Passadeiras e cruzamentos da Rua Dom João V, que liga o Rato às Amoreiras, vão finalmente ter semáforos

ACTUALIDADE
Samuel Alemão

Texto

MOBILIDADE

Campo de Ourique

1 Novembro, 2018

Após anos de espera e de reclamações por parte dos moradores e dos trabalhadores daquela zona da cidade, a Rua Dom João V vai, por fim, ser alvo de uma intervenção de requalificação para reforço da segurança pedonal e viária. As obras incluirão a colocação de semáforos e a remodelação da sinalização vertical e horizontal junto às três passadeiras e aos dois cruzamentos rodoviários que entroncam com aquela rua. Durante o mês de Novembro, terão início os trabalhos de requalificação da artéria que assegura a ligação entre as Amoreiras e o Largo do Rato, confirmou a O Corvo fonte do gabinete do vereador da mobilidade da Câmara Municipal de Lisboa (CML), Miguel Gaspar, informando que a intervenção deverá durar cerca de três meses.

O projecto que a autarquia se prepara agora para levar por diante responde aos reiterados anseios de quem, no últimos anos, vinha assistindo a atropelamentos e acidentes graves naquela zona. Mas é também o efectivar de uma promessa antiga da CML e da Junta de Freguesia de Campo de Ourique. “A intervenção na Rua D. João V consiste na colocação de equipamento semafórico no cruzamento com a Rua Custódio Vieira, no cruzamento com a Rua das Amoreiras e nas três passagens de peões existentes ao longo deste arruamento. A via será ainda repavimentada e toda a sinalização horizontal refeita. A sinalização vertical será igualmente revista ao longo deste arruamento, de modo a melhorar a segurança rodoviária daquela artéria”, esclarece, em informação escrita, a mesma fonte camarária.

Já em Setembro de 2015, O Corvo dava conta da situação ali vivida, com os residentes e os comerciantes então ouvidos a confessarem receio em realizarem o atravessamento em qualquer das três passadeiras da Dom João V, dada a perigosidade que tal acarretava. Os atropelamentos relativamente frequentes e os sustos quase diários assim o atestavam. A inclinação acentuada da via, favorecendo a velocidade de quem se desloca no sentido do Largo do Rato, transformava a tarefa um momento a exigir especial cautela. Um cenário agravado ainda pelos acidentes recorrentes no cruzamento com a Rua Custódio Vieira, junto do qual se situa uma das passadeiras. “O problema aqui é a falta de respeito dos automobilistas. Isto é um perigo muito grande”, dizia a O Corvo o dono de um café situado em frente ao cruzamento.

ocorvo01112018domjoaov2

São três as passadeiras da Dom João V que passarão a ter semáforos e sinalização nova

Na altura, o presidente da Junta de Freguesia de Campo de Ourique, Pedro Cegonho (PS), garantia estar em conversações com a câmara para, entre outra intervenções, se colocarem semáforos junto às passadeiras. Um ano e meio depois, em Março de 2017, e perante a inexistência de qualquer alteração, O Corvo voltou a questionar o autarca sobre o assunto. Na altura, Cegonho esclareceu que a junta estava a preparar, juntamente com a Direcção Municipal de Mobilidade e Transportes (DMMT) da Câmara Municipal de Lisboa (CML), um “projecto integrado de execução de medidas de acalmia de tráfego”, com vista ao “aumento da segurança dos peões ao longo de todo o eixo viário da Rua D. João V”. É esse projecto que agora avança.


 

MAIS ACTUALIDADE

COMENTÁRIOS

Comentários
  • Teresa Fernandes
    Responder

    Também na Avenida Álvares Cabral, em frente ao número 46, deveria ser colocada sinalização luminosa a alertar para a aproximação a uma passadeira de peões, a exemplo das outras duas já existentes (uma em frente ao colégio João de Deus e a outra junto à rotunda na rua de S.Jorge). Trata-se de um local de tráfego muito intenso e de noite quase não se dá conta da sua existência.

Deixe um comentário.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

O Corvo nasce da constatação de que cada vez se produz menos noticiário local. A crise da imprensa tem a ver com esse afastamento dos media relativamente às questões da cidadania quotidiana.

O Corvo pratica jornalismo independente e desvinculado de interesses particulares, sejam eles políticos, religiosos, comerciais ou de qualquer outro género.

Em paralelo, se as tecnologias cada vez mais o permitem, cada vez menos os cidadãos são chamados a pronunciar-se e a intervir na resolução dos problemas que enfrentam.

Gostaríamos de contar com a participação, o apoio e a crítica dos lisboetas que não se sentem indiferentes ao destino da sua cidade.

Samuel Alemão
s.alemao@ocorvo.pt
Director editorial e redacção

Daniel Toledo Monsonís
d.toledo@ocorvo.pt
Director executivo

Sofia Cristino
Redacção

Mário Cameira
Infografias & Fotografia

Paula Ferreira
Fotografía

Catarina Lente
Dep. gráfico & website

Lucas Muller
Redes e análises

ERC: 126586
(Entidade Reguladora Para a Comunicação Social)

O Corvinho do Sítio de Lisboa, Lda
NIF: 514555475
Rua do Loreto, 13, 1º Dto. Lisboa
infocorvo@gmail.com

Fala conosco!

Faça aqui a sua pesquisa

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com

Send this to a friend