Estufa Fria reabriu, finalmente

ACTUALIDADE
Samuel Alemão

Texto & Fotografia

AMBIENTE

Avenidas Novas

29 Abril, 2013




Desta vez, é a valer. A Estufa Fria de Lisboa, junto ao Parque Eduardo VII, reabriu, finalmente, na última quinta-feira, dia 25 de Abril, após o fim dos demorados trabalhos de reabilitação. O franquear das portas já havia sido anunciado, pela Câmara Municipal de Lisboa, em Dezembro último, para os últimos dias do mês seguinte. Mas a promessa acabou por não se concretizar, nessa altura. Agora, e com as obras de manutenção concluídas, os responsáveis municipais optaram por reabrir o equipamento, sem grandes anúncios. Isto aconteceu apenas depois de assegurada a reposição das condições climáticas adequadas às plantas e à colocação das denominadas “linhas de vida” – cabos suspensos, que permitem o acesso em segurança às espécies vegetais, nas operações de limpeza e manutenção.

A Estufa Fria estava fechada, desde Fevereiro do ano passado, para que se pudesse proceder ao “optimizar das condições climáticas” e à colocação das linhas de vida. Uma intervenção que, nessa altura, se previa viesse a durar apenas três meses. O encerramento acabou, afinal, por demorar mais um ano do que o inicialmente planeado. A derradeira clausura seguiu-se a um período de funcionamento de pouco mais de um ano – iniciado em Abril de 2011, após um primeiro encerramento, também para obras de reabilitação, desencadeadas em Maio de 2009. O errático funcionamento desta histórica estrutura começou nessa altura – há já quatro anos, logo após a autarquia ter recebido um relatório técnico dando conta do iminente colapso da cobertura.

A primeira intervenção centrou-se, sobretudo, na substituição das velhas vigas metálicas que sustentavam a cobertura da estufa. Em simultâneo, foram igualmente substituídos os pilares e reabilitado o ripado de madeira do tecto. Orçada em 1,8 milhões de euros, essa intervenção foi também aproveitada para elevar o ripado, permitindo uma maior entrada de luz. À intervenção agora em curso, orçada em um milhão de euros, seguir-se-á uma terceira, dedicada à reabilitação da nave central. A próxima reabertura acontecerá num ano em que a Estufa Fria de Lisboa, que inclui também a Estufa Quente e a Estufa Doce,  comemora o seu 80º aniversário. Projecto do arquitecto Raúl Carapinha, foi inaugurada em 1933.

MAIS ACTUALIDADE

COMENTÁRIOS

Comentários

Deixe um comentário.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

O Corvo nasce da constatação de que cada vez se produz menos noticiário local. A crise da imprensa tem a ver com esse afastamento dos media relativamente às questões da cidadania quotidiana.

O Corvo pratica jornalismo independente e desvinculado de interesses particulares, sejam eles políticos, religiosos, comerciais ou de qualquer outro género.

Em paralelo, se as tecnologias cada vez mais o permitem, cada vez menos os cidadãos são chamados a pronunciar-se e a intervir na resolução dos problemas que enfrentam.

Gostaríamos de contar com a participação, o apoio e a crítica dos lisboetas que não se sentem indiferentes ao destino da sua cidade.

Samuel Alemão
s.alemao@ocorvo.pt
Director editorial e redacção

Daniel Toledo Monsonís
d.toledo@ocorvo.pt
Director executivo

Sofia Cristino
Redacção

Mário Cameira
Infografías 

Paula Ferreira
Fotografía

Margarita Cardoso de Meneses
Dep. comercial e produção

Catarina Lente
Dep. gráfico & website

Lucas Muller
Redes e análises

ERC: 126586
(Entidade Reguladora Para a Comunicação Social)

O Corvinho do Sítio de Lisboa, Lda
NIF: 514555475
Rua do Loreto, 13, 1º Dto. Lisboa
infocorvo@gmail.com

Fala conosco!

Faça aqui a sua pesquisa

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com

Send this to a friend