O muito frio que já se faz sentir, e se prevê que se acentue nos últimos dias de 2014 e primeiros de 2015, obrigou ao tomar de medidas excepcionais para proteger os que fazem das ruas a sua casa. A Câmara Municipal de Lisboa anunciou, na tarde desta segunda-feira (29 de Dezembro), a entrada em vigor do Plano de Contingência para as Pessoas Sem-Abrigo perante Tempo Frio. O plano, que já funcionou em anos anteriores, prevê a existência de cinco pontos de concentração dos sem-abrigo, a partir dos quais serão encaminhados para o Pavilhão Desportivo do Casal Vistoso, junto ao Areeiro.

 

No pavilhão do Casal Vistoso funcionará o Dispositivo Integrado de Apoio aos Sem-Abrigo (DIASA), onde serão servidas refeições quentes, alimentos e agasalhos. Os pontos de concentração das pessoas a assistir são: estação de metro Restauradores (porta da estação de metro frente à antiga Loja do Cidadão), estação de metro Intendente (porta da estação de metro da Rua Andrade), estação de metro Saldanha (porta da estação de metro junto ao Edifício Monumental), fachada principal da estação da CP de Stª Apolónia (átrio principal) e Gare do Oriente (entrada frente ao C.C. Vasco da Gama).

 

Para além das habituais recomendações em vagas de frio, o Serviço Municipal de Protecção Civil de Lisboa, pede à população que “dê especial atenção aos grupos da população de maior risco”: crianças nos primeiros anos de vida e idosos; doentes crónicos (em especial cardíacos, vasculares, respiratórios, reumáticos, diabéticos e da tiróide) ou acamados; indivíduos com perturbações de memória, problemas de saúde mental, alcoolismo ou demência; indivíduos que tomem medicamentos como psicotrópicos ou anti-inflamatórios; indivíduos com mobilidade ou dificuldades na realização das actividades da vida diária; indivíduos isolados ou em situação de exclusão social.

 

Texto: Samuel Alemão

Deixe um comentário.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

O Corvo nasce da constatação de que cada vez se produz menos noticiário local. A crise da imprensa tem a ver com esse afastamento dos media relativamente às questões da cidadania quotidiana.

O Corvo pratica jornalismo independente e desvinculado de interesses particulares, sejam eles políticos, religiosos, comerciais ou de qualquer outro género.

Em paralelo, se as tecnologias cada vez mais o permitem, cada vez menos os cidadãos são chamados a pronunciar-se e a intervir na resolução dos problemas que enfrentam.

Gostaríamos de contar com a participação, o apoio e a crítica dos lisboetas que não se sentem indiferentes ao destino da sua cidade.

Samuel Alemão
s.alemao@ocorvo.pt
Director editorial e redacção

Daniel Toledo Monsonís
d.toledo@ocorvo.pt
Director executivo

Sofia Cristino
Redacção

Mário Cameira
Infografías 

Paula Ferreira
Fotografía

Margarita Cardoso de Meneses
Dep. comercial e produção

Catarina Lente
Dep. gráfico & website

Lucas Muller
Redes e análises

ERC: 126586
(Entidade Reguladora Para a Comunicação Social)

O Corvinho do Sítio de Lisboa, Lda
NIF: 514555475
Rua do Loreto, 13, 1º Dto. Lisboa
infocorvo@gmail.com

Fala conosco!

Faça aqui a sua pesquisa

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com