Sinalização que obstrui passeios está a ser retirada pela Câmara de Lisboa

ACTUALIDADE
Samuel Alemão

Texto

Câmara Municipal de Lisboa

Fotografia

MOBILIDADE

Cidade de Lisboa

17 Março, 2016


Eliminar obstáculos dos passeios, como postes e sinais, que tornam mais difícil a circulação pedonal, e ainda remover sinais de trânsito redundantes, facilitando a vida aos automobilistas. São estes os objectivos das acções que têm vindo a ser realizadas, desde o início do ano, pelas Brigadas LX da Câmara Municipal de Lisboa. De acordo com a autarquia, “foram já realizadas, até ao momento, mais de meio milhar de ocorrências, que melhoraram a zona central da cidade”, com acções centradas, nesta primeira fase, nas freguesias de Avenidas Novas, Areeiro e Santa Maria Maior.

Para reforçar o simbolismo desta iniciativa, ao início da manhã (8h) desta quinta-feira (17 de Março), os funcionários das Brigadas LX vão retirar de alguns passeios da Baixa de Lisboa postes de fixação de sinalização vertical, “dando assim cumprimento à estratégia de atuação da Câmara Municipal de Lisboa para promover um espaço público acessível a todos”. A intervenção tem início no Rossio, junto ao Teatro Nacional Dona Maria II, e será diretamente acompanhada pela Secretária de Estado da Inclusão das Pessoas com Deficiência, Ana Sofia Antunes, e pelo Vereador da Mobilidade de Proximidade e Segurança, Carlos Manuel Castro.

A acção desta quinta-feira acontece pouco mais de um ano após o vereador do Urbanismo, Manuel Salgado, ter admitido publicamente a necessidade de intervir nesta matéria. “As nossas ruas estão pejadas de sinais e isso acaba por ser inconveniente para as pessoas que circulam nos passeios”, disse o autarca, num reunião descentralizada do executivo municipal, a 4 de Março de 2015, tendo prometido tomar medidas para contrariar este problema. E deu como exemplo a sinalização de protecção dos peões no atravessamento de ruas. A partir de agora, o desejável será que, “sempre que possível, a sinalização horizontal ou a sobrelevação das passadeiras seja suficiente para reduzir a velocidade dos carros sem que haja necessidade de colocar mais sinais”, disse Salgado, na altura.

MAIS ACTUALIDADE

COMENTÁRIOS

O Corvo nasce da constatação de que cada vez se produz menos noticiário local. A crise da imprensa tem a ver com esse afastamento dos media relativamente às questões da cidadania quotidiana.

O Corvo pratica jornalismo independente e desvinculado de interesses particulares, sejam eles políticos, religiosos, comerciais ou de qualquer outro género.

Em paralelo, se as tecnologias cada vez mais o permitem, cada vez menos os cidadãos são chamados a pronunciar-se e a intervir na resolução dos problemas que enfrentam.

Gostaríamos de contar com a participação, o apoio e a crítica dos lisboetas que não se sentem indiferentes ao destino da sua cidade.

Samuel Alemão
s.alemao@ocorvo.pt
Director editorial e redacção

Daniel Toledo Monsonís
d.toledo@ocorvo.pt
Director executivo

Sofia Cristino
Redacção

Mário Cameira
Infografias & Fotografia

Paula Ferreira
Fotografía

Catarina Lente
Dep. gráfico & website

Lucas Muller
Redes e análises

ERC: 126586
(Entidade Reguladora Para a Comunicação Social)

O Corvinho do Sítio de Lisboa, Lda
NIF: 514555475
Rua do Loreto, 13, 1º Dto. Lisboa
infocorvo@gmail.com

Fala conosco!

Faça aqui a sua pesquisa

Send this to a friend