A Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor (DECO) tem registado um acréscimo assinalável nas reclamações recebidas pelos seus serviços da parte de muitos consumidores individuais de água em Lisboa, perplexos com os montantes a pagar nas primeiras facturas da EPAL de 2015. Isto é consequência, sobretudo, do aumento dos valores constantes da rubrica “Contas de Terceiros”, que agora inclui também a cobrança da Tarifa de Saneamento, antes paga numa factura à parte, e da nova Tarifa de Gestão dos Resíduos Sólidos Urbanos (RSU). Em muitos casos, essa rubrica, não directamente relacionada com o consumo primário de água, passou para o dobro. Uma medida que resulta do orçamento municipal aprovado para este ano, e que instituiu também a criação das taxas turística e de protecção civil.

 

Apesar de ainda não ter números disponíveis sobre esta questão, a DECO confirma ao Corvo que “houve um acréscimo das reclamações, através do call center, relacionadas com o valor pago nas facturas da água recebidas neste início de ano”. A informação é dada por uma responsável do gabinete de comunicação da entidade de defesa dos consumidores, que estará a analisar a possibilidade de criar uma “rubrica especial para o devido tratamento estatístico das ocorrências”, caso as reclamações continuem a chegar em grande quantidade. A mesma responsável salientou que, “a seu tempo, a DECO manifestou a sua preocupação pela aplicação destas taxas à Entidade Reguladora dos Serviços de Água e Resíduos (ERSAR)”.

 

Na internet, em diversos fóruns, os consumidores residentes no município de Lisboa estão a queixar-se dos valores que lhes aparecem nas facturas recebidas já em 2015 – muitas das quais não reflectirão ainda na íntegra o aumento, pois reportam a períodos de facturação que ainda incluem algumas semanas do final do ano passado. Em muitos casos, a rubrica “Contas de Terceiros” aparece agora com os valores a dobrar – por exemplo, um consumidor com um consumo médio de 8 metros cúbicos, que pagava cerca de 5 euros, tem agora de desembolsar mais de 10 euros com as “Contas de Terceiros”-, com um elenco de itens bem mais extenso do que era usual, pois discrimina os valores antes e após 1 de Janeiro. Além disso, inclui também a actualização da Tarifa de Saneamento e a Tarifa de Gestão dos Resíduos Sólidos Urbanos, sendo esta directamente imputada à Câmara Municipal de Lisboa.

 

Apesar dos novos valores constantes na factura da água não serem da responsabilidade da EPAL, o Corvo questionou por escrito a empresa sobre este assunto – nomeadamente, “Qual o valor médio do aumento em cada fatura para os consumidores domésticos?” e “A EPAL tem recebido muitas reclamações de consumidores devido ao aumento? A empresa tem planeada alguma campanha de comunicação sobre o assunto?” -, mas não obteve resposta até ao fim da tarde desta quinta-feira.

 

Texto: Samuel Alemão

 

  • Paulo Magalhães
    Responder

    Imagine-se quando o actual Presidente da CML deixar de o ser e for eleito PM de Portugal…Nem digo mais !

  • Paulo Ramos
    Responder

    Isto todo para que para financiar as fundações dos amigo soares?

  • Catarina Morais
    Responder

    Reparei na minha conta. Passei de 24 euros para 30 euros. O meu voto não terá. Nem ele nem o PSD e o CDS e também não os Livres e outras semelhantes criaturas. Votarei em quem sempre defendeu os trabalhadores e as populações na CML e no país e não em quem vendeu Portugal à Merkel e agora se esconde acusando as suas comadres do PSD e CDS.

  • José Lucas CARDOSO
    Responder

    Agora Lisboa, no futuro… saquearão o país!
    Primeiras facturas da água de 2015 em Lisboa trazem um sabor bem amargo http://t.co/SwMmel0Q3w

  • Madalena F. Pinto Pereira
    Responder

    Em Lisboa,eu,na cidade da Maia deparei-me com uma situacao identica,so porque trocaram o contador.Passei de 18 eur para 50 eur,por que,nem eu sei nem la me conseguiram explicar.Agora dizem-me para chamar um picheleiro,estranho que so comecei a ter problemas apos a mudanca !!!

  • José Matos
    Responder

    No meu caso com consumo igual no mês de Outubro e agora em Fevereiro (25m3) as taxas municipais passaram de cerca de 10 euros para cerca de 30 euros.

  • Maria Helena Gomes
    Responder

    Acabei de telefonar para a EPAL para falar deste assunto! uma pouca vergonha,pelo que me explicaram deixa de haver a cartinha anual da taxa dos esgotos e passamos a pagar de 2 em 2 meses na factura da água o que vai ficar bem mais caro. O aumento destas taxas na conta da água e no meu caso é de quase o triplo do valor! e fala o António Costa do governo! é agora o senhor António taxas,já que aplica taxas em tudo! enfim… nada de bom se espera neste país…

  • João Nicolau
    Responder

    Olha, afinal não é engano <sarcasmo />: “Primeiras facturas da água de 2015 em Lisboa trazem um sabor bem amargo” http://t.co/hNwsQy054v

  • N. Matos
    Responder

    É …, a ilusão do povo – António Costa e este PS igualzinho aos que estão atualmente no poder, os meus, deles, interesses primeiro! A minha fatura de água teve um aumento de 35%! Há que criar o movimento de deitar esta gente fora !!!

  • ricardo david e solange
    Responder

    ladroes ,de 22 euros para 35,23 gasto 10 euros de agguaa e de ttaxas pago 17 euros!!!!!!!!!

  • Luís Rodrigues
    Responder

    QUE ROUBALHEIRA…..MAIS TAXAS E TAXINHAS….
    É A AGUA, E O GAS, É A ELECTRICIDADE, É O COMBUSTÍVEL…., E O IRS, É O IMI.
    O PACOTE ESTÁ QUASE….

  • ze
    Responder

    Não dá para fazermos alguma coisa para se reclamar??? Petição ou coisas do genero?? Fdx passei de 25€ para 49€ de conta da epal bimestral!

  • ze
    Responder

    Já agora… dos 49€ mais de metade são taxas e iva…. inacreditável!

  • Daniel
    Responder

    Também apanhei oi susto. a minha fatura passou de 18€ para 42€. Mas o mais curioso é que com tanta taxa que se paga a cidade continua suja e com os esgotos entupidos. Quando chove vemos as taxas a boiar pela cidade!

  • Sofia
    Responder

    Fdx mas ainda nao ha nada a fazer???!!! isto é ridiculo, tenho a parte da epal o valor de 18.80 e um total de 43.92 para pagar, mas isto faz algum sentido é um roubo a descarada

Deixe um comentário.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

O Corvo nasce da constatação de que cada vez se produz menos noticiário local. A crise da imprensa tem a ver com esse afastamento dos media relativamente às questões da cidadania quotidiana.

O Corvo pratica jornalismo independente e desvinculado de interesses particulares, sejam eles políticos, religiosos, comerciais ou de qualquer outro género.

Em paralelo, se as tecnologias cada vez mais o permitem, cada vez menos os cidadãos são chamados a pronunciar-se e a intervir na resolução dos problemas que enfrentam.

Gostaríamos de contar com a participação, o apoio e a crítica dos lisboetas que não se sentem indiferentes ao destino da sua cidade.

Samuel Alemão
s.alemao@ocorvo.pt
Director editorial e redacção

Daniel Toledo Monsonís
d.toledo@ocorvo.pt
Director executivo

Sofia Cristino
Redacção

Mário Cameira
Infografías 

Paula Ferreira
Fotografía

Margarita Cardoso de Meneses
Dep. comercial e produção

Catarina Lente
Dep. gráfico & website

Lucas Muller
Redes e análises

ERC: 126586
(Entidade Reguladora Para a Comunicação Social)

O Corvinho do Sítio de Lisboa, Lda
NIF: 514555475
Rua do Loreto, 13, 1º Dto. Lisboa
infocorvo@gmail.com

Fala conosco!

Faça aqui a sua pesquisa

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com