Depois de um demorado processo, que incluiu vários anúncios nunca concretizados, começaram, por fim, as obras de requalificação da piscina do Campo Grande. O equipamento, que está fechado desde 2006, deverá reabrir totalmente reabilitado no verão do próximo ano, depois de um investimento de 8,5 milhões de euros. A primeira pedra da obra de “requalificação” de um dos mais emblemáticos equipamentos da cidade de Lisboa foi colocada, ao final da manhã desta quarta-feira (2 de Setembro), por Fernando Medina, presidente da Câmara Municipal de Lisboa. A autarquia entregou a intervenção e a gestão do novo equipamento por um período de 35 anos à empresa espanhola Ingesport – a mesma que ficou com as piscinas dos Olivais, reabertas em Fevereiro -, que em troca terá de dar à câmara 3% da receita da exploração.

 

A piscina do Campo Grande foi desenhada nos anos 1960 pelo arquitecto Keil do Amaral e encontra-se em avançado estado de degradação. Depois das obras que agora começam, dela apenas restarão algumas estruturas. Isto porque, na prática, do que se trata é de um equipamento completamente novo. Com uma área total de 6.200 metros quadrados, o centro desportivo – que fará parte da rede GoFit, tal como o dos Olivais – terá três piscinas cobertas interiores (natação livre, aprendizagem e spa), um circuito hidrotermal (spa, banho turco, sauna e duches de contraste), quatro aulas de grupo com mais de 900 metros quadrados, uma sala de fitness com as mesmas dimensões, serviços para crianças, balneários com mais de 750 metros quadrados, consultas de nutrição, estética e massagem e estacionamento para 210 lugares. Espera-se que venha a servir 10 mil utilizadores e vá criar 60 postos de trabalho.

 

Texto: Samuel Alemão

 

  • Tuga News
    Responder

    [O Corvo] Piscina do Campo Grande está em obras e abre como centro desportivo em 2016 http://t.co/AiwwZ6Q2FI

  • Luís Mota
    Responder

    A descrição das obras previstas mete medo. Onde vai tudo aquilo caber?

Deixe um comentário.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

O Corvo nasce da constatação de que cada vez se produz menos noticiário local. A crise da imprensa tem a ver com esse afastamento dos media relativamente às questões da cidadania quotidiana.

O Corvo pratica jornalismo independente e desvinculado de interesses particulares, sejam eles políticos, religiosos, comerciais ou de qualquer outro género.

Em paralelo, se as tecnologias cada vez mais o permitem, cada vez menos os cidadãos são chamados a pronunciar-se e a intervir na resolução dos problemas que enfrentam.

Gostaríamos de contar com a participação, o apoio e a crítica dos lisboetas que não se sentem indiferentes ao destino da sua cidade.

Samuel Alemão
s.alemao@ocorvo.pt
Director editorial e redacção

Daniel Toledo Monsonís
d.toledo@ocorvo.pt
Director executivo

Sofia Cristino
Redacção

Mário Cameira
Infografías 

Paula Ferreira
Fotografía

Margarita Cardoso de Meneses
Dep. comercial e produção

Catarina Lente
Dep. gráfico & website

Lucas Muller
Redes e análises

ERC: 126586
(Entidade Reguladora Para a Comunicação Social)

O Corvinho do Sítio de Lisboa, Lda
NIF: 514555475
Rua do Loreto, 13, 1º Dto. Lisboa
infocorvo@gmail.com

Fala conosco!

Faça aqui a sua pesquisa

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com