Quando, “dentro de pouco tempo”, estiver terminado o processo de troca das convencionais lâmpadas incandescentes dos semáforos de Lisboa por outras de tecnologia LED (light emitting diodes), a factura energética anual relacionada com o sistema descerá do presente um milhão de euros para os 100 mil euros. A substituição das tradicionais lâmpadas de 100 watts pelas de nove watts terá, assim, como consequência uma poupança de 90% no consumo de eletricidade dos semáforos, que ronda os 10 Gigawatts ao ano, garante a Lisboa E-Nova – Agência Municipal de Energia e Ambiente.

 

A mudança foi iniciada em 2010, pela Lisboa E-Nova em parceria com a Direcção Municipal de Transportes e Mobilidade da autarquia, e já envolveu a troca de 4 mil das 25 mil lâmpadas existentes nos 8.450 semáforos da capital. De acordo com dados tornados públicos, em Fevereiro deste ano, por José Sá Fernandes, vereador com o pelouro do Ambiente, só essa alteração já permitiu poupar cerca de 140 mil euros por ano. Quando estiver terminado o processo de substituição – que é financiado por um programa que inclui investidores privados -, as luzes reguladoras de tráfego passarão a representar apenas 1% da factura energética do município, em contraste com os actuais 7%.

 

Além de serem mais eficazes em termos ambientais, as lâmpadas de tecnologia LED têm uma duração muito prolongada, por regra superior a uma década. “Estas lâmpadas têm ainda uma grande vantagem, que é a de necessitarem de uma menor manutenção”, disse Miguel Águas, administrador da Lisboa E-Nova, na passada quinta-feira, durante a última sessão do 2º Encontro de Urbanismo –“Planear e Intervir / Cidade Sustentável”, realizado no CIUL – Centro de Informação Urbana de Lisboa, em Picoas.

 

Texto: Samuel Alemão

  • Samuel Freire
    Responder

    Não falta saber qual o valor da substituição?

  • Ricardo Self
    Responder

    Samuel Freire… touché.
    Tambem é importante juntar esse valor ao custo, claro.
    Calculo que continue a ser mais barato… mas afecta concerteza o resultado final dos numeros.

  • Ricardo Self
    Responder

    Ia tambem comentar em relacao a duracao/validade das lampadas…

    “as lâmpadas de tecnologia LED têm uma duração muito prolongada, por regra superior a uma década. “Estas lâmpadas têm ainda uma grande vantagem, que é a de necessitarem de uma menor manutenção””

  • Duarte Araújo Mata
    Responder

    Amortização do investimento entre 1 ano a 1 ano e meio

  • Nuno Rebelo
    Responder

    RT @ocorvo_noticias: Substituição de lâmpadas dos semáforos vai poupar 900 mil euros por ano – http://t.co/ETTHYE32iu

Deixe um comentário.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

O Corvo nasce da constatação de que cada vez se produz menos noticiário local. A crise da imprensa tem a ver com esse afastamento dos media relativamente às questões da cidadania quotidiana.

O Corvo pratica jornalismo independente e desvinculado de interesses particulares, sejam eles políticos, religiosos, comerciais ou de qualquer outro género.

Em paralelo, se as tecnologias cada vez mais o permitem, cada vez menos os cidadãos são chamados a pronunciar-se e a intervir na resolução dos problemas que enfrentam.

Gostaríamos de contar com a participação, o apoio e a crítica dos lisboetas que não se sentem indiferentes ao destino da sua cidade.

Samuel Alemão
s.alemao@ocorvo.pt
Director editorial e redacção

Daniel Toledo Monsonís
d.toledo@ocorvo.pt
Director executivo

Sofia Cristino
Redacção

Mário Cameira
Infografías 

Paula Ferreira
Fotografía

Margarita Cardoso de Meneses
Dep. comercial e produção

Catarina Lente
Dep. gráfico & website

Lucas Muller
Redes e análises

ERC: 126586
(Entidade Reguladora Para a Comunicação Social)

O Corvinho do Sítio de Lisboa, Lda
NIF: 514555475
Rua do Loreto, 13, 1º Dto. Lisboa
infocorvo@gmail.com

Fala conosco!

Faça aqui a sua pesquisa

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com