Piscina da Penha de França entra finalmente em obras em 2016

ACTUALIDADE
Fernanda Ribeiro

Texto

URBANISMO

Penha de França

4 Dezembro, 2015


Fechada desde 2011, a piscina da Penha de França faz muita falta a quem mora na zona. Chegou a pensar-se que abriria em 2015, mas tal não se concretizou. A Associação Estrelas de São João de Brito, que a irá explorar, quer arrancar com as obras em Janeiro de 2016 e tê-la pronta em Agosto. Mas a nova presidente da junta acha mais realista que isso suceda só em 2017.

“Nas ruas da freguesia da Penha de França, a primeira coisa que me perguntaram, quando souberam que eu era a nova presidente da junta, foi: quando é que abre a piscina?”. A questão, que foi colocada por muitos fregueses, não deixa margem para dúvidas quanto à falta que faz a piscina municipal, há quatro anos fechada para obras – que, até hoje, nunca chegaram.

A nova autarca, Ana Sofia de Oliveira Dias (PS), que tomou posse a 15 de Outubro – substituindo Elisa Madureira, eleita socialista que renunciou ao cargo, por motivos de doença – não tem, pois, dúvidas quanto à necessidade de fazer avançar o processo, ainda que isso dependa sobretudo da Câmara Municipal de Lisboa. Há cerca de ano e meio, foi assinado pela autarquia e também pela junta da Penha de França um protocolo que entregava a gestão e exploração deste equipamento à Associação Estrelas de São João de Brito.

Mas aos olhos do comum cidadão nada avançou. No terreno, não se vislumbra ainda a entrada em acção de máquinas e trabalhadores. Tudo o que tem sido feito, de forma muito lenta, é invisível para quem aguarda ter uma piscina para nadar. O que quase tem feito desesperar Nuno Lopes, o presidente do Estrelas de São João de Brito.

“Ninguém, mais do que eu, que ando há três anos e meio envolvido neste projecto, sente a urgência de abrir a piscina ao público. Primeiro, a câmara pediu-nos que alterasse o projecto, o que foi feito e até melhorou bastante as condições em que a piscina irá reabrir. Demoraram seis meses a aprová-lo. Só depois nos pediram os projectos da especialidade (electricidade, água, etc…), que levam também bastante tempo. Mas agora, que temos os projectos todos entregues à câmara, espero que possamos começar com as obras em Janeiro de 2016, para que a piscina esteja em condições de abrir em Julho ou Agosto”, afirma ao Corvo o presidente da associação.

Esta perspectiva é, porém, considerada demasiado optimista pela presidente da junta, Ana Sofia Oliveira Dias, que, mau grado a ansiedade dos seus fregueses, apenas prevê para 2017 a entrada em funcionamento da piscina.

“Nós, junta, estamos empenhados em que o processo avance e ela abra em 2017. Prefiro ser mais realista”, afirma a autarca, em declarações ao Corvo. Já a indicação de Janeiro de 2016 como momento para o arranque das obras, data apontada por Nuno Lopes, parece-lhe uma ideia pouco realista.

“Não sei se já houve concurso para a selecção das empresas que hão-de fazer as obras. É isso que vou apurar quando, em breve, nos sentarmos os três à mesa, o vereador do Desporto, Jorge Máximo, o presidente da associação Estrelas e eu própria”, acrescenta a presidente da junta da Penha de França.

2015-11-24-15.53.51.jpg

Uma coisa parece certa. Quando finalmente reabrir, afirma Nuno Lopes, o complexo da piscina da Penha de França estará bastante melhorado, com o tanque requalificado e com maior oferta para a população. Com a possibilidade de ali haver também “banhos turcos, jacuzzi e sala de massagens”.

Os preços não serão mais caros, garante o futuro gestor da piscina, até porque no protocolo a Associação Estrelas de São João de Brito se obriga a praticar preços idênticos aos que são cobrados pela entrada nas restantes piscinas municipais (1,80 euros).

Nela poderá praticar-se igualmente natação de competição, uma das razões que levou o Estrelas de São João de Brito a interessar-se na exploração e propor-se gerir a piscina.

Apesar de existir há já 12 anos e de se ter especializado nas várias vertentes da natação – para bebés, hidroginástica, deficientes motores, terceira idade, natação federada e não federada e participar nas principais provas da modalidade –, o Estrelas ainda não dispõe de piscina própria. Até aqui, tem ensinado em três outras piscinas: a do Regimento de Sapadores Bombeiros, em Alvalade, a do Colégio de São João de Brito e a piscina municipal do Casal Vistoso.

O investimento que irá agora ser feito na piscina da Penha de França pelo Estrelas ronda os 700 mil euros, sendo os custos das obras repartidos com a câmara.

MAIS ACTUALIDADE

COMENTÁRIOS

Deixe um comentário.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

O Corvo nasce da constatação de que cada vez se produz menos noticiário local. A crise da imprensa tem a ver com esse afastamento dos media relativamente às questões da cidadania quotidiana.

O Corvo pratica jornalismo independente e desvinculado de interesses particulares, sejam eles políticos, religiosos, comerciais ou de qualquer outro género.

Em paralelo, se as tecnologias cada vez mais o permitem, cada vez menos os cidadãos são chamados a pronunciar-se e a intervir na resolução dos problemas que enfrentam.

Gostaríamos de contar com a participação, o apoio e a crítica dos lisboetas que não se sentem indiferentes ao destino da sua cidade.

Samuel Alemão
s.alemao@ocorvo.pt
Director editorial e redacção

Daniel Toledo Monsonís
d.toledo@ocorvo.pt
Director executivo

Sofia Cristino
Redacção

Mário Cameira
Infografías 

Paula Ferreira
Fotografía

Margarita Cardoso de Meneses
Dep. comercial e produção

Catarina Lente
Dep. gráfico & website

Lucas Muller
Redes e análises

ERC: 126586
(Entidade Reguladora Para a Comunicação Social)

O Corvinho do Sítio de Lisboa, Lda
NIF: 514555475
Rua do Loreto, 13, 1º Dto. Lisboa
infocorvo@gmail.com

Fala conosco!

Faça aqui a sua pesquisa

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com

Send this to a friend