A partir de quinta-feira, 15 de Janeiro, entra em vigor a terceira fase das restrições à circulação dos veículos automóveis mais poluentes no centro de Lisboa. A nova fase da introdução das Zonas de Emissões Reduzidas (ZER) impossibilitará a passagem de automóveis ligeiros fabricados antes de 1996 (norma Euro 2) num perímetro que vai da Avenida de Ceuta ao Parque das Nações (Zona 2).

 

Ao mesmo tempo, só poderão circular veículos ligeiros fabricados após Janeiro de 2000 e pesados feitos depois de Outubro do mesmo ano (norma Euro 3), num eixo compreendido entre o Marquês de Pombal e o Terreiro do Paço (Zona 1). Trata-se da aplicação das regras europeia de redução de partículas.

 

Na prática, isto significa que apenas os veículos cumpridores de tais requisitos poderão circular, nos dias úteis, entre as 7h e 21, nessa zona da malha urbana, com excepção para os automóveis pertencentes aos residentes. Estas restrições constituem a terceira fase de um processo iniciado a 4 de Julho de 2011 (primeira fase), que abrangia apenas a Zona 1, e continuado a 1 de Abril de 2012 (segunda fase), já com a aplicação das restrições à Zona 2.

 

O que agora muda é que aumenta ainda mais a exigência face à antiguidade dos carros nas zonas centrais. Quanto mais perto de coração da cidade, menos antigos e poluentes terão de ser. As excepções serão os dois corredores de atravessamento da Zona 1, um na Rua da Conceição e outro na ligação entre a Rua das Pretas e a Praça da Alegria.

 

Para além dos residentes, exista ainda um conjunto de automóveis isentos do cumprimento destas regras. Entre elas estão os veículos de emergência e de pessoas com mobilidade condicionada, veículos da polícia e dos militares, veículos históricos, veículos movidos a GPL ou a gás natural, motociclos, veículos prisionais e veículos blindados de transporte de valores.

 

Já todos os táxis podem circular sem qualquer problema até 30 de Junho. Depois disso, apenas os que respeitem a norma de emissões Euro 1 (vendidos após 1992) ou tenham emissões similares nas zonas 1 e 2. Um ano depois, terão de cumprir a norma Euro 2, e a partir de 1 de Julho de 2017, apenas poderão circular naquelas áreas os que cumpram a norma Euro 3.

 

Mais informações: www.cm-lisboa.pt/viver/mobilidade/zonas-emissoes-reduzidas

 

Texto: Samuel Alemão

  • Maria Papoila
    Responder

    “Residentes” de Lisboa ou de um bairro específico? Será que, por favor, me podem esclarecer esta questão?

  • Isabel Braga
    Responder

    E os tuk-tuk e afins, que deixam atr

  • Isabel Braga
    Responder

    atras nuvens pretas de escape, podem continuar a circular pelas zonas historicas mais sensiveis?

  • José António Estorninho
    Responder

    Residentes nas zonas em questão, Maria Papoila.

  • Manuel Costa
    Responder

    Maria Papoila,
    Em relação às excepções para residentes, de acordo com Anexo II da deliberação municipal as excepções são as seguintes :

    «Veículos pertencentes a residentes quanto ao disposto na alínea a), com dístico de estacionamento de residente das Zonas de Estacionamento de Duração Limitada (ZEDL) n.os 5, 12 e 13; veículos pertencentes a residentes na cidade de Lisboa, quanto ao disposto na alínea b).»

    Sendo que a alinea a) corresponde à zona 1 e a alinea b) à zona 2. Ou seja na Baixa e Avenida de Liberdade só podem circular os residentes com dístico e entre a Av. de Ceuta e Parque da Nações podem circular TODOS os residentes de toda a cidade.

Deixe um comentário.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

O Corvo nasce da constatação de que cada vez se produz menos noticiário local. A crise da imprensa tem a ver com esse afastamento dos media relativamente às questões da cidadania quotidiana.

O Corvo pratica jornalismo independente e desvinculado de interesses particulares, sejam eles políticos, religiosos, comerciais ou de qualquer outro género.

Em paralelo, se as tecnologias cada vez mais o permitem, cada vez menos os cidadãos são chamados a pronunciar-se e a intervir na resolução dos problemas que enfrentam.

Gostaríamos de contar com a participação, o apoio e a crítica dos lisboetas que não se sentem indiferentes ao destino da sua cidade.

Samuel Alemão
s.alemao@ocorvo.pt
Director editorial e redacção

Daniel Toledo Monsonís
d.toledo@ocorvo.pt
Director executivo

Sofia Cristino
Redacção

Mário Cameira
Infografías 

Paula Ferreira
Fotografía

Margarita Cardoso de Meneses
Dep. comercial e produção

Catarina Lente
Dep. gráfico & website

Lucas Muller
Redes e análises

ERC: 126586
(Entidade Reguladora Para a Comunicação Social)

O Corvinho do Sítio de Lisboa, Lda
NIF: 514555475
Rua do Loreto, 13, 1º Dto. Lisboa
infocorvo@gmail.com

Fala conosco!

Faça aqui a sua pesquisa

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com