Estação de comboios de Entrecampos ganha mural de arte urbana pintado por mulheres para combater vandalismo

Estação de comboios de Entrecampos ganha mural de arte urbana pintado por mulheres para combater vandalismo

As estruturas de cimento do acesso pedonal da estação de comboios de Entrecampos serviram de tela a quatro artistas mulheres, nos últimos dois meses. Numa cidade onde a representação feminina no graffiti ainda é pouco visível, os habitantes gostam do que vêem e pedem mais acções do género. A arte urbana, “quando bem enquadrada, embeleza muito a cidade”, diz uma moradora - “é mesmo muito importante que o façam”, reforça.
/

infografia_mario

Telheiras vai ter pólo de troca de materiais e ferramentas e aposta na sustentabilidade ambiental

Telheiras vai ter pólo de troca de materiais e ferramentas e aposta na sustentabilidade ambiental

O bairro foi um dos seis bairros escolhidos, entre 72 a nível mundial, para desenvolver um projecto-piloto do programa “Municipalities in Transition”, da associação Transition Network. O que significa receber apoio financeiro para levar por diante iniciativas baseadas na sustentabilidade. Entre as acções a adoptar contam-se a criação de um centro de recursos, onde se poderá requisitar um vermicompostor, compostor com minhocas, ou um dispositivo para medir os consumos energéticos em casa.
/
Sem utilização desde a Expo’98, Torre Galp vê a sua estabilidade ser avaliada

Sem utilização desde a Expo’98, Torre Galp vê a sua estabilidade ser avaliada

Oito décadas passadas sobre a construção e um par delas sobre a última vez que teve uso, a antiga Torre da Galp, no Parque das Nações, poderá vir a ganhar nova vida. Que até poderá passar pela transformação do topo num miradouro. Mas, antes que isso possa acontecer, terão de ser conhecidos os resultados da avaliação que a Câmara Municipal de Lisboa (CML) mandou fazer à estabilidade e às condições de segurança da estrutura, bem como os custos de uma eventual requalificação.
/

Há muita vida dentro das estações do metropolitano de Lisboa, mas “zonas comerciais precisam de ser renovadas”

Há muita vida dentro das estações do metropolitano de Lisboa, mas “zonas comerciais precisam de ser renovadas”

Nas lojas instaladas nas estações de metro do Campo Grande, Alameda e Marquês de Pombal, há centenas de pessoas a comprarem, todos os dias. A Metrocom, responsável pela gestão das 200 lojas da rede metropolitana, quer, agora, tornar estas áreas “mais agradáveis” e arrendar novos espaços a pop-up stores, quiosques, escolas de línguas, centros clínicos, entre outros. Os comerciantes aplaudem a iniciativa, mas não deixam de fazer reparos.
/
Polémico projecto imobiliário de luxo previsto para a Damasceno Monteiro, na Graça, será viabilizado pelo PSD

Polémico projecto imobiliário de luxo previsto para a Damasceno Monteiro, na Graça, será viabilizado pelo PSD

Em Dezembro passado, CDS, PCP e BE garantiram que votariam contra o projecto imobiliário Terraços do Monte e a decisão final ficou, então, nas mãos do PSD, que estaria indeciso na apreciação do mesmo. Agora, o vereador laranja João Pedro Costa avança a O Corvo que o seu sentido de voto será positivo. Segundo um estudo geológico favorável à construção, não haverá deslizamento dos terrenos.
/

Ambiente. Em destaque

Mobilidade. Em destaque

Urbanismo. Em destaque

Vida na Cidade. Em destaque

Portfólio.  Muitas vezes, o que se passa na cidade pode ser melhor descrito em fotografias. Ei-las

Portfólio

As muitas formas da água na arquitectura da freguesia da Misericórdia, bem no centro de Lisboa

As muitas formas da água na arquitectura da freguesia da Misericórdia, bem no centro de Lisboa

O livro “Arquitectura da Água na Freguesia da Misericórdia”, lançado há poucas semanas pela junta de freguesia daquela área da zona central de Lisboa, recorda a importância da distribuição e do fornecimento do precioso líquido na forma como se foi construindo ao longo dos séculos na capital. Da autoria de Paulo Figueiredo e de distribuição gratuita, a publicação tem o mérito de nos fazer voltar a olhar para infraestruturas tão importantes para a cidade, como o Reservatório da Patriarcal, no Príncipe Real, concluído em 1864, mas também para equipamentos de uso mais localizado, como o Chafariz de São Paulo (1849) e o Lago da Praça das Flores (1859). ...

Galeria de Vídeos. 

O Corvo nasce da constatação de que cada vez se produz menos noticiário local. A crise da imprensa tem a ver com esse afastamento dos media relativamente às questões da cidadania quotidiana.

O Corvo pratica jornalismo independente e desvinculado de interesses particulares, sejam eles políticos, religiosos, comerciais ou de qualquer outro género.

Em paralelo, se as tecnologias cada vez mais o permitem, cada vez menos os cidadãos são chamados a pronunciar-se e a intervir na resolução dos problemas que enfrentam.

Gostaríamos de contar com a participação, o apoio e a crítica dos lisboetas que não se sentem indiferentes ao destino da sua cidade.

Samuel Alemão
s.alemao@ocorvo.pt
Director editorial e redacção

Daniel Toledo Monsonís
d.toledo@ocorvo.pt
Director executivo

Sofia Cristino
Redacção

Mário Cameira
Infografias & Fotografia

Paula Ferreira
Fotografía

Catarina Lente
Dep. gráfico & website

Lucas Muller
Redes e análises

ERC: 126586
(Entidade Reguladora Para a Comunicação Social)

O Corvinho do Sítio de Lisboa, Lda
NIF: 514555475
Rua do Loreto, 13, 1º Dto. Lisboa
infocorvo@gmail.com

Fala conosco!

Faça aqui a sua pesquisa

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com