Ainda nem sequer o cinema era sonoro e já a música lhe fazia companhia. Os “filmes falados” trouxeram outra dimensão a esta arte, na qual a componente musical se veio gradualmente a afirmar. Mas também pode ser o cinema a querer fazer companhia à música, como acontece no MUVI Lisboa – Festival Internacional de Música no Cinema, que terá lugar entre esta quarta-feira, 3 de setembro, e domingo, 7, no Cinema São Jorge. O primeiro festival de cinema especificamente dedicado à música a ser por cá realizado promete apresentar “o que de melhor se tem feito” na área. Além disso, apresenta um programa onde se incluem palestras, showcases, atuações de dj’s, exposições e “sessões especiais”.

 

A primeira edição do MUVI Lisboa terá uma secção competitiva e outra não-competitiva. Naquela, os filmes serão divididos entre um “palco internacional” e um “palco nacional”, sendo que em ambos haverá ainda uma catalogação consoante sejam longas-metragens (categoria “Odisseias Musicais”), curtas-metragens (categoria “Sonetos Cantados”) ou ainda vídeos musicais de ficção ou animação (categoria “Canções com Gente Dentro”). Em qualquer dos casos, os organizadores (FWD Coop, em parceria com a empresa municipal de cultura EGEAC) prometem mostrar o que de mais significativo se produziu em 2013 e 2014.

 

Na principal secção competitiva do festival, a dedicada às longas-metragens (“Odisseias Musicais”), há lugar para obras que dão relevo tanto ao universo do hip-hop (“Our Vinyl Weighs a Ton”, de Jeff Broadway, 2014), como à clássica (“The Labèque Way”, de Félix Cábez, 2014), passando pela contemporânea (“Castle Crash”, de Arsen Oremovic, 2014) ou o omnipresente rock – como “True”, 2014, de Paulo Segadães, que aborda a obra de Legendary Tigerman -, mas também o trance (“The Alchemy of Spirit”, de Paulo Prazeres, 2013, dá a ver o que se passa no Festival Boom, um dos maiores do género a nível mundial). Entre as longas em exibição, destaque ainda para “Mudar de Vida”, de Pedro Fidalgo e Nelson Guerreiro, 2014, que promete desvelar o muito particular universo do cantor José Mário Branco.

 

Ver programa completo em: www.muvilisboa.com

 

Texto: Samuel Alemão      Fotografia: imagem do filme “Our Vinyl Weighs a Ton”

 

Deixe um comentário.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

O Corvo nasce da constatação de que cada vez se produz menos noticiário local. A crise da imprensa tem a ver com esse afastamento dos media relativamente às questões da cidadania quotidiana.

O Corvo pratica jornalismo independente e desvinculado de interesses particulares, sejam eles políticos, religiosos, comerciais ou de qualquer outro género.

Em paralelo, se as tecnologias cada vez mais o permitem, cada vez menos os cidadãos são chamados a pronunciar-se e a intervir na resolução dos problemas que enfrentam.

Gostaríamos de contar com a participação, o apoio e a crítica dos lisboetas que não se sentem indiferentes ao destino da sua cidade.

Samuel Alemão
s.alemao@ocorvo.pt
Director editorial e redacção

Daniel Toledo Monsonís
d.toledo@ocorvo.pt
Director executivo

Sofia Cristino
Redacção

Mário Cameira
Infografías 

Paula Ferreira
Fotografía

Margarita Cardoso de Meneses
Dep. comercial e produção

Catarina Lente
Dep. gráfico & website

Lucas Muller
Redes e análises

ERC: 126586
(Entidade Reguladora Para a Comunicação Social)

O Corvinho do Sítio de Lisboa, Lda
NIF: 514555475
Rua do Loreto, 13, 1º Dto. Lisboa
infocorvo@gmail.com

Fala conosco!

Faça aqui a sua pesquisa

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com