São de carácter informativo as duas propostas mais votadas da edição 2015 do Orçamento Participativo (OP) de Arroios, cujos projectos vencedores foram anunciados na tarde desta quinta-feira (15 de Outubro), pelos serviços da junta de freguesia. A mais popular das ideias colocadas a votação – que decorreu entre 21 de Julho e 30 de Setembro e contou com apenas 100 boletins de voto entregues, correspondendo a 247 votos expressos e a um em branco – foi a que pede a criação de “informação complementar no âmbito da toponímia” existente em Arroios. Em segundo lugar na consulta popular ficou a realização de uma “campanha informativa sobre a praga dos pombos”. Mas, entre a dezena de propostas vencedoras, há de tudo um pouco: estacionamento para bicicletas, cinzeiros nas esquinas e jardins, a arborização de uma rua ou a colocação de espreguiçadeiras.

 

A proposta vencedora, que recebeu 37 votos, será concretizada através do “definir uma palavra, uma frase, um pequeno poema, uma imagem, entre outras opções, que se possa associar à toponímia existente de cada rua da freguesia de Arroios e a implementar junto às placas existentes”. O projecto é explicado na sua memória descritiva como “uma espécie de prolongamento, que permitirá construir um mapa mental que identifica a toponímia a partir de conteúdos diversos e que darão corpo a um sentido lúdico de divulgação e de uma maior informação, de maior conhecimento sobre o nome, do autor, do lugar, da própria cidade”. A execução da proposta em causa, tal como as restantes, não poderá exceder os 5 mil euros, de acordo com o regulamento do OP de Arroios – iniciativa que distribui um máximo de 45 mil euros.

 

Já a segunda proposta mais bem classificada, com 30 votos, deverá levar à realização de uma “campanha informativa aos munícipes da Freguesia de Arroios sobre a necessidade de controlo de natalidade dos pombos, através de cartazes e panfletos distribuídos por toda a freguesia e respetivas casas dos munícipes”. De acordo com projecto, estes folhetos deverão dar indicação da necessidade dos moradores “não darem alimento comum aos pombos, incumprindo a lei e incorrendo das respetivas multas, e referir as doenças que estes animais geram no ser humano”. “Esta campanha servirá para alertar os munícipes da gravidade de contacto com os pombos, tal como constatado na padaria da Rua do Forno do Tijolo, na qual frequentemente entram dentro do espaço e libertam penas que estão em contacto direto com o pão”, acrescenta.

 

Além das duas propostas mencionadas, o OP Arroios 2015 distribuirá ainda verbas por mais oito propostas, sendo que duas delas (um peddy paper e murais de street art) terão que dividir entre si a dotação de cinco mil euros, por terem recebido o mesmo número de votos. Entre as que receberão até cinco mil euros para serem concretizadas encontram-se a construção de um parque infantil coberto no Mercado de Arroios; a colocação de recipientes para a recolha de óleos, lâmpadas, rolhas e tecidos; a criação de uma rede com 20 parque de estacionamento para bicicletas; a criação de uma nova praceta arborizada na Rua Heróis de Quionga; a criação de uma rede de cinzeiros a instalar em esplanadas, esquinas e jardins; ou ainda “a instalação de bancos, assentos e preferencialmente espreguiçadeiras de jardim em locais disseminados pela freguesia para contemplação da cidade e confraternização com a vizinhança”.

 

Lista dos projectos vencedores:

http://participarroios2015.pt/wp-content/uploads/2015/04/lista-de-resultados-dos-projetos-votados-do-op2015.pdf

 

Texto: Samuel Alemão

 

Deixe um comentário.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

O Corvo nasce da constatação de que cada vez se produz menos noticiário local. A crise da imprensa tem a ver com esse afastamento dos media relativamente às questões da cidadania quotidiana.

O Corvo pratica jornalismo independente e desvinculado de interesses particulares, sejam eles políticos, religiosos, comerciais ou de qualquer outro género.

Em paralelo, se as tecnologias cada vez mais o permitem, cada vez menos os cidadãos são chamados a pronunciar-se e a intervir na resolução dos problemas que enfrentam.

Gostaríamos de contar com a participação, o apoio e a crítica dos lisboetas que não se sentem indiferentes ao destino da sua cidade.

Samuel Alemão
s.alemao@ocorvo.pt
Director editorial e redacção

Daniel Toledo Monsonís
d.toledo@ocorvo.pt
Director executivo

Sofia Cristino
Redacção

Mário Cameira
Infografías 

Paula Ferreira
Fotografía

Margarita Cardoso de Meneses
Dep. comercial e produção

Catarina Lente
Dep. gráfico & website

Lucas Muller
Redes e análises

ERC: 126586
(Entidade Reguladora Para a Comunicação Social)

O Corvinho do Sítio de Lisboa, Lda
NIF: 514555475
Rua do Loreto, 13, 1º Dto. Lisboa
infocorvo@gmail.com

Fala conosco!

Faça aqui a sua pesquisa

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com