O Elevador de Santa Luzia, inaugurado a 10 de Junho passado pelo presidente da Câmara Municipal de Lisboa (CML), está sem funcionar, desde há quase duas semanas, devido a “um problema relacionado com electricidade”, apurou O Corvo. O elevador, que faz parte do conjunto de equipamentos que constituem o novo sistema de acessibilidades mecânicas ao Castelo de São Jorge, anunciado pela autarquia em Janeiro deste ano, terá deixado de garantir, a 31 de Outubro, a ligação entre a Rua Norberto Araújo, em Alfama, e o Miradouro de Santa Luzia. Um circuito muito utilizado pelos turistas e feito a pensar nos que desembarcam dos cruzeiros.

 

Uma intenção, de resto, explicitada pelo dizer inscrito junto às duas entradas do elevador, gerido pela Empresa Municipal de Mobilidade e Estacionamento de Lisboa (EMEL): “Elevador de Santa Luzia – Percurso dos Cruzeiros aos Cruzados”. Na inauguração, Fernando Medina, presidente da CML, destacou a importância do elevador não apenas para os turistas mas também para a mobilidade dos moradores, sobretudo os mais idosos. “Trata-se de um projecto com imensa qualidade em termos de acessibilidades para esta zona da cidade”, disse Medina. Mas, desde há cerca de 15 dias, o percurso voltou a ter de ser feito através da extensa escadaria que dá acesso ao Largo das Portas do Sol.

 

IMG_4751

 

O Corvo tentou saber, durante os últimos dias, junto da EMEL, as razões da súbita paragem no funcionamento do elevador, mas não conseguiu entrar em contacto com a assessoria de comunicação da empresa. A informação que é veiculada por moradores da zona – e confirmada ao Corvo por fonte da Junta de Freguesia de Santa Maria Maior – é a de que a suspensão das viagens no equipamento inaugurado há cerca de cinco meses se deve a “um problema relacionado com electricidade”. Dado que não clarifica a real razão da paragem, a qual estará já a causar um evidente incómodo a uma criança residente da Rua Norberto Araújo, que se desloca em cadeira de rodas.

 

Texto: Samuel Alemão

 

Deixe um comentário.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

O Corvo nasce da constatação de que cada vez se produz menos noticiário local. A crise da imprensa tem a ver com esse afastamento dos media relativamente às questões da cidadania quotidiana.

O Corvo pratica jornalismo independente e desvinculado de interesses particulares, sejam eles políticos, religiosos, comerciais ou de qualquer outro género.

Em paralelo, se as tecnologias cada vez mais o permitem, cada vez menos os cidadãos são chamados a pronunciar-se e a intervir na resolução dos problemas que enfrentam.

Gostaríamos de contar com a participação, o apoio e a crítica dos lisboetas que não se sentem indiferentes ao destino da sua cidade.

Samuel Alemão
s.alemao@ocorvo.pt
Director editorial e redacção

Daniel Toledo Monsonís
d.toledo@ocorvo.pt
Director executivo

Sofia Cristino
Redacção

Mário Cameira
Infografías 

Paula Ferreira
Fotografía

Margarita Cardoso de Meneses
Dep. comercial e produção

Catarina Lente
Dep. gráfico & website

Lucas Muller
Redes e análises

ERC: 126586
(Entidade Reguladora Para a Comunicação Social)

O Corvinho do Sítio de Lisboa, Lda
NIF: 514555475
Rua do Loreto, 13, 1º Dto. Lisboa
infocorvo@gmail.com

Fala conosco!

Faça aqui a sua pesquisa

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com