A casa de cafés Delícia do Ultramar era uma das três lojas tradicionais que ainda restavam na Rua dos Remédios, em Alfama. No final deste mês, vai mudar-se do número 66, para dar lugar a mais um espaço de restauração. Um exemplo apenas num bairro em rápida transformação, tomado pela crescente ambição de se capitalizar as aparentemente incessantes receitas turísticas.

 

Texto: Rui Lagartinho    Fotografias: Luísa Ferreira

 

É a artéria mais movimentada de Alfama e, nos últimos tempos, a que mais identidade tem perdido. A Rua dos Remédios é o espelho das modificações que o turismo massificado tem imposto aos bairros típicos de Lisboa. Todo o comércio tradicional tem dado lugar a novos bares, tascas modernas, artesanato massificado com símbolos de Lisboa: um corvo, uma gaivota, um galo de Barcelos que por osmose também virou alfacinha, uma reprodução de um eléctrico num saco de pano, um azulejo impresso, um Santo António de plástico cor de laranja.

A história da Delícia do Ultramar é paradigmática: a casa com uma montra ampla do comprimento da loja inteira, recheada de lotes de café diversificado, está aqui desde 1950. Nos últimos doze, na família de Rita Pinheiro, que assegura em conjunto com a mãe o funcionamento do negócio. Já este ano, o prédio foi vendido para dar lugar a alojamento turístico.

 

LISBOA

 

 

A Delícia no rés-do chão vai passar a ser um bar. O caso não é dos mais dramáticos porque as arrendatárias da loja arranjaram um espaço alternativo, uns metros acima, e continuam com energia para lutar pelo negócio. Para já, o principal problema vai ser a mudança do robusto moinho de café, que no centro da loja lembra um marco de correio em versão mais bojuda.

 

“Vamos continuar e tudo se vai arranjar, mas a minha mãe está desconsolada com a perda da larga montra, em que toda a gente reparava”, diz-nos Rita Pinheiro. A montra contava, de facto, com os seus lotes a geografia do planeta café, e ainda nela cabiam as máquinas tradicionais, do balão às cafeteiras italianas.

 

LISBOA

 

Cá dentro, bastava olhar para o tabuleiro da marmelada que aqui ainda se vende avulso, para as cinco qualidades de rebuçados peitorais ou para as côncavas bolachas araruta, para se perceber que aqui ainda se serve tradição. No dia em que o Corvo visitou a Delícia do Ultramar, uma cliente comprava bicarbonato de sódio. Pela familiaridade do trato, não temos dúvida que o hábito de aqui comprar vai passar para a nova morada da Delícia.

 

A dois passos do terminal de cruzeiros de Lisboa, a Rua dos Remédios é a primeira, e muitas vezes a única, montra lisboeta de centenas de turistas que se apressam, em poucas horas, a despachar os souvenirs da escala em Lisboa.

 

LISBOA

 

À noite, a rua é invadida pelos ávidos de fado. O que faz com que os decibéis de uma casa atropelem os decibéis do vizinho, em busca da canção mais típica, e, juntos, infernizem toda a vizinhança com o barulho dos restaurantes e o movimento da rua. Do comércio tradicional da rua, após a mudança da Delícia do Ultramar, restam uma sapataria e um alfaiate.

 

O Corvo nasce da constatação de que cada vez se produz menos noticiário local. A crise da imprensa tem a ver com esse afastamento dos media relativamente às questões da cidadania quotidiana.

O Corvo pratica jornalismo independente e desvinculado de interesses particulares, sejam eles políticos, religiosos, comerciais ou de qualquer outro género.

Em paralelo, se as tecnologias cada vez mais o permitem, cada vez menos os cidadãos são chamados a pronunciar-se e a intervir na resolução dos problemas que enfrentam.

Gostaríamos de contar com a participação, o apoio e a crítica dos lisboetas que não se sentem indiferentes ao destino da sua cidade.

Samuel Alemão
s.alemao@ocorvo.pt
Director editorial e redacção

Daniel Toledo Monsonís
d.toledo@ocorvo.pt
Director executivo

Sofia Cristino
Redacção

Mário Cameira
Infografias & Fotografia

Paula Ferreira
Fotografía

Catarina Lente
Dep. gráfico & website

Lucas Muller
Redes e análises

ERC: 126586
(Entidade Reguladora Para a Comunicação Social)

O Corvinho do Sítio de Lisboa, Lda
NIF: 514555475
Rua do Loreto, 13, 1º Dto. Lisboa
infocorvo@gmail.com

Fala conosco!

Faça aqui a sua pesquisa