Pastelaria Mexicana reabriu portas depois de obras de renovação

REPORTAGEM
Fernanda Ribeiro

Texto

VIDA NA CIDADE

Areeiro

8 Dezembro, 2015




A velha pastelaria Mexicana está renovada e reabriu portas no passado sábado, uma vez concluídas as obras que se prolongaram ao longo de cerca de seis meses. Clientela não faltou logo no primeiro dia de semana desta nova época da Mexicana. À hora do chá desta segunda-feira (7 de Dezembro), o movimento era intenso e viam-se na esplanada e no interior muitos dos antigos frequentadores da pastelaria, existente na Avenida Guerra Junqueiro desde 1946 e que está classificada como Monumento de Interesse Público.

“Como está, senhor doutor?”, perguntava, em jeito de cumprimento, um velho empregado da Mexicana, dirigindo-se a um cliente assíduo da pastelaria que, este ano, mudou de proprietários e está agora nas mãos de Rogério Pereira, também dono da pastelaria Carcassone, na Avenida da Igreja.

Aos antigos trabalhadores da Mexicana, que se mantêm em funções na nova pastelaria, vieram juntar-se outros, habitualmente colocados na Carcassone, que por estes dias vieram dar uma ajuda, para que tudo corra bem. “Estamos ainda a afinar o funcionamento e há coisas a melhorar”, disse ao Corvo Rogério Pereira, também ele atarefado e envolto no bulício do trabalho, quando foi questionado sobre a forma como tem decorrido a reabertura da pastelaria.

2015-12-07-15.49.21.jpg

No interior, o ambiente da Mexicana é agora mais claro e luminoso e a decoração foi renovada. Mas, na zona do restaurante, ao fundo do estabelecimento, mantém-se ainda o painel de Querubim Lapa, Sol Mexicano, que é uma das marcas da velha pastelaria. Por detrás de uma grande vidraça, num mini jardim interior, há pássaros esvoaçando junto ao tronco de uma árvore.

As obras a que foi sujeita a antiga pastelaria chegaram a ser embargadas pela Câmara Municipal de Lisboa, que, em Maio, mandou parar os trabalhos, considerando que estes estavam a decorrer sem as necessárias licenças. Uma situação que, ao longo de mais de um mês, manteve em suspenso a renovação da pastelaria.

Mas, a avaliar pela grande afluência que agora se verifica, o renovado ambiente da pastelaria parece agradar aos muitos que, esta segunda-feira, encheram a Mexicana, entre eles a antiga ministra da Cultura, Gabriela Canavilhas, que, por alguns momentos, esteve na esplanada do velho café.

MAIS REPORTAGEM

COMENTÁRIOS

Comentários

Deixe um comentário.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

O Corvo nasce da constatação de que cada vez se produz menos noticiário local. A crise da imprensa tem a ver com esse afastamento dos media relativamente às questões da cidadania quotidiana.

O Corvo pratica jornalismo independente e desvinculado de interesses particulares, sejam eles políticos, religiosos, comerciais ou de qualquer outro género.

Em paralelo, se as tecnologias cada vez mais o permitem, cada vez menos os cidadãos são chamados a pronunciar-se e a intervir na resolução dos problemas que enfrentam.

Gostaríamos de contar com a participação, o apoio e a crítica dos lisboetas que não se sentem indiferentes ao destino da sua cidade.

Samuel Alemão
s.alemao@ocorvo.pt
Director editorial e redacção

Daniel Toledo Monsonís
d.toledo@ocorvo.pt
Director executivo

Sofia Cristino
Redacção

Mário Cameira
Infografías 

Paula Ferreira
Fotografía

Margarita Cardoso de Meneses
Dep. comercial e produção

Catarina Lente
Dep. gráfico & website

Lucas Muller
Redes e análises

ERC: 126586
(Entidade Reguladora Para a Comunicação Social)

O Corvinho do Sítio de Lisboa, Lda
NIF: 514555475
Rua do Loreto, 13, 1º Dto. Lisboa
infocorvo@gmail.com

Fala conosco!

Faça aqui a sua pesquisa

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com

Send this to a friend