À nona edição, é já uma instituição. O Orçamento Participativo (OP) de Lisboa para 2016/2017 começa, a partir desta segunda-feira (18 de Abril) e até 12 de Junho, a acolher as propostas que os cidadãos gostariam de ver concretizadas pela câmara municipal. Tal como nos últimos anos, esta edição do OP – realizado ininterruptamente desde 2008, tendo sido Lisboa a primeira capital europeia a criar tal instrumento de democracia participativa – prevê investimentos de 2,5 milhões de euros, em áreas tão distintas quanto ação social, cultura, urbanismo e reabilitação urbana, espaço público e espaço verde ou mobilidade e infraestruturas. Tudo o que puder melhorar a qualidade de vida na cidade é bem-vindo, claro.

 

Depois da fase de selecção das propostas feitas por qualquer pessoa, aquelas que os serviços da Câmara Municipal de Lisboa (CML) considerarem melhores serão postas a votação online. Os resultados finais serão conhecidos a 20 de Novembro. As propostas poderão ser entregues através da plataforma www.lisboaparticipa.pt, mas também nas sessões participativas (agenda disponível no site) ou ainda através de atendimento presencial, na Rua de São Julião nº 149 ( Baixa de Lisboa, junto à Rua do Ouro), todas as quartas e sextas-feiras, entre as 12h30 e as 15h, e em todos os balcões de atendimento da CML.

 

Na votação final, os vencedores serão divididos em duas categorias: existe uma categoria em que cabem os projectos cuja execução não excede os 150 mil euros e outra, numa patamar superior, na qual são abrangidas as propostas cuja realização custa entre 150 mil euros e os 500 mil euros. Na derradeira edição (OP 2015-2016), que conheceu a maior participação popular de sempre (42 mil votantes), os grandes vencedores na principal categoria foram os projectos “Espaços Verdes do Parque da Liberdade”, na freguesia de Campolide, com 3374 votos, e “Melhoria da Mobilidade na Avenida Cidade de Praga”, na freguesia de Carnide, com 4221 votos.

 

Mais informações: www.lisboaparticipa.pt  

www.facebook.com/lisboaparticipa

op@cm-lisboa.pt

 

Texto: Samuel Alemão

 

  • Miguel Fonseca
    Responder

    Se eles cumprissem as propostas vencedoras, é que seria interessante.
    Há algumas de 2012 e 2013 que ainda estão na gaveta. Até quando?

  • José Borges
    Responder

    E que tal corrigir o horizonte entornado da foto…

  • Diogenes Casagrande
    Responder

    RT @tuga_news: [O Corvo] Orçamento Participativo 2016/2017 já está a receber propostas dos cidadãos https://t.co/x2G6ZAyhF2 #lisboa

  • Vasco
    Responder

    A minha proposta é retirar as marquises foleiras das fachadas.

Deixe um comentário.

O Corvo nasce da constatação de que cada vez se produz menos noticiário local. A crise da imprensa tem a ver com esse afastamento dos media relativamente às questões da cidadania quotidiana.

O Corvo pratica jornalismo independente e desvinculado de interesses particulares, sejam eles políticos, religiosos, comerciais ou de qualquer outro género.

Em paralelo, se as tecnologias cada vez mais o permitem, cada vez menos os cidadãos são chamados a pronunciar-se e a intervir na resolução dos problemas que enfrentam.

Gostaríamos de contar com a participação, o apoio e a crítica dos lisboetas que não se sentem indiferentes ao destino da sua cidade.

Samuel Alemão
s.alemao@ocorvo.pt
Director editorial e redacção

Daniel Toledo Monsonís
d.toledo@ocorvo.pt
Director executivo

Sofia Cristino
Redacção

Mário Cameira
Infografías 

Paula Ferreira
Fotografía

Margarita Cardoso de Meneses
Dep. comercial e produção

Catarina Lente
Dep. gráfico & website

Lucas Muller
Redes e análises

ERC: 126586
(Entidade Reguladora Para a Comunicação Social)

O Corvinho do Sítio de Lisboa, Lda
NIF: 514555475
Rua do Loreto, 13, 1º Dto. Lisboa
infocorvo@gmail.com

Fala conosco!

Faça aqui a sua pesquisa

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com