Lisboa não é uma aldeia

ACTUALIDADE
Lúcia Coelho

Texto

DR

Fotografia

CULTURA
VIDA NA CIDADE

Cidade de Lisboa

31 Março, 2013

Dos quase 600 mil habitantes de Lisboa, quantos ainda se cumprimentam na rua, mesmo sem se conhecerem? João Manuel Serra fê-lo, durante vários anos, e, hoje, conhecemo-lo como o Senhor do Adeus. Agora passado ao cinema.

 

 

Estreia amanhã (1 de Abril), no Cinema São Jorge, o documentário “Estórias”, de João Gomes, que parte da figura do Senhor do Adeus para tentar mostrar o que há de ficcional na vida de cada um dos personagens, de cada um de nós, no fundo. Num voyeurismo dissimulado, seguimos o dia-a-dia de Helena, Frederico e Joana, tendo como mestre de cerimónias João Serra, o Senhor do Adeus.

 

“Estórias” é um filme de “remédios”, de pessoas que perceberam que os seus hobbies eram, afinal, a peça essencial do puzzle: Frederico organiza jantares para grupos de pessoas que não se conhecem, algures em Alfama, e vive uma agitada vida nocturna; Helena passa cerca de duas a três horas por dia no ginásio e Joana faz parte da massa anónima de figurantes que enchem plateias de programas de televisão. João Manuel Serra acena e agradece a quem passa por ele no Saldanha.


 

O pouco que sabemos de João Serra é suficiente para perceber que não era mais um louco da cidade. Nasceu em 1931, em Lisboa, no seio de uma família abastada  e fez várias viagens pelo mundo, com a mãe. Usava um casaco comprido, um cachecol solto em frente ao peito, trazia quase sempre um saco de plástico e, enquanto acenava, também sorria e “transformava Lisboa numa aldeia. Tenho mais amigos e parentes assim”, dizia.

 

João Serra era um reconhecido amante de cinema e, durante quase uma década, foi todos os domingos ao Monumental, com o pianista de jazz e realizador Filipe Melo. “No dia em que o convidei a participar na curta-metragem “I’ll See You in My Dreams”, fomos jantar ao PizzaHut da Fontes Pereira de Melo e falámos dos filmes dos irmãos Marx, do Fred Astaire e de como esteve na rodagem de “Ao Serviço de Sua Majestade” e viu George Lazenby ser corrido do Casino Estoril com uma bebedeira. Gostava mesmo muito de filmes e sabia daquilo.”

 

Em 2009, depois de terem assistido à estreia do filme 2012, criaram um blogue sobre cinema, onde cada um, juntamente com Tiago Carvalho, escrevia a sua opinião sobre o filme que tinham visto nesse domingo. “Os comentários dele eram tão engraçados e tão humanos que achei que aquilo tinha mesmo de ser partilhado com o mundo”, explica Filipe.

 

Mais tarde, e já postumamente, o blogue deu origem ao livro O Senhor do Adeus – Tertúlia Semanal de Cinema, e o que era um simples acenar tornou-se um fenómeno mediático.

 

Filipe Melo revela ao Corvo que João gostava de musicais. “De vez em quando, estava de mau humor e odiava alguns filmes, por causa disso”, diz Filipe. O realizador considera que ele teve a coragem de fazer aquilo que realmente lhe dava prazer. Porquê? Não sabemos, mas, na verdade, “o espaço para que cada um tirasse a sua conclusão, essa é a verdadeira beleza do que ele fazia e, pelos vistos, ainda faz.”

Trailer: http://youtu.be/8sEhVIGQBEY

MAIS ACTUALIDADE

COMENTÁRIOS

O Corvo nasce da constatação de que cada vez se produz menos noticiário local. A crise da imprensa tem a ver com esse afastamento dos media relativamente às questões da cidadania quotidiana.

O Corvo pratica jornalismo independente e desvinculado de interesses particulares, sejam eles políticos, religiosos, comerciais ou de qualquer outro género.

Em paralelo, se as tecnologias cada vez mais o permitem, cada vez menos os cidadãos são chamados a pronunciar-se e a intervir na resolução dos problemas que enfrentam.

Gostaríamos de contar com a participação, o apoio e a crítica dos lisboetas que não se sentem indiferentes ao destino da sua cidade.

Samuel Alemão
s.alemao@ocorvo.pt
Director editorial e redacção

Daniel Toledo Monsonís
d.toledo@ocorvo.pt
Director executivo

Sofia Cristino
Redacção

Mário Cameira
Infografias & Fotografia

Paula Ferreira
Fotografía

Catarina Lente
Dep. gráfico & website

Lucas Muller
Redes e análises

ERC: 126586
(Entidade Reguladora Para a Comunicação Social)

O Corvinho do Sítio de Lisboa, Lda
NIF: 514555475
Rua do Loreto, 13, 1º Dto. Lisboa
infocorvo@gmail.com

Fala conosco!

Faça aqui a sua pesquisa

Send this to a friend