As ruínas do Convento do Carmo, o Teatro Nacional de São Carlos, a Aula Magna e o Palácio Nacional da Ajuda serão alguns dos cenários da primeira edição do Lisbon Music Fest, festival que, entre 4 de Julho e 7 de Agosto, reunirá orquestras e ensembles de música de câmara, coros e big bands de jazz , constituídos por jovens músicos de todo o mundo. Muitos dos concertos serão ao ar livre.

 

Serão mais de 30 concertos de entrada livre. O festival, que terá também ramificações em Sintra (Centro Cultural Olga Cadaval, Palácio da Vila e Quinta da Regaleira), Cascais (Parque Palmela e Cascais Jazz Club), e ainda Évora, Figueira da Foz, Batalha e Peniche, deverá reunir mais de 15 agrupamentos musicais, prevendo-se o envolvimento directo de 1.500 participantes, entre músicos, técnicos e membros da organização.

 

Segundo a organização, a cargo da Acordarte – Associação Promotora da Educação Cultural e Artística, “este formato, habitual nas principais cidades da Europa, Estados Unidos ou Austrália, não existe em Portugal e tem uma enorme procura internacional pelas largas centenas de agrupamentos musicais que todos os anos realizam digressões internacionais”.

 

Tiago Neto, o director do festival, que foi ontem apresentado nos Paços do Concelho, diz que o mesmo “contribuirá certamente para a promoção da cidade de Lisboa, não apenas em termos turísticos, mas também enquanto destino cultural e musical”, devido à ambição de torná-lo “referência no circuito internacional”. As estimativas da organização apontam para uma audiência superior a 15 mil pessoas.

 

Entre os grupos com participação confirmada estão a National Youth Orchestra of Ireland, a Youth Symphony Orchestra de Berna (Suíça), a Joven Orquesta Promúsica de Málaga (Espanha), a VU-Orkest Amsterdam (Holanda), a Riga Music Schools Symphony Orchestra (Letónia), a North Stars Youth Orchestra (E.U.A.), bem como a Jovem Orquestra Portuguesa e o Coro Juvenil da Universidade de Lisboa.

 

Mais informações: www.lisbonmusicfest.com

 

Texto: Samuel Alemão

 

Deixe um comentário.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

O Corvo nasce da constatação de que cada vez se produz menos noticiário local. A crise da imprensa tem a ver com esse afastamento dos media relativamente às questões da cidadania quotidiana.

O Corvo pratica jornalismo independente e desvinculado de interesses particulares, sejam eles políticos, religiosos, comerciais ou de qualquer outro género.

Em paralelo, se as tecnologias cada vez mais o permitem, cada vez menos os cidadãos são chamados a pronunciar-se e a intervir na resolução dos problemas que enfrentam.

Gostaríamos de contar com a participação, o apoio e a crítica dos lisboetas que não se sentem indiferentes ao destino da sua cidade.

Samuel Alemão
s.alemao@ocorvo.pt
Director editorial e redacção

Daniel Toledo Monsonís
d.toledo@ocorvo.pt
Director executivo

Sofia Cristino
Redacção

Mário Cameira
Infografías 

Paula Ferreira
Fotografía

Margarita Cardoso de Meneses
Dep. comercial e produção

Catarina Lente
Dep. gráfico & website

Lucas Muller
Redes e análises

ERC: 126586
(Entidade Reguladora Para a Comunicação Social)

O Corvinho do Sítio de Lisboa, Lda
NIF: 514555475
Rua do Loreto, 13, 1º Dto. Lisboa
infocorvo@gmail.com

Fala conosco!

Faça aqui a sua pesquisa

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com