Começaram há poucos dias e, se tudo correr como o planeado, deverão estar terminadas em julho próximo as obras que conferirão um aspecto completamente diferente ao Largo do Calvário, em Alcântara. Parte do programa municipal “Uma Praça em Cada Bairro”, aprovado em maio de 2014, com o intuito de revolucionar o espaço público em três dezenas de praças da capital, criando com isso novas centralidades locais, a intervenção agora iniciada aplicará a mesma receita que está prevista para os outros sítios: maior e melhor espaço para os peões, plantação de árvores, redução ou desvio do tráfego automóvel particular, privilégio dos transportes colectivos e das formas de mobilidade suave, como as bicicletas. A requalificação naquela zona de Alcântara, que deveria ter arrancado no ano passado, permitirá assim criar ali mais zonas de estar e esplanadas.

 

Além dessa intervenção comum a todo o programa, no Largo do Calvário assistir-se-á ainda à reinstalação de um chafariz que já ali havia estado há muitos anos. O arranjo deste arruamento será feito em paralelo com a intervenção do mesmo cariz planeada para o vizinho Largo das Fontaínhas – a partir do qual se tem acesso à Rua Rodrigues Faria, que permite entrar no espaço Lx Factory. Na primeira fase das obras no Largo do Calvário, que durarão até março, a circulação automóvel será ali fortemente condicionada, bem como nos arruamentos adjacentes. O trânsito será vedado no sentido poente-nascente do largo, excepto aos transportes públicos. A segunda fase dos trabalhos, que corresponderá a obras de vulto na Rua José Dias Coelho, acarretará um maior transtorno na circulação, disse ao Corvo o presidente da Junta de Freguesia de Alcântara, Davide Amado (PS).

 

Texto: Samuel Alemão

 

  • Carlos Maciel
    Responder

    Largos do Calvário e das Fontaínhas ganham nova cara até ao início do verão https://t.co/wW7ki7kMBs

  • Bruno
    Responder

    Alguém sabe se vão alterar algo em relação à calçada??
    Já que em vários lugares de Lisboa a calçada está a ser substituída por pedra, supostamente lisboeta..

  • Vanda Goncalves
    Responder

    e quando se vai fazer uma queixa à policia, onde é que se pára o carro? ou espera-se internamente pelo autocarro que não passa nas paragens do bairro? ou paga-se o táxi para além do “desfalque” do roubo …. pondo a hipótese que não foi o carro roubado …

Deixe um comentário.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

O Corvo nasce da constatação de que cada vez se produz menos noticiário local. A crise da imprensa tem a ver com esse afastamento dos media relativamente às questões da cidadania quotidiana.

O Corvo pratica jornalismo independente e desvinculado de interesses particulares, sejam eles políticos, religiosos, comerciais ou de qualquer outro género.

Em paralelo, se as tecnologias cada vez mais o permitem, cada vez menos os cidadãos são chamados a pronunciar-se e a intervir na resolução dos problemas que enfrentam.

Gostaríamos de contar com a participação, o apoio e a crítica dos lisboetas que não se sentem indiferentes ao destino da sua cidade.

Samuel Alemão
s.alemao@ocorvo.pt
Director editorial e redacção

Daniel Toledo Monsonís
d.toledo@ocorvo.pt
Director executivo

Sofia Cristino
Redacção

Mário Cameira
Infografías 

Paula Ferreira
Fotografía

Margarita Cardoso de Meneses
Dep. comercial e produção

Catarina Lente
Dep. gráfico & website

Lucas Muller
Redes e análises

ERC: 126586
(Entidade Reguladora Para a Comunicação Social)

O Corvinho do Sítio de Lisboa, Lda
NIF: 514555475
Rua do Loreto, 13, 1º Dto. Lisboa
infocorvo@gmail.com

Fala conosco!

Faça aqui a sua pesquisa

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com