Por iniciativa de um aficionado da leitura, o Parque da Quinta das Conchas, no Lumiar, tem uma pequena biblioteca onde se pode trocar gratuitamente livros. A selecção, garantimos nós, foi feita com esmero e a pensar em todos os gostos e idades.

 

 

Texto: Rui Lagartinho         Fotografias: Paula Ferreira

 

 

Se estivesse vazia, poderia confundir-se com uma casa para guardar um serviço de chá para bonecas ou um pequeno pombal. Mas, como está cheia de livros, não restam dúvidas quanto à sua utilidade. É uma pequena biblioteca ao serviço da romântica ideia que está na origem do movimento internacional Book Crossing: levanta um livro, deixa outro. Esta do Parque da Quinta das Conchas, no Lumiar, tem um nome oficial Conchas Little Free Library #32875.

 

Mas aqui a diferença está na pessoa que a dinamiza: Jorge Sequeira, médico pediatra, 57 anos, leitor voraz e apaixonado pela partilha de livros. Foi ele quem imaginou esta livraria, situada junto a uma das entradas do Parque da Quinta das Conchas desde Novembro do ano passado. “É uma experiência que estamos a fazer. Em Novembro, vamos fazer um balanço. O arranque é sempre difícil. As pessoas passam, olham, desconfiam e, só depois de vencer a timidez, entram no espírito”, confessa.

 

Se o Jorge estiver por perto, é natural que se detenham à conversa, senão “levam o livro e já está. Aqui não há justificações a dar a ninguém. Se quiserem, podem deixar uma palavra de estímulo no caderno de apontamentos. E muitos fazem-no”, diz-nos, enquanto nos mostra, orgulhoso, as mensagens aqui deixadas por alguns dos cerca de 800 leitores que, nos últimos meses, já levaram livros para ler em casa. Experimentar também é possível, logo ali no banco ao lado. Tudo sem horários, a estante está sempre aberta.

 

P1070564 (4)

 

A biblioteca, que é sobretudo abastecida pela biblioteca pessoal de Jorge Sequeira, tenta ser a mais diversificada possível. No final de manhã em que O Corvo esteve no Parque da Quinta das Conchas, alinhavam-se livros de Mário de Carvalho, Daniel Goleman, Miguel Esteves Cardoso, Jane Austen, Júlio Verne, Dostoievsky ou João Ubaldo Ribeiro. “Sou eu que faço estas misturas. E há autores que, quando anuncio que vou pôr, são um sucesso. É o caso dos livros ditos de auto-ajuda ou de ficção mais leve”, sorri.

 

Na atitude cativante de Jorge Sequeira, misturam-se o altruísmo e a pedagogia didáctica ou não fosse ele médico pediatra: “Se há melhor remédio para alma que um livro, ele ainda está por descobrir”, conclui. “Isto dá muito trabalho. Os meus filhos, que aliás não são grandes leitores, muitas vezes gabam-me a paciência. Mas eu não me importo”.

 

P1070519 (4)

 

Observamos que a quase totalidade dos transeuntes passa ao largo da biblioteca na sua caminhada habitual. “O português desconfia do que não conhece ou do que lhe é oferecido. Mas essa atitude, por exemplo, muda com as crianças, que são mais expansivas e naturais”, conclui o book crosser do Parque da Quinta das Conchas.

 

É a pensar neles que, este fim-de-semana, no sábado (21 de maio), a partir das 15h, se organiza mais uma tarde da iniciativa “Ler é uma festa”. “Espalho umas toalhas, trago canetas e lápis de pintar e distribuo uns livros. É sempre um sucesso”, sorri o também pediatra, antecipando o sucesso das tardes de Verão no Parque da Quinta das Conchas.

 

 

  • Joaquim Calado
    Responder

    Não será à discrição?

    • O Corvo
      Responder

      Tem razão. Pedimos desculpa pelo erro aos nossos leitores. O título já foi corrigido no artigo. Infelizmente, o mesmo não pode ser feito no FB. Obrigado. Cumprimentos.

  • RafaelEstevesMartins
    Responder

    Livros à discrição na Quinta das Conchas https://t.co/OECDlJaUkc

Deixe um comentário.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

O Corvo nasce da constatação de que cada vez se produz menos noticiário local. A crise da imprensa tem a ver com esse afastamento dos media relativamente às questões da cidadania quotidiana.

O Corvo pratica jornalismo independente e desvinculado de interesses particulares, sejam eles políticos, religiosos, comerciais ou de qualquer outro género.

Em paralelo, se as tecnologias cada vez mais o permitem, cada vez menos os cidadãos são chamados a pronunciar-se e a intervir na resolução dos problemas que enfrentam.

Gostaríamos de contar com a participação, o apoio e a crítica dos lisboetas que não se sentem indiferentes ao destino da sua cidade.

Samuel Alemão
s.alemao@ocorvo.pt
Director editorial e redacção

Daniel Toledo Monsonís
d.toledo@ocorvo.pt
Director executivo

Sofia Cristino
Redacção

Mário Cameira
Infografías 

Paula Ferreira
Fotografía

Margarita Cardoso de Meneses
Dep. comercial e produção

Catarina Lente
Dep. gráfico & website

Lucas Muller
Redes e análises

ERC: 126586
(Entidade Reguladora Para a Comunicação Social)

O Corvinho do Sítio de Lisboa, Lda
NIF: 514555475
Rua do Loreto, 13, 1º Dto. Lisboa
infocorvo@gmail.com

Fala conosco!

Faça aqui a sua pesquisa

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com