Os moradores da Vila Berta, no bairro da Graça, ficaram esta semana a saber que a vila será transformada no “Pátio das Cantigas”, durante o mês de Setembro. O remake do clássico do cinema português manterá o essencial do guião, mas acrescentar-lhe-á tuk tuk e lojas gourmet.

 

Texto: Rui Lagartinho                  Fotografia: João Nelson Ferreira

 

A Vila Berta, situada na Graça, foi escolhida pela produtora de cinema Stopline para ser o cenário de uma nova versão de uma das comédias mais populares da história do cinema português, “O Pátio das Cantigas”, realizado por Francisco Ribeiro, em 1942. O realizador, popularmente conhecido como Ribeirinho, também contracenava enquanto actor com Vasco Santana, António Silva e Laura Alves, à frente de um elenco que juntava os mais famosos comediantes desses anos.

 

De acordo com a produtora do filme, que será realizado por Leonel Vieira, “a Vila Berta tem alma e assumirá quase uma personagem no filme: a do pátio onde se congregam as vivências e quotidiano das nossas personagens, sendo um local de casario homogéneo, mas com características singulares, onde os azulejos geométricos e de flores casam na perfeição com o verde do ferro forjado das varandas e alpendres.”

 

A produtora sublinha ainda o facto de na escolha do local ter pesado o facto da Vila Berta, construída pelo empresário Francisco Tojal – baptizada em homenagem à sua única filha -, há mais de cem anos, se manter inalterada. “Não é de todo alheio ao nosso conhecimento este local constituir património de interesse público como testemunho de arquitectura industrial de uma época onde pequenos aglomerados habitacionais de operários tinham um papel importante no desenvolvimento do bairro”, diz.

 

O filme terá uma versão a estrear em sala e uma outra de três episódios a ser exibida pela RTP. Apesar do elenco ainda não estar oficialmente confirmado pela produtora que dará detalhes sobre esta produção numa conferência de imprensa, O Corvo sabe que o elenco contará com os actores Miguel Guilherme e César Mourão nos papéis principais, respectivamente de Evaristo e Narciso.

 

O guião manterá o essencial da comédia de equívocos amorosos que tem como pano de fundo as festas populares de Junho e que fez a popularidade do filme geração após geração. Mas há pormenores que o tornarão mais reconhecível na actualidade, sendo alguns dos negócios da versão original, a drogaria e a leitaria, substituídos por lojas gourmet e carrinhos Tuk-Tuk. E aqui a escolha, pode assegurar quem vive na Vila Berta, não foi mera coincidência. Os Tuk- Tuk, que cedo começam a atravessar a vila carregados de turistas, competem com alguns pássaros teimosos na função de despertador alternativo dos residentes.

 

Coincidência, isso sim, é o facto de O Corvo ter uma varanda com vista sobre o plateau e que usará para dar conta daquele que promete ser um final de Verão muito animado na Vila Berta.

  • Ana Matias
    Responder

    Gostaria de receber novidades do “corvo” no meu e-mail sempre que este fosse atualizado … É possível?

  • Bruno 2
    Responder

    Uff..coitadinhos os moradores.A praga dos tuk tuks..e agora na televisão..

  • Hertizel
    Responder

    Sempre é melhor que os piqueniques do Belmiro e afins, embora como morador da vizinha Tv. da Pereira, me chateie um bocado a produção ter ocupado praticamente metade da minha rua para estacionamento do que suponho serem carrinhas de equipamento.

    (PS. Bom site, que desconhecia)

Deixe um comentário.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

O Corvo nasce da constatação de que cada vez se produz menos noticiário local. A crise da imprensa tem a ver com esse afastamento dos media relativamente às questões da cidadania quotidiana.

O Corvo pratica jornalismo independente e desvinculado de interesses particulares, sejam eles políticos, religiosos, comerciais ou de qualquer outro género.

Em paralelo, se as tecnologias cada vez mais o permitem, cada vez menos os cidadãos são chamados a pronunciar-se e a intervir na resolução dos problemas que enfrentam.

Gostaríamos de contar com a participação, o apoio e a crítica dos lisboetas que não se sentem indiferentes ao destino da sua cidade.

Samuel Alemão
s.alemao@ocorvo.pt
Director editorial e redacção

Daniel Toledo Monsonís
d.toledo@ocorvo.pt
Director executivo

Sofia Cristino
Redacção

Mário Cameira
Infografías 

Paula Ferreira
Fotografía

Margarita Cardoso de Meneses
Dep. comercial e produção

Catarina Lente
Dep. gráfico & website

Lucas Muller
Redes e análises

ERC: 126586
(Entidade Reguladora Para a Comunicação Social)

O Corvinho do Sítio de Lisboa, Lda
NIF: 514555475
Rua do Loreto, 13, 1º Dto. Lisboa
infocorvo@gmail.com

Fala conosco!

Faça aqui a sua pesquisa

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com