ver com esse afastamento dos media relativamente às questões da cidadania quotidiana.

O Corvo pratica jornalismo independente e desvinculado de interesses particulares, sejam eles políticos, religiosos, comerciais ou de qualquer outro género.

Em paralelo, se as tecnologias cada vez mais o permitem, cada vez menos os cidadãos são chamados a pronunciar-se e a intervir na resolução dos problemas que enfrentam.

Gostaríamos de contar com a participação, o apoio e a crítica dos lisboetas que não se sentem indiferentes ao destino da sua cidade.

Samuel Alemão
s.alemao@ocorvo.pt
Director editorial e redacção

Daniel Toledo Monsonís
d.toledo@ocorvo.pt
Director executivo

Sofia Cristino
Redacção

Mário Cameira
Infografías 

Paula Ferreira
Fotografía

Margarita Cardoso de Meneses
Dep. comercial e produção

Catarina Lente
Dep. gráfico & website

Lucas Muller
Redes e análises

ERC: 126586
(Entidade Reguladora Para a Comunicação Social)

O Corvinho do Sítio de Lisboa, Lda
NIF: 514555475
Rua do Loreto, 13, 1º Dto. Lisboa
infocorvo@gmail.com

Fala conosco!

Faça aqui a sua pesquisa

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com