VIDA NA CIDADE

Sede do Unidos da Glória, comprada por imobiliária “fantasma”, pode fechar e deixar idosos sem local de convívio

Sede do Unidos da Glória, comprada por imobiliária “fantasma”, pode fechar e deixar idosos sem local de convívio

O Clube Futebol Unidos da Glória poderá ter de abandonar, nos próximos meses, a sede onde está há mais de 40 anos. O imóvel foi vendido a uma imobiliária, com actividades ligadas ao alojamento local, e os inquilinos foram informados, por carta, de que apenas passariam a fazer o pagamento para outra conta bancária. Se soubessem que o prédio ia ser adquirido, garantem, teriam exercido o direito de preferência. O presidente da Junta de Freguesia de Santo António lamenta a situação, mas diz que não pode fazer nada para ajudar ...
/

Vida na Cidade

VIDA NA CIDADE

Sede do Unidos da Glória, comprada por imobiliária “fantasma”, pode fechar e deixar idosos sem local de convívio

Sede do Unidos da Glória, comprada por imobiliária “fantasma”, pode fechar e deixar idosos sem local de convívio

O Clube Futebol Unidos da Glória poderá ter de abandonar, nos próximos meses, a sede onde está há mais de 40 anos. O imóvel foi vendido a uma imobiliária, com actividades ligadas ao alojamento local, e os inquilinos foram informados, por carta, de que apenas passariam a fazer o pagamento para outra conta bancária. Se soubessem que o prédio ia ser adquirido, garantem, teriam exercido o direito de preferência. O presidente da Junta de Freguesia de Santo António lamenta a situação, mas diz que não pode fazer nada para ajudar.
/
Moradores do Beato surpreendidos e indignados com fecho do balcão dos CTT em Xabregas na véspera de Natal

Moradores do Beato surpreendidos e indignados com fecho do balcão dos CTT em Xabregas na véspera de Natal

Em Xabregas, ninguém estava à espera de não conseguir levantar encomendas e correspondência, esta semana. O posto de correios da zona fechou, esta segunda-feira (24 de Dezembro), sem qualquer aviso antecipado. Quem se desloca ao balcão dos CTT depara-se apenas com um folheto, colado na porta, com a indicação das lojas onde se deve deslocar agora. Algumas são, porém, demasiado longe, para pessoas com dificuldades de locomoção e financeiras. O presidente da Junta de Freguesia do Beato também se diz surpreendido pelo encerramento. E ainda busca alternativas para a população.
/
Junta de Freguesia do Areeiro paga aulas de astrologia a idosos e reformados, mas oposição contesta

Junta de Freguesia do Areeiro paga aulas de astrologia a idosos e reformados, mas oposição contesta

Vinte e seis alunos da universidade sénior daquela zona da capital têm aulas de astrologia. A junta de freguesia justifica tal gasto de dinheiros públicos com o facto de serem os próprios alunos a solicitar que a disciplina continue a ser leccionada. A oposição na assembleia de freguesia acha, porém, altamente reprovável o executivo patrocinar este tipo de matérias, “sem validade científica”.
/
Sobram contradições sobre suposto despejo pelo PCP de uma associação de reformados e idosos da Ajuda

Sobram contradições sobre suposto despejo pelo PCP de uma associação de reformados e idosos da Ajuda

No início de Outubro, a Comissão Unitária de Reformados e Idosos da Ajuda (CURIFA), a funcionar no rés-do-chão de um prédio da Rua das Mercês, ficou a saber que o seu novo senhorio era o vizinho do andar cima: o PCP. Mas também que teria de abandonar o imóvel, pois o partido vai fazer obras e não os quererá de volta. A novidade deixou muitos dos associados em choque e terá criado divisões na direcção. O presidente e o tesoureiro, porém, garantem falar a uma só voz e elogiam os comunistas.
/
Na Picheleira trabalha-se com medo e há espaços municipais que albergam 'salas de chuto' ilegais e carros furtados

Na Picheleira trabalha-se com medo e há espaços municipais que albergam ‘salas de chuto’ ilegais e carros furtados

Sete artistas a trabalharem em imóveis municipais, na freguesia do Beato, queixam-se de tentativas de assalto frequentes e de conviverem paredes-meias com espaços ocupados abusivamente. Nestes consomem-se drogas e até há quem lá guarde carros furtados. Em 2005, os artistas assinaram protocolos para de ocupação de espaços não-habitacionais da Câmara de Lisboa para ali montarem os seus ateliês. Investiram dezenas de milhares de euros na reabilitação dos novos locais de trabalho.
/
Dar o nome de José Saramago a praça renovada no Campo das Cebolas divide opiniões dos comerciantes da zona

Dar o nome de José Saramago a praça renovada no Campo das Cebolas divide opiniões dos comerciantes da zona

A atribuição do nome Largo José Saramago à área em frente à Casa dos Bicos, requalificada recentemente, não agrada a todos. O sítio é conhecido por Campo das Cebolas e há quem receie que a designação original seja esquecida. Mas também há também quem elogie a decisão da autarquia e considere que esta é uma forma de chamar mais turistas, atraídos pelo Nobel da Literatura. “O que tem dado mais nome à zona, e ajudado até nos nossos negócios, é o José Saramago”, diz um comerciante.
/
Sem-abrigo de Lisboa vão ter mais 125 casas para saírem das ruas e 75 delas serão em habitação municipal

Sem-abrigo de Lisboa vão ter mais 125 casas para saírem das ruas e 75 delas serão em habitação municipal

Há menos 350 pessoas a dormirem nas ruas de Lisboa, comparativamente a 2015. O programa Housing First, responsável por retirar sem-abrigo desta condição, atribuindo-lhes uma habitação, já disponibilizou 80 casas e espera atribuir mais 125: meia centena em arrendamento livre, em 2019, e 75 de habitação municipal, num prazo a definir. Uma garantia dada pelo vereador dos Direitos Sociais, Manuel Grilo (BE), durante uma acção de vacinação para sem-abrigo da capital.
/
Mercearias de Lisboa adaptam-se a clientes estrangeiros e tentam manter antigos, com menos poder de compra

Mercearias de Lisboa adaptam-se a clientes estrangeiros e tentam manter antigos, com menos poder de compra

As mercearias tradicionais dos bairros da capital continuam a ser muito procuradas pela qualidade e diversidade dos produtos. Sobretudo na altura do Natal, quando as grandes superfícies comerciais estão repletas de gente. Com as transformações da cidade, e o aumento de estrangeiros a viverem nas freguesias mais caras de Lisboa, as lojas de conveniência também estão a adaptar-se a um cliente com um poder de compra mais elevado. Os novos compradores são mais exigentes, garantem os lojistas.
/
Loading...

O Corvo nasce da constatação de que cada vez se produz menos noticiário local. A crise da imprensa tem a ver com esse afastamento dos media relativamente às questões da cidadania quotidiana.

O Corvo pratica jornalismo independente e desvinculado de interesses particulares, sejam eles políticos, religiosos, comerciais ou de qualquer outro género.

Em paralelo, se as tecnologias cada vez mais o permitem, cada vez menos os cidadãos são chamados a pronunciar-se e a intervir na resolução dos problemas que enfrentam.

Gostaríamos de contar com a participação, o apoio e a crítica dos lisboetas que não se sentem indiferentes ao destino da sua cidade.

Samuel Alemão
s.alemao@ocorvo.pt
Director editorial e redacção

Daniel Toledo Monsonís
d.toledo@ocorvo.pt
Director executivo

Sofia Cristino
Redacção

Mário Cameira
Infografias & Fotografia

Paula Ferreira
Fotografía

Catarina Lente
Dep. gráfico & website

Lucas Muller
Redes e análises

ERC: 126586
(Entidade Reguladora Para a Comunicação Social)

O Corvinho do Sítio de Lisboa, Lda
NIF: 514555475
Rua do Loreto, 13, 1º Dto. Lisboa
infocorvo@gmail.com

Fala conosco!

Faça aqui a sua pesquisa

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com