A Livraria Municipal de Lisboa, cujo futuro poderá passar pelo encerramento do seu espaço físico na Avenida da República, ganhou agora uma loja online e, desde quinta-feira (12 de maio), está acessível em www.cm-lisboa.pt/livraria-municipal, sítio através do qual os leitores podem conhecer e adquirir os mais variados livros sobre a temática de Lisboa.

 

Logo na página inicial, há dois destaques para obras que estão à venda na Livraria Municipal, agora também online. “Extraordinários sucessos do Terramoto de 1755. Memória histórica de Frei Tomás de Aquino” é um livro onde se reproduz um manuscrito redigido em 1758, por Frei Tomás de Aquino. Outro destaque vai para a obra “Lisboa: a exaltação do ferro”, de António Osório de Castro e Gustavo de Almeida Ribeiro.

 

Para quem goste de Lisboa, o sítio da Livraria Municipal proporciona grandes viagens, em pensamento, a pé ou a pedal: “Lisboa a pé e a pedais” é, aliás, um novo título, de Ana Varandas, agora à venda na nova loja virtual – onde os temas são muitos: arquitectura e urbanismo, arte, banda desenhada, fotografia, história, literatura, património, toponímia ou ainda obras das colecções Pensar Lisboa e Viver Lisboa.

 

Vale a pena visitar o sítio virtual da Livraria Municipal de Lisboa, até porque, provavelmente, o mesmo substituirá o espaço físico que a loja ocupa na Avenida da República, 21, um edifício que a Câmara Municipal de Lisboa há muito pretende alienar. Logo na página de abertura do sítio, a Livraria Municipal apela a que os leitores a visitem na Feira do Livro de Lisboa, de 26 de Maio a 6 de Junho.

 

O Corvo contactou a câmara, na tentativa de apurar qual a decisão tomada sobre o futuro da Livraria Municipal, mas a resposta obtida agora foi a mesma obtida em Janeiro passado, quando O Corvo questionara a autarquia: não é oportuno falar sobre o futuro da Livraria Municipal, tem sido a resposta.

 

“A livraria municipal, enquanto projecto e enquanto equipamento municipal, está em fase de estudo e de definição, sendo prematuro veicular qualquer informação sobre o seu futuro”, informa a autarquia.

 

Texto: Fernanda Ribeiro

 

Deixe um comentário.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

O Corvo nasce da constatação de que cada vez se produz menos noticiário local. A crise da imprensa tem a ver com esse afastamento dos media relativamente às questões da cidadania quotidiana.

O Corvo pratica jornalismo independente e desvinculado de interesses particulares, sejam eles políticos, religiosos, comerciais ou de qualquer outro género.

Em paralelo, se as tecnologias cada vez mais o permitem, cada vez menos os cidadãos são chamados a pronunciar-se e a intervir na resolução dos problemas que enfrentam.

Gostaríamos de contar com a participação, o apoio e a crítica dos lisboetas que não se sentem indiferentes ao destino da sua cidade.

Samuel Alemão
s.alemao@ocorvo.pt
Director editorial e redacção

Daniel Toledo Monsonís
d.toledo@ocorvo.pt
Director executivo

Sofia Cristino
Redacção

Mário Cameira
Infografías 

Paula Ferreira
Fotografía

Margarita Cardoso de Meneses
Dep. comercial e produção

Catarina Lente
Dep. gráfico & website

Lucas Muller
Redes e análises

ERC: 126586
(Entidade Reguladora Para a Comunicação Social)

O Corvinho do Sítio de Lisboa, Lda
NIF: 514555475
Rua do Loreto, 13, 1º Dto. Lisboa
infocorvo@gmail.com

Fala conosco!

Faça aqui a sua pesquisa

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com