Escada rolante parada no metro do Chiado obriga homem de canadianas a sacrifício

DICAS
Samuel Alemão

Texto

MOBILIDADE

Arroios

Misericórdia

Santa Maria Maior

30 Dezembro, 2016


O problema persiste, apesar das sucessivas denúncias. Dos quatro lanços de escadas rolantes existentes na ligação entre o átrio da estação de metro Baixa-Chiado e o Largo do Chiado, há quase sempre um avariado. A situação não é exclusiva desta estação, mas aqui revela-se bem mais problemática, devido à distância a percorrer e à inclinação do acesso. Os incómodos causados são óbvios, além de crónicos – tal como as promessas de resolução do transtorno por parte da administração do Metropolitano de Lisboa. Na tarde desta quinta-feira (29 de dezembro), por exemplo, foi possível observar um homem com evidentes dificuldades de locomoção, envergando duas canadianas, obrigado a descer pelas escadas de pedra, porque o segundo lanço das escadas rolantes estava parado para manutenção.

Há exactamente um ano, a 30 de dezembro de 2015, questionada pelo Corvo sobre os problemas crónicos nos acessos mecânicos, a empresa respondia assim: “Os equipamentos mecânicos encontram-se fora de serviço por motivos técnicos, relacionados com a sua utilização regular intensiva. Por outro lado, em alguns casos, atendendo à idade do equipamento, pode ser necessário proceder-se ao fabrico de peças para sua reposição, fazendo com que os tempos de paragem sejam um pouco mais prolongados”. Passado um ano, os incómodos mantêm-se uma constante. O que muda, tal como noutras estações, são as escadas rolantes que, de forma alternada, estão inactivas, por avaria ou em manutenção. Quando não está uma, está a outra.

ocorvo_30_12_2016_02

Uma constante com que, por coincidência, também ontem, se depararam os representantes do grupo municipal do Partido Ecologista Os Verdes, quando fizeram uma visita de trabalho à freguesia da Misericórdia – e na qual estava previsto, precisamente, “abordar problemas de acessibilidades na estação de Metro Baixa-Chiado”. Algo confirmado nos contactos tidos no local com a população. “Ouvimos as queixas dos utentes pelo facto de as escadas estarem quase sempre avariadas”, confirmou ao Corvo Cláudia Madeira, deputada municipal do partido, que recentemente interpelou o Governo sobre os problemas existentes em várias estações de metro.

MAIS DICAS

Dicas

Não foram encontrados artigos.

COMENTÁRIOS

  • Conceição Cruz
    Responder

    Uma vergonha! É uma aventura de escadas e corredores!

  • Claudia Guilherme
    Responder

    Que vergonha

  • Causticus Smartir
    Responder

    É uma vergonha e infelizmente habitual. Raramente as escadas rolantes estão todas a funcionar, o desleixo do Metro ja é normal.

    • Star
      Responder

      Raramente? Olhe que isso depende muito das estações. Ainda ontem andei de metro e um dos lados a descer está em manutenção (creio que recentemente, pois a estação em questão não demora muito uma vez que não lixam o dinheiro todo como fizeram em Arroios) e no entanto do outro lado tudo estava normalíssimo e os elevadores funcionam.

  • Joao Villalobos
    Responder

    Escada rolante parada no metro do Chiado obriga homem de canadianas a sacrifício https://t.co/hrbfXwK9Cb

  • Gomes Gomes
    Responder

    As escadas rolantes do Rato e o Elevador é a mesma coisa!

    • Star
      Responder

      Gastam o dinheiro todo depois dá nisso. Compare lá as estações e veja lá se é tudo igual. Na linha que passa por Arroios o metro só pode ter 3 carruagens, pois fizeram não sei o quê ao dinheiro e agora não o tem para alargar a estação.

  • Martha Tavares
    Responder

    Absurdo essa escada está parada há quase um mês!!!

  • Mário Rui André
    Responder

    Escada rolante parada no metro do Chiado obriga homem de canadianas a sacrifício https://t.co/qVtV54cTB6

  • Pipo
    Responder

    Estão as pessoas a reclamar? Mas não eram elas que queriam o fim da austeridade? Para haver mais dinheirinho para aumentar os trabalhadores do Metro, a manutenção foi sacrificada pois não há dinheirinho para tudo.
    Continuem a votar à esquerda.

  • Star
    Responder

    Pergunto-me: Se é um sacrifício assim tão grande descer as escadas, por que é que não foi para a outra entrada que as escadas estão a funcionar?

  • Star
    Responder

    De qualquer das maneiras antes a descer do que a subir. Como se diz: A descer todos os Santos ajudam. Pelo menos na maioria das situações.

Deixe um comentário.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

O Corvo nasce da constatação de que cada vez se produz menos noticiário local. A crise da imprensa tem a ver com esse afastamento dos media relativamente às questões da cidadania quotidiana.

O Corvo pratica jornalismo independente e desvinculado de interesses particulares, sejam eles políticos, religiosos, comerciais ou de qualquer outro género.

Em paralelo, se as tecnologias cada vez mais o permitem, cada vez menos os cidadãos são chamados a pronunciar-se e a intervir na resolução dos problemas que enfrentam.

Gostaríamos de contar com a participação, o apoio e a crítica dos lisboetas que não se sentem indiferentes ao destino da sua cidade.

Samuel Alemão
s.alemao@ocorvo.pt
Director editorial e redacção

Daniel Toledo Monsonís
d.toledo@ocorvo.pt
Director executivo

Sofia Cristino
Redacção

Mário Cameira
Infografías 

Paula Ferreira
Fotografía

Margarita Cardoso de Meneses
Dep. comercial e produção

Catarina Lente
Dep. gráfico & website

Lucas Muller
Redes e análises

ERC: 126586
(Entidade Reguladora Para a Comunicação Social)

O Corvinho do Sítio de Lisboa, Lda
NIF: 514555475
Rua do Loreto, 13, 1º Dto. Lisboa
infocorvo@gmail.com

Fala conosco!

Faça aqui a sua pesquisa

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com

Send this to a friend