Medina diz que gosta do projecto do “mono do Rato”, mas não naquele sítio

ACTUALIDADE
Samuel Alemão

Textos

URBANISMO

Santo António

1 Março, 2018

O presidente da Câmara Municipal de Lisboa (CML), Fernando Medina (PS), considera desadequado o enquadramento do edifício a construir no gaveto do Largo do Rato com as ruas do Salitre e Alexandre Herculano, e anuncia que a autarquia “entrará em diálogo” com os promotores do projecto para tentar “minorar o impacto na zona”. Respondendo ao apelo de um munícipe, durante a reunião pública de vereação realizada na tarde desta quarta-feira (28 de fevereiro), Medina diz que tudo fará para não passar a ser etiquetado como o autarca responsável pelo “mono do Rato” – nome pelo qual é mais conhecido o polémico projecto assinado pelos arquitectos Manuel Aires Mateus e Frederico Valsassina. Obra que, diz o autarca, criará uma “descontinuidade estranha” naquele sítio. Ainda assim, admitiu a sua impotência para travar o avanço do projecto, dado os “direitos adquiridos” de construção da empresa que pretende erguer o edifício.

“Tenho um enorme respeito pelos arquitectos. São dois dos melhores arquitectos que o país tem. Um deles, entretanto, galardoado com o Prémio Pessoa. Sou um grande admirador da obra dele e, certamente, da obra que ainda nos vai deixar na cidade. E até gosto do projecto em si”, disse o presidente da câmara, referindo-se ao imóvel que foi desenhado pela dupla de arquitectos em 2004, mas cuja autorização de construção conheceu um processo atribulado, nos seis anos seguintes. Desde 2011 que nada se sabia sobre o efectivo avanço da construção. Até há duas semanas, quando o actual quarteirão onde deverá ser edificado começou a ser rodeado por tapumes, antecipando a sua demolição. Reacendeu-se, então, a contestação popular ao avanço da obra, pelo mesmos motivos de sempre: o enorme impacto visual causado naquela área. Descontentamento ao qual, aparentemente, se junta agora Medina.

“Eu não gosto do projecto naquele sítio, acho que não é um bom projecto para aquele sítio. Acho que o projecto não é bonito naquele sítio, que cria uma disfunção naquele sítio, uma ruptura naquele local”, afirmou o presidente da Câmara de Lisboa, referindo, de seguida, que estava apenas a dar a sua opinião pessoal sobre o projecto. “A verdade é esta: não serei eu o presidente do ‘mono do Rato’. O projecto foi aprovado na câmara em 2005 e foi alvo de um intenso contencioso jurídico entre os promotores e a câmara, ao longo de vários anos. Foi alvo de um acordo em 2010 e agora é retomada a iniciativa de algo a que os promotores têm direito, de um licenciamento que foi efectuado”, acrescentou, antes de revelar o que a autarquia pensa fazer para apaziguar os protestos.

“O que podemos fazer é ter um diálogo com os promotores e tentar encontrar, na minha opinião, uma solução que minore o impacto da adaptação da zona. Não garanto o sucesso da operação”, disse, salientando, de seguida, que “o projecto está aprovado desde 2oo5” – na verdade, e como o próprio referira momentos antes, o projecto encontra-se aprovado desde dezembro de 2010, após o já mencionado acordo. Fernando Medina disse ainda ao munícipe que o interpelara sobre o “mono do Rato” que, com ele, “partilhava” a apreciação sobre o “gosto” e o “enquadramento daquele edifício, naquele local”. Mas, logo de seguida, fez questão de salientar que “aquele edifício, noutro local, seria extraordinariamente valorizador”, independentemente do onde se viesse a inserir. Mas, afinal, admite Medina, no sítio onde deverá surgir o prédio vai-se “criar uma descontinuidade estranha, principalmente com o início da Rua da Escola Politécnica e com a sede do PS, no Largo do Rato, com a igreja e com os edifícios contíguos, que precisam de levar uma certa volta”.

MAIS
ACTUALIDADE

COMENTÁRIOS

  • Paulo Ferrero
    Responder

    Atente-se na manipulação desta imagem: o novo edifício vai ser muito mais alto que o prédio de Ventura Terra, mas aqui aparece como sendo da mesma altura, o que é delirante.

  • Responder

    Medina e Pilatos … Medina tenta ‘lavar as suas mãos’ em Público, declarando estar inibido e impotente perante os direitos adquiridos pelo Promotor concedidos há 13 anos pelo Licenciamento de Eduarda Napoleão no mandato de Santana Lopes. Se o problema reside na insensibilidade dos Arquitectos sendo eles, “dois dos melhores que o país tem”. ou não , mude-se então de Projecto de Arquitectura. Os argumentos de que ‘vou tentar melhorar’ e sensibilizar, correm o risco de criar um híbrido. O Projecto de Arquitectura é mau desde o princípio. Está completamente descontextualizado e é insensível, afirmativo por ruptura e autista em relação “ao genius Loci”/ Espírito do Local, na perspectiva da envolvente. Para que elegemos então um Presidente da CML ? Para apenas tentar ‘sacudir a água do capote’ em versão Lusa de Pilatos ?
    António Sérgio Rosa de Carvalho / OVOODOCORVO

  • Bimbo
    Responder

    Ó Medina aquilo é uma barbaridade. Ao estilo do centro comercial cidadela de Cascais. Nem é a arquitectura q é feia como tudo. É a volumetria que está totalmente desajustada. É uma violência visual.
    Já vais ficar conhecido pelos engarrafamentos da Fontes Pereira de Melo.
    Embora na Baixa e Cais do Sodré tenhas feito um bom trabalho.

  • Helena Espvall
    Responder

    Horroroso caixote mais desenquadrado!! Eu gostaria de ouvir os senhores arquitectos estrelados justificar esta aberração!! Vergonhoso!!

  • anonimous
    Responder

    Esta matéria nada tem a ver com questões de gosto…O local necessita de um projecto de boa arquitectura que dê coerência ao desenho urbano… Investiguem sim em que condições foi aprovada a volumetria do edifício….ainda se descobre que foi com base em falsas declarações dos técnicos autores que empolaram as cérceas dos vizinhos e com a conivência de todos os outros..técnicos, políticos e juízes…a impunidade é total. Será mais um hotel a contribuir para a gentrificação certo??

  • Blabber
    Responder

    Nesta imagem o “mono” parece ocupar o “espaço aéreo” do passeio e da saída do metro. Isso é possível?

    • pacheco
      Responder

      ..esta imagem nada tem a ver com a volumetria real do que está projectado…o mono não vai ocupar espaço aéreo. Vai é ser “vazio” libertando passeio naquele canto através de um buraco…nem tudo é mau, certo….

  • Álvaro Pereira
    Responder

    Nem naquele lugar nem em lado nenhum!
    Aquilo é horrendo!

  • José N.
    Responder

    Uma vergonha. O Presidente Medina precisa é aprender a ser Presidente da Câmara e a não sacudir água do capote ou a ser presidente-facebook.

  • Catarina de Macedo
    Responder

    Vai ficar conhecido como o presidente do mono do Rato sim senhor. Não utilizou todos os meios que tinha para o impedir. Fingiu-se preocupado, como se finge com tudo quando há polémica, mas depois desculpa-se e deixa as coisas continuarem como estão. Não é a alegação de impotência (do Presidente da CML veja-se bem) que lhe vai tirar a culpa. Não existe supostamente (ou terei sonhado?) um impedimento legal ou antes uma lei que visa a preservação da traça histórica da cidade, supostamente dificultando a aprovação deste tipo de projectos? E que tal alegar isso para impedir a construção? Se tal lei não existe, que façam pressão para que ela exista. Que convoquem um referendo, que puxem os cordelinhos políticos para algo realmente útil que não seja apenas para favores pessoais.

  • lukas
    Responder

    Uma autentica aberração!

  • lukas
    Responder

    Quando eu olho para isso faz-me lembrar aqueles prédios dos bairros sociais…
    Não sou contra a modernidade, pelo contrário, mas isso é realmente horrível!

  • João Fernandes
    Responder

    Mais um exemplo de como a vontade minoritária e nada representativa da vontade da maioria dos Lisboetas triunfa … não se trata de estarmos aqui a ser velhos do restelo, a inovação e modernidade é bem vinda mas isto vem acabar com qualquer esperança de recuperação do Largo do Rato. É uma pena porque, tal como a Praça das Flores, o edíficado do Largo do Rato está praticamente intacto e sem elementos descaracterizadores, havendo um bom plano de reordenamento da circulação do trãnsito era possível a transformação numa praça central de grande destaque.

    Há também o problema de uma elite que se acha detentora da verdade sobre a estética da cidade e que considera a vasta maioria de críticas como sendo de pessoas ignorantes que não percebem nada de urbanismo e arquitectura. Acho que não é preciso ser-se arquitecto para considerar esta coisa como uma aberração e como o repetir de erros do passado (Hotel Mundial, Edíficio das Franjas, Xenon, entre muitos outros) e alguns mais recentes (Sede da EDP, o nº 21 da Praça do Saldanha, entre outros também). Isto não é nada contra os projectos em si, é contra o facto de terem sido martelados onde estão …

  • D X
    Responder

    O Largo do Rato já é um sítio algo desagradável com tanto trânsito e confusão de faixas rodoviárias. Este mono só vai piorar.

Deixe um comentário.

O Corvo nasce da constatação de que cada vez se produz menos noticiário local. A crise da imprensa tem a ver com esse afastamento dos media relativamente às questões da cidadania quotidiana.

O Corvo pratica jornalismo independente e desvinculado de interesses particulares, sejam eles políticos, religiosos, comerciais ou de qualquer outro género.

Em paralelo, se as tecnologias cada vez mais o permitem, cada vez menos os cidadãos são chamados a pronunciar-se e a intervir na resolução dos problemas que enfrentam.

Gostaríamos de contar com a participação, o apoio e a crítica dos lisboetas que não se sentem indiferentes ao destino da sua cidade.

Samuel Alemão
s.alemao@ocorvo.pt
Director editorial e redacção

Daniel Toledo Monsonís
d.toledo@ocorvo.pt
Director executivo

Sofia Cristino
Redacção

Mário Cameira
Infografías 

Paula Ferreira
Fotografía

Margarita Cardoso de Meneses
Dep. comercial e produção

Catarina Lente
Dep. gráfico & website

Lucas Muller
Redes e análises

ERC: 126586
(Entidade Reguladora Para a Comunicação Social)

O Corvinho do Sítio de Lisboa, Lda
NIF: 514555475
Rua do Loreto, 13, 1º Dto. Lisboa
infocorvo@gmail.com

Fala conosco!

Faça aqui a sua pesquisa

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com

Send this to a friend