A abertura da estação da Reboleira do Metropolitano de Lisboa deverá ocorrer “durante o primeiro trimestre de 2016”, confirmou ao Corvo a empresa de transportes públicos. A conclusão da extensão da linha azul do metro àquela freguesia do concelho da Amadora – onde estabelecerá ligação aos comboios da linha de Sintra – é aguardada há muito. Em junho de 2015, chegou a ser anunciado que a mesma se tornaria uma realidade “até ao fim do ano”.

 

Foi nessa altura que se retomaram as obras de ligação entre Amadora-Este e Reboleira, iniciadas em 2009 e que estavam interrompidas desde 2011, quando o país passou a estar sujeito aos ditames da Troika. A abertura chegara a estar prevista para 2012. Quando tal acontecer, por fim, a linha azul do Metro de Lisboa terá uma extensão de 13,7 quilómetros, com 18 estações entre a Reboleira e Santa Apolónia (Lisboa).

 

Texto: Samuel Alemão

 

  • Tuga News
    Responder

    [O Corvo] Metropolitano de Lisboa deverá chegar à Reboleira no primeiro trimestre de 2016 https://t.co/jOAuTYLVjh #lisboa

  • David Fernandes
    Responder

    Apesar de se chamar Reboleira, e bem devido à interface com a estação de comboio com o mesmo nome, a estação fica na verdade na freguesia da Falagueira-Venda Nova, nas antigas fábricas da Sorefame. Já a estação da Amadora-Este fica também na Falagueira-Venda Nova. A outra estação de metro na Amadora fica em Alfornelos. Fica a nota para quem não conhece a zona.

  • Ana Villar
    Responder

    E Campo de Ourique ? E Alcântara ?

  • Ines Paulo
    Responder

    Parece-me que Alcantara beneficiaria bastante. Campo de Ourique francamente não concordo.

  • Patrícia Fernandes
    Responder

    Pois, se calhar mais valia que chegasse a pontos chave dentro de Lisboa, tipo Alcântara, Belém, campo de Ourique ou amoreiras. Depois disso então alargar mais para a área suburbana.

    • David Fernandes
      Responder

      As pessoas das cidades ao lado de Lisboa que paguem com os seus impostos os transportes dos lisboetas… Pois é bom, mas não é para eles isso de transportes metropolitanos.

Deixe um comentário.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

O Corvo nasce da constatação de que cada vez se produz menos noticiário local. A crise da imprensa tem a ver com esse afastamento dos media relativamente às questões da cidadania quotidiana.

O Corvo pratica jornalismo independente e desvinculado de interesses particulares, sejam eles políticos, religiosos, comerciais ou de qualquer outro género.

Em paralelo, se as tecnologias cada vez mais o permitem, cada vez menos os cidadãos são chamados a pronunciar-se e a intervir na resolução dos problemas que enfrentam.

Gostaríamos de contar com a participação, o apoio e a crítica dos lisboetas que não se sentem indiferentes ao destino da sua cidade.

Samuel Alemão
s.alemao@ocorvo.pt
Director editorial e redacção

Daniel Toledo Monsonís
d.toledo@ocorvo.pt
Director executivo

Sofia Cristino
Redacção

Mário Cameira
Infografías 

Paula Ferreira
Fotografía

Margarita Cardoso de Meneses
Dep. comercial e produção

Catarina Lente
Dep. gráfico & website

Lucas Muller
Redes e análises

ERC: 126586
(Entidade Reguladora Para a Comunicação Social)

O Corvinho do Sítio de Lisboa, Lda
NIF: 514555475
Rua do Loreto, 13, 1º Dto. Lisboa
infocorvo@gmail.com

Fala conosco!

Faça aqui a sua pesquisa

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com