É uma praça central da cidade de Lisboa, mas está hoje entregue à triste função de estacionamento automóvel e de mero local de passagem do trânsito. O Largo de São Sebastião da Pedreira, na freguesia das Avenidas Novas, poderá vir a ganhar uma outra dignidade ao ser requalificado à imagem da metodologia seguida pelo programa Uma Praça em Cada Bairro. Isto caso a Câmara Municipal de Lisboa (CML) siga a recomendação para o reabilitar, aprovada por unanimidade na última sessão da Assembleia Municipal de Lisboa (AML), realizada na passada terça-feira (17 de Novembro).

 

O documento apresentado pelo Partido Ecologista “Os Verdes” (PEV) pede à câmara que “promova um projecto de requalificação para o Largo de São Sebastião da Pedreira, salvaguardando a traça histórica e turística do local” e que “pondere implementar uma melhor arborização do largo, bem como medidas de reordenamento e de acalmia de tráfego que melhorem a segurança da mobilidade pedonal e potenciem a vivência local”. E, por fim, recomenda que a CML envolva nesse processo os órgãos locais do município e a população residente, promovendo a atempada apresentação pública do projecto a desenvolver.

 

No fundo, trata-se de adoptar para aquele local – utilizado, sobretudo, como zona de passagem automóvel entre Saldanha e Picoas e a Avenida António Augusto de Aguiar, mas também como parque de estacionamento – uma solução urbanística idêntica à preconizada pelo programa Uma Praça em Cada Bairro para outras três centralidades da capital. Isto é: mais e melhor espaço público, com áreas pedonais alargadas, espaços verdes, esplanadas e privilegiando as formas de mobilidade suave, como a bicicleta. A ideia é, diz a recomendação, criar “uma nova microcentralidade que a consagre como local de excelência para ponto de encontro, estadia e actividades lúdicas”.

 

No texto de enquadramento da recomendação apresentada pelos Verdes e votada favoravelmente por todos os deputados da AML, destacam-se as riquezas histórica e arquitectónica daquele local, as quais lhe conferem importância simbólica. “As primeiras construções na Rua e Largo de São Sebastião da Pedreira datam de meados do século XVI, constituindo já à época uma das saídas da cidade de Lisboa, por ser uma via de continuação da Rua de Santa Marta”, explica-se, antes de ser referida a existência de edifícios notáveis, como o palácio construído em 1730 e onde ainda hoje funciona a sede do Quartel-General do Exército, mas também o Palácio de Sá da Bandeira ou ainda o antigas vilas operárias recuperadas.

 

Texto: Samuel Alemão

 

 

  • Jorge Parente Baptista
    Responder

    faz uns oito anos que esteve previsto fazer ali um parque de estacionamento subterrâneo, mas nunca avançou..oxalá arranjem uma solução para esta parte..

  • Tuga News
    Responder

    [O Corvo] Largo de São Sebastião da Pedreira também deverá ser requalificado   https://t.co/xtWnPgpBDl #lisboa

  • Anónimo
    Responder

    Quando dizem que vão requalificar qualquer “coisa” fico logo de pé atrás, faz-me sempre lembrar as obras de Santa Engrácia. Até as obras de requalificação dos Terraços do Carmo que foram inauguradas no 10 de Junho (para inglês ver) não estão concluidas a 100%. Cambada de gente incompetente!

  • Paulo Ferrero
    Responder

    (y) ora bem 😉

  • Helena Martins
    Responder

    Por acaso alguém sabe quando vão terminar as obras na Praça Dr. Francisco Sá Carneiro?

Deixe um comentário.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

O Corvo nasce da constatação de que cada vez se produz menos noticiário local. A crise da imprensa tem a ver com esse afastamento dos media relativamente às questões da cidadania quotidiana.

O Corvo pratica jornalismo independente e desvinculado de interesses particulares, sejam eles políticos, religiosos, comerciais ou de qualquer outro género.

Em paralelo, se as tecnologias cada vez mais o permitem, cada vez menos os cidadãos são chamados a pronunciar-se e a intervir na resolução dos problemas que enfrentam.

Gostaríamos de contar com a participação, o apoio e a crítica dos lisboetas que não se sentem indiferentes ao destino da sua cidade.

Samuel Alemão
s.alemao@ocorvo.pt
Director editorial e redacção

Daniel Toledo Monsonís
d.toledo@ocorvo.pt
Director executivo

Sofia Cristino
Redacção

Mário Cameira
Infografías 

Paula Ferreira
Fotografía

Margarita Cardoso de Meneses
Dep. comercial e produção

Catarina Lente
Dep. gráfico & website

Lucas Muller
Redes e análises

ERC: 126586
(Entidade Reguladora Para a Comunicação Social)

O Corvinho do Sítio de Lisboa, Lda
NIF: 514555475
Rua do Loreto, 13, 1º Dto. Lisboa
infocorvo@gmail.com

Fala conosco!

Faça aqui a sua pesquisa

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com