É uma praça central da cidade de Lisboa, mas está hoje entregue à triste função de estacionamento automóvel e de mero local de passagem do trânsito. O Largo de São Sebastião da Pedreira, na freguesia das Avenidas Novas, poderá vir a ganhar uma outra dignidade ao ser requalificado à imagem da metodologia seguida pelo programa Uma Praça em Cada Bairro. Isto caso a Câmara Municipal de Lisboa (CML) siga a recomendação para o reabilitar, aprovada por unanimidade na última sessão da Assembleia Municipal de Lisboa (AML), realizada na passada terça-feira (17 de Novembro).

 

O documento apresentado pelo Partido Ecologista “Os Verdes” (PEV) pede à câmara que “promova um projecto de requalificação para o Largo de São Sebastião da Pedreira, salvaguardando a traça histórica e turística do local” e que “pondere implementar uma melhor arborização do largo, bem como medidas de reordenamento e de acalmia de tráfego que melhorem a segurança da mobilidade pedonal e potenciem a vivência local”. E, por fim, recomenda que a CML envolva nesse processo os órgãos locais do município e a população residente, promovendo a atempada apresentação pública do projecto a desenvolver.

 

No fundo, trata-se de adoptar para aquele local – utilizado, sobretudo, como zona de passagem automóvel entre Saldanha e Picoas e a Avenida António Augusto de Aguiar, mas também como parque de estacionamento – uma solução urbanística idêntica à preconizada pelo programa Uma Praça em Cada Bairro para outras três centralidades da capital. Isto é: mais e melhor espaço público, com áreas pedonais alargadas, espaços verdes, esplanadas e privilegiando as formas de mobilidade suave, como a bicicleta. A ideia é, diz a recomendação, criar “uma nova microcentralidade que a consagre como local de excelência para ponto de encontro, estadia e actividades lúdicas”.

 

No texto de enquadramento da recomendação apresentada pelos Verdes e votada favoravelmente por todos os deputados da AML, destacam-se as riquezas histórica e arquitectónica daquele local, as quais lhe conferem importância simbólica. “As primeiras construções na Rua e Largo de São Sebastião da Pedreira datam de meados do século XVI, constituindo já à época uma das saídas da cidade de Lisboa, por ser uma via de continuação da Rua de Santa Marta”, explica-se, antes de ser referida a existência de edifícios notáveis, como o palácio construído em 1730 e onde ainda hoje funciona a sede do Quartel-General do Exército, mas também o Palácio de Sá da Bandeira ou ainda o antigas vilas operárias recuperadas.

 

Texto: Samuel Alemão

 

 

  • Jorge Parente Baptista
    Responder

    faz uns oito anos que esteve previsto fazer ali um parque de estacionamento subterrâneo, mas nunca avançou..oxalá arranjem uma solução para esta parte..

  • Tuga News
    Responder

    [O Corvo] Largo de São Sebastião da Pedreira também deverá ser requalificado   https://t.co/xtWnPgpBDl #lisboa

  • Anónimo
    Responder

    Quando dizem que vão requalificar qualquer “coisa” fico logo de pé atrás, faz-me sempre lembrar as obras de Santa Engrácia. Até as obras de requalificação dos Terraços do Carmo que foram inauguradas no 10 de Junho (para inglês ver) não estão concluidas a 100%. Cambada de gente incompetente!

  • Paulo Ferrero
    Responder

    (y) ora bem 😉

  • Helena Martins
    Responder

    Por acaso alguém sabe quando vão terminar as obras na Praça Dr. Francisco Sá Carneiro?

Deixe um comentário.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

O Corvo nasce da constatação de que cada vez se produz menos noticiário local. A crise da imprensa tem a ver com esse afastamento dos media relativamente às questões da cidadania quotidiana.

O Corvo pratica jornalismo independente e desvinculado de interesses particulares, sejam eles políticos, religiosos, comerciais ou de qualquer outro género.

Em paralelo, se as tecnologias cada vez mais o permitem, cada vez menos os cidadãos são chamados a pronunciar-se e a intervir na resolução dos problemas que enfrentam.

Gostaríamos de contar com a participação, o apoio e a crítica dos lisboetas que não se sentem indiferentes ao destino da sua cidade.

Samuel Alemão
s.alemao@ocorvo.pt
Director editorial e redacção

Daniel Toledo Monsonís
d.toledo@ocorvo.pt
Director executivo

Sofia Cristino
Redacção

Mário Cameira
Infografías 

Paula Ferreira
Fotografía

Margarita Cardoso de Meneses
Dep. comercial e produção

Catarina Lente
Dep. gráfico & website

Lucas Muller
Redes e análises

ERC: 126586
(Entidade Reguladora Para a Comunicação Social)

O Corvinho do Sítio de Lisboa, Lda
NIF: 514555475
Rua do Loreto, 13, 1º Dto. Lisboa
infocorvo@gmail.com

Fala conosco!

Faça aqui a sua pesquisa

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com