Um ano depois de ter saído vencedor do Orçamento Participativo de 2013, através de um projecto no valor de 500 mil euros que prevê a sua reabilitação, as “boas notícias” anunciadas, nesta terça-feira, pela Câmara Municipal de Lisboa para o Jardim Botânico consistem no previsível lançamento, no início de 2015, do concurso para a realização das obras naquele monumento nacional.

Mau grado a demora no processo, em que ao longo de um ano nada aconteceu no terreno, no entender do vereador José Sá Fernandes, com pelouro da Estrutura Verde, “há boas notícias para o Jardim Botânico”.

“O projecto para recuperação dos lagos, da cisterna e de alguns caminhos da água está quase a ser finalizado, devendo ficar completo em Janeiro/Fevereiro, após o que se procederá ao lançamento do concurso” para a realização das obras, disse Sá Fernandes, perante a Assembleia Municipal de Lisboa, respondendo à questão colocada pela deputada municipal Cláudia Madeira, do Partido Ecologista Os Verdes (PEV).

A confirmar-se o lançamento do concurso no primeiro trimestre de 2015, as obras não começarão antes de meados do ano e só em 2016 estarão, eventualmente, concluídas.

Outras questão relativas ao Jardim Botânico, igualmente colocadas pela deputada do PEV, ficaram, porém, sem resposta: “Para quando se prevê que esteja pronto o Plano de Salvaguarda do Jardim? E para quando está previsto o pagamento do subsídio anual que a Câmara Municipal de Lisboa atribuiu ao Jardim Botânico, para manutenção?”.

“O Plano de Salvaguarda está a ser elaborado”, disse apenas o vereador Sá Fernandes, que não se pronunciou sobre o pagamento do subsídio acordado.

 

Texto: Fernanda Ribeiro

  • Maria Papoila
    Responder

    como muitas outras propostas vencedoras do orçamento participativo… ou são alteradas, para ser simpática e não dizer adulteradas, ou nunca são realizadas.

  • Carlos Maciel
    Responder

    Obras no Jardim Botânico só em meados de 2015 http://t.co/gNADLwUgPl

Deixe um comentário.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

O Corvo nasce da constatação de que cada vez se produz menos noticiário local. A crise da imprensa tem a ver com esse afastamento dos media relativamente às questões da cidadania quotidiana.

O Corvo pratica jornalismo independente e desvinculado de interesses particulares, sejam eles políticos, religiosos, comerciais ou de qualquer outro género.

Em paralelo, se as tecnologias cada vez mais o permitem, cada vez menos os cidadãos são chamados a pronunciar-se e a intervir na resolução dos problemas que enfrentam.

Gostaríamos de contar com a participação, o apoio e a crítica dos lisboetas que não se sentem indiferentes ao destino da sua cidade.

Samuel Alemão
s.alemao@ocorvo.pt
Director editorial e redacção

Daniel Toledo Monsonís
d.toledo@ocorvo.pt
Director executivo

Sofia Cristino
Redacção

Mário Cameira
Infografías 

Paula Ferreira
Fotografía

Margarita Cardoso de Meneses
Dep. comercial e produção

Catarina Lente
Dep. gráfico & website

Lucas Muller
Redes e análises

ERC: 126586
(Entidade Reguladora Para a Comunicação Social)

O Corvinho do Sítio de Lisboa, Lda
NIF: 514555475
Rua do Loreto, 13, 1º Dto. Lisboa
infocorvo@gmail.com

Fala conosco!

Faça aqui a sua pesquisa

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com