Durante cinco manhãs, 90 jovens vão brincar com a tecnologia e reinventar o futuro, no Mercado do Forno do Tijolo, nos Anjos (Arroios). A aplicação prática no mercado de trabalho de áreas do conhecimento como a fabricação digital, a impressão 3D ou a robótica estarão em foco na primeira edição do Young Creators, encontro organizado pelo Fab Lab Lisboa, de 4 a 8 de Julho. Não são precisos conhecimentos nestas áreas. Quem quiser participar apenas tem que se inscrever. 

 

Texto: Pedro Arede            Fotografia: Hugo David

 

Destinado a jovens entre os 16 e os 25 anos, o Young Creators 2016 é um programa de “capacitação digital” com uma forte componente prática e de promoção da interação entre áreas tão díspares como a arte, a ciência e a tecnologia. A aprendizagem será feita através de projectos a desenvolver pelos participantes ao longo da semana de 4 a 8 de Julho, no Mercado do Forno do Tijolo, nos Anjos, freguesia de Arroios. Os participantes poderão escolher entre três módulos: Impressão 3D, Robótica e programação e Textile Hacking.

 

Enquadrados por formadores de referência, aos 90 jovens criadores que se inscreverem não são exigidos quaisquer conhecimentos mínimos anteriores nestas áreas. Espera-se “apenas” que tragam com eles motivação e imaginação para arregaçar as mangas e criar, desenhar e construir um objecto e programá-lo. Durante uma semana, os participantes terão, assim, a possibilidade de desenhar e imprimir em 3D, criar os seus próprios robots e programar superfícies têxteis, para desenvolver plataformas wearable.

 

Estimando-se que, nos próximos anos, venhamos a assistir a uma crescente procura de postos de trabalho nestas áreas, eventos como o Young Creators – que será organizado pelo Fab Lab, pertencente à Câmara Municipal de Lisboa – pretendem dotar os trabalhadores do futuro, com um conjunto de ferramentas que dificilmente seriam adquiridas de outra forma, pois não fazem parte de um plano de estudos tradicional.

 

A aquisição deste tipo de conhecimento está ainda ligada ao desenvolvimento da cultura Do It Yourself (DIY). Por outras palavras, nada do que é desenvolvido passa por “comprar feito”, mas sim por reconstruir, reinventar e construir, com as próprias mãos, todos os componentes necessários, recorrendo, por exemplo, a equipamentos usados ou ainda a conhecimento ou software de acesso livre.

 

Em termos práticos, será esta geração de artesãos digitais, capaz de tratar a tecnologia por “tu”, que estará mais capacitada, por exemplo, a criar e personalizar um protótipo digital numa impressora 3D, antes de um produto ir para produção ou programar uma máquina para o desempenho de determinada tarefa numa fábrica.

 

O Young Creators 2016 acontece de 4 a 8 de Julho, entre as 9h30 e as 13h30. A inscrição tem o custo de 20 euros e está limitada ao número de vagas existentes para cada um dos módulos disponíveis.

 

No módulo Impressão 3D, aberto a 40 participantes, será dada a possibilidade de desenvolver o processo de materialização de um objecto, a partir da criação de ficheiros digitais.

 

Já no módulo Robótica, os 30 participantes inscritos terão a possibilidade de criar um robot através da programação aberta na plataforma Arduino, cujos desenhos e software são partilhados de forma colaborativa.

 

Por fim, no módulo Textile Hacking, os 20 participantes inscritos poderão criar objectos inteligentes para vestir, tendo em mente uma aplicação artística ou o desenvolvimento de produtos comerciais.

 

 Mais informação e inscrições: www.youngcreators.pt

 

  • Tuga News
    Responder

    [O Corvo] FabLab Lisboa vai acolher os primeiros passos dos artesãos digitais do futuro https://t.co/5UsvKX2FnO #lisboa

  • FabLab Lisboa
    Responder

    @FablabLisboa vai acolher os primeiros passos dos artesãos digitais do futuro #youngcreators16 https://t.co/xXUEx2kUsu

  • coupon codes
    Responder

    acho uma graça, só ´por uma meia calça e pronto, fica lindo, não podemos nos privar de usar nada por causa de frio ou calor né

Deixe um comentário.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

O Corvo nasce da constatação de que cada vez se produz menos noticiário local. A crise da imprensa tem a ver com esse afastamento dos media relativamente às questões da cidadania quotidiana.

O Corvo pratica jornalismo independente e desvinculado de interesses particulares, sejam eles políticos, religiosos, comerciais ou de qualquer outro género.

Em paralelo, se as tecnologias cada vez mais o permitem, cada vez menos os cidadãos são chamados a pronunciar-se e a intervir na resolução dos problemas que enfrentam.

Gostaríamos de contar com a participação, o apoio e a crítica dos lisboetas que não se sentem indiferentes ao destino da sua cidade.

Samuel Alemão
s.alemao@ocorvo.pt
Director editorial e redacção

Daniel Toledo Monsonís
d.toledo@ocorvo.pt
Director executivo

Sofia Cristino
Redacção

Mário Cameira
Infografías 

Paula Ferreira
Fotografía

Margarita Cardoso de Meneses
Dep. comercial e produção

Catarina Lente
Dep. gráfico & website

Lucas Muller
Redes e análises

ERC: 126586
(Entidade Reguladora Para a Comunicação Social)

O Corvinho do Sítio de Lisboa, Lda
NIF: 514555475
Rua do Loreto, 13, 1º Dto. Lisboa
infocorvo@gmail.com

Fala conosco!

Faça aqui a sua pesquisa

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com