Orçamento Participativo de Lisboa põe a votação 181 projetos até 20 de novembro

ACTUALIDADE
Samuel Alemão

Texto

VIDA NA CIDADE

Cidade de Lisboa

14 Outubro, 2016


Depois de apresentadas as propostas ao Orçamento Participativo (OP) 2016/17, é agora tempo de as mesmas serem votadas pelos cidadãos. A partir deste sábado (15 de outubro) e até 20 de novembro (domingo), os lisboetas poderão escolher a melhor forma de a câmara municipal gastar 2,5 milhões de euros tendo como base as 181 sugestões feitas pelos que vivem, trabalham ou estudam na capital e foram aceites. Podem expressar a sua preferência através do sítio www.lisboaparticipa.pt, onde se encontra a lista completa das propostas, mas também através das sessões de apoio ao voto, de SMS grátis para o número 4310 (enviando OP+ número do projecto) ou ainda através de atendimento presencial, na Rua de São Julião, nº 149, na Baixa.

Tal como nas edições anteriores, os projectos vencedores, a incluir no Plano de Atividades e Orçamento da Câmara Municipal de Lisboa para 2017, estarão divididos por duas categorias, em cada uma das quais cada pessoa poderá votar uma só vez. A categoria principal prevê a atribuição de um milhão de euros para “projetos estruturantes ou transversais” à cidade, com um valor unitário até 500.000 euros – ou seja, no máximo, poderão ser escolhidas duas propostas. Para os projectos de interesse mais local, e cuja concretização implicará um gasto unitário de até 150 mil euros, existe uma verba de 1,5 milhões de euros. Neste caso, o montante será distribuído pelas cinco zonas de intervenção territorial em que se divide a capital: Centro, Centro Histórico, Norte, Oriental e Ocidental. Tal significa que, por uma questão de equidade, nenhuma receberá investimentos do OP nesta categoria superiores a 300 mil euros.

MAIS ACTUALIDADE

COMENTÁRIOS

Comentários

Deixe um comentário.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

O Corvo nasce da constatação de que cada vez se produz menos noticiário local. A crise da imprensa tem a ver com esse afastamento dos media relativamente às questões da cidadania quotidiana.

O Corvo pratica jornalismo independente e desvinculado de interesses particulares, sejam eles políticos, religiosos, comerciais ou de qualquer outro género.

Em paralelo, se as tecnologias cada vez mais o permitem, cada vez menos os cidadãos são chamados a pronunciar-se e a intervir na resolução dos problemas que enfrentam.

Gostaríamos de contar com a participação, o apoio e a crítica dos lisboetas que não se sentem indiferentes ao destino da sua cidade.

Samuel Alemão
s.alemao@ocorvo.pt
Director editorial e redacção

Daniel Toledo Monsonís
d.toledo@ocorvo.pt
Director executivo

Sofia Cristino
Redacção

Mário Cameira
Infografías 

Paula Ferreira
Fotografía

Margarita Cardoso de Meneses
Dep. comercial e produção

Catarina Lente
Dep. gráfico & website

Lucas Muller
Redes e análises

ERC: 126586
(Entidade Reguladora Para a Comunicação Social)

O Corvinho do Sítio de Lisboa, Lda
NIF: 514555475
Rua do Loreto, 13, 1º Dto. Lisboa
infocorvo@gmail.com

Fala conosco!

Faça aqui a sua pesquisa

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com

Send this to a friend