Estufa Fria reabriu, finalmente

ACTUALIDADE
Samuel Alemão

Texto & Fotografia

AMBIENTE

Avenidas Novas

29 Abril, 2013

Desta vez, é a valer. A Estufa Fria de Lisboa, junto ao Parque Eduardo VII, reabriu, finalmente, na última quinta-feira, dia 25 de Abril, após o fim dos demorados trabalhos de reabilitação. O franquear das portas já havia sido anunciado, pela Câmara Municipal de Lisboa, em Dezembro último, para os últimos dias do mês seguinte. Mas a promessa acabou por não se concretizar, nessa altura. Agora, e com as obras de manutenção concluídas, os responsáveis municipais optaram por reabrir o equipamento, sem grandes anúncios. Isto aconteceu apenas depois de assegurada a reposição das condições climáticas adequadas às plantas e à colocação das denominadas “linhas de vida” – cabos suspensos, que permitem o acesso em segurança às espécies vegetais, nas operações de limpeza e manutenção.

A Estufa Fria estava fechada, desde Fevereiro do ano passado, para que se pudesse proceder ao “optimizar das condições climáticas” e à colocação das linhas de vida. Uma intervenção que, nessa altura, se previa viesse a durar apenas três meses. O encerramento acabou, afinal, por demorar mais um ano do que o inicialmente planeado. A derradeira clausura seguiu-se a um período de funcionamento de pouco mais de um ano – iniciado em Abril de 2011, após um primeiro encerramento, também para obras de reabilitação, desencadeadas em Maio de 2009. O errático funcionamento desta histórica estrutura começou nessa altura – há já quatro anos, logo após a autarquia ter recebido um relatório técnico dando conta do iminente colapso da cobertura.

A primeira intervenção centrou-se, sobretudo, na substituição das velhas vigas metálicas que sustentavam a cobertura da estufa. Em simultâneo, foram igualmente substituídos os pilares e reabilitado o ripado de madeira do tecto. Orçada em 1,8 milhões de euros, essa intervenção foi também aproveitada para elevar o ripado, permitindo uma maior entrada de luz. À intervenção agora em curso, orçada em um milhão de euros, seguir-se-á uma terceira, dedicada à reabilitação da nave central. A próxima reabertura acontecerá num ano em que a Estufa Fria de Lisboa, que inclui também a Estufa Quente e a Estufa Doce,  comemora o seu 80º aniversário. Projecto do arquitecto Raúl Carapinha, foi inaugurada em 1933.

MAIS ACTUALIDADE

COMENTÁRIOS

Comentários

Deixe um comentário.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

O Corvo nasce da constatação de que cada vez se produz menos noticiário local. A crise da imprensa tem a ver com esse afastamento dos media relativamente às questões da cidadania quotidiana.

O Corvo pratica jornalismo independente e desvinculado de interesses particulares, sejam eles políticos, religiosos, comerciais ou de qualquer outro género.

Em paralelo, se as tecnologias cada vez mais o permitem, cada vez menos os cidadãos são chamados a pronunciar-se e a intervir na resolução dos problemas que enfrentam.

Gostaríamos de contar com a participação, o apoio e a crítica dos lisboetas que não se sentem indiferentes ao destino da sua cidade.

Samuel Alemão
s.alemao@ocorvo.pt
Director editorial e redacção

Daniel Toledo Monsonís
d.toledo@ocorvo.pt
Director executivo

Sofia Cristino
Redacção

Mário Cameira
Infografías 

Paula Ferreira
Fotografía

Margarita Cardoso de Meneses
Dep. comercial e produção

Catarina Lente
Dep. gráfico & website

Lucas Muller
Redes e análises

ERC: 126586
(Entidade Reguladora Para a Comunicação Social)

O Corvinho do Sítio de Lisboa, Lda
NIF: 514555475
Rua do Loreto, 13, 1º Dto. Lisboa
infocorvo@gmail.com

Fala conosco!

Faça aqui a sua pesquisa

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com

Send this to a friend