Inaugurado em 1902, o Elevador de Santa Justa deverá ficar a parecer como novo, a partir do início de Fevereiro do próximo ano. Essa é a data prevista para a conclusão da segunda fase dos trabalhos de manutenção do meio de transporte – e construção singular – classificado como monumento nacional, agora iniciada. A primeira fase decorreu durante 2012. Trata-se por isso de completá-la, de acordo com o ditado pelos diagnósticos realizados a partir das inspecções periódicas, informa a Carris.

 

“Os trabalhos de conservação consistem na decapagem das superfícies com corrosão, reparação das peças ornamentais deterioradas e dos elementos metálicos da estrutura e reparação de zonas de betão fissuradas”, explicou ao Corvo, por escrito, o director-geral da empresa que gere o elevador, Luís Vale. Os andaimes começaram a ser montados a 28 de Julho, operação que durará seis semanas. De modo a evitar o fecho do funcionamento do elevador, a Carris irá proceder à realização da empreitada de conservação em três momentos: primeiro, concentrar-se-á no passadiço/corredor de acesso; depois, será a vez das fachadas nascente e sul da torre; por fim, far-se-á a intervenção nas fachadas poente e norte da torre.

 

Texto: Samuel Alemão

 

  • Jorge Parente Baptista
    Responder

    Lá terá de ser…

  • João Barreta
    Responder

    E depois de concluída a “obra” no elevador avançará a ideia/projeto do Centro Comercial a Céu Aberto de Stª. Justa ?

  • Isabelix
    Responder

    e a limpeza a alta pressão tem de ser efectuada às 2h00 da manhã???? resultado ninguém dorme

Deixe um comentário.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

O Corvo nasce da constatação de que cada vez se produz menos noticiário local. A crise da imprensa tem a ver com esse afastamento dos media relativamente às questões da cidadania quotidiana.

O Corvo pratica jornalismo independente e desvinculado de interesses particulares, sejam eles políticos, religiosos, comerciais ou de qualquer outro género.

Em paralelo, se as tecnologias cada vez mais o permitem, cada vez menos os cidadãos são chamados a pronunciar-se e a intervir na resolução dos problemas que enfrentam.

Gostaríamos de contar com a participação, o apoio e a crítica dos lisboetas que não se sentem indiferentes ao destino da sua cidade.

Samuel Alemão
s.alemao@ocorvo.pt
Director editorial e redacção

Daniel Toledo Monsonís
d.toledo@ocorvo.pt
Director executivo

Sofia Cristino
Redacção

Mário Cameira
Infografías 

Paula Ferreira
Fotografía

Margarita Cardoso de Meneses
Dep. comercial e produção

Catarina Lente
Dep. gráfico & website

Lucas Muller
Redes e análises

ERC: 126586
(Entidade Reguladora Para a Comunicação Social)

O Corvinho do Sítio de Lisboa, Lda
NIF: 514555475
Rua do Loreto, 13, 1º Dto. Lisboa
infocorvo@gmail.com

Fala conosco!

Faça aqui a sua pesquisa

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com