Deposição de lixos fora de contentores em Lisboa só deu uma multa em 2014

ACTUALIDADE
Fernanda Ribeiro

Texto

VIDA NA CIDADE

Cidade de Lisboa

31 Dezembro, 2014

Em 2014, a Polícia Municipal (PM) de Lisboa, de um total de 16 autos de contra-ordenação elaborados relativos à fiscalização da deposição de lixos, aplicou apenas uma multa no que toca à colocação de lixos fora dos contentores – o que é manifestamente quase nada, face ao cenário habitual com que se deparam os lisboetas.

Segundo dados fornecidos ao Corvo pela Polícia Municipal, no ano anterior, em 2013, em que foram levantados 36 autos, só dois diziam respeito à deposição de lixos fora dos contentores.

Dos 16 casos detectados e alvo de multa em 2014, 15 reportavam-se a outro tipo de problemas, como a colocação de contentores na rua fora do horário (um caso), ou o facto de ter sido ultrapassada a capacidade máxima dos contentores de entulhos (um caso) e, ainda, o depósito de lixos a granel na via pública (um caso). A deposição de materiais de obras a granel deu também origem a quatro autos de contra-ordenação, enquanto a não remoção dos caixotes de lixo dentro do horário originou oito multas.

No ano anterior, 2013, o número de contra-ordenações foi mais elevado, com um total de 36, disseminados pelas várias situações apontadas. Dados que revelam ser necessária mais autoridade para disciplinar a deposição de lixos.

ocorvo_12_12_2014_01

A partir de Janeiro, novas regras entrarão em vigor, penalizando a população que não cumpra. A generalidade dos residentes e comerciantes estarão sujeitos a multas que podem ascender a 727 euros, se não forem seguidas a regras de limpeza urbana. Mas, para que tal se verifique, será necessária uma maior fiscalização.

Além da Polícia Municipal, também a Polícia de Segurança Pública (PSP) tem capacidade para levantar autos em caso de infracção. O Corvo questionou a PSP, a quem solicitou os dados referentes às penalizações aplicadas pela deposição indevida de resíduos sólidos, mas não obteve resposta, tendo a PSP remetido o assunto para a PM.

Autos elaborados pela PM, durante os anos de 2013 e 2014, relativos à deposição de lixo:




Ano – 2013

  • Colocação de contentores fora do horário – 8
  • Contentores na via pública sem licença – 8
  • Contentores de entulhos, capacidade máxima ultrapassada – 3
  • Contentores sem a tampa devidamente fechada – 1
  • Deposição de resíduos fora dos contentores – 2
  • Depósito a granel na via pública – 4
  • Materiais de obras na via pública a granel – 3
  • Não remoção dos caixotes dentro do horário – 7

Total ————–36

Ano – 2014

  • Colocação de contentores fora do horário – 1
  • Contentores de entulhos, capacidade máxima ultrapassada – 1
  • Deposição de resíduos fora dos contentores – 1
  • Depósito a granel na via pública – 1
  • Materiais de obras na via pública a granel – 4
  • Não remoção dos caixotes dentro do horário – 8

Total ————–16

MAIS ACTUALIDADE

COMENTÁRIOS

  • Alexandre Ribas
    Responder

    lol é obvio que isso nao iria resultar…. não é uma questão de coimas e multas mas sim de educação

  • Helena Galamba
    Responder

    Pelos vistos a educação leva séculos a chegar a Portugal.

  • Carla Leitão
    Responder

    Ahahahhahahah pois claro os policias municipais estão ocupados a fazer n sei bem o q

  • Ricardo Serrao
    Responder

    Uma pergunta para reflexao… Acham que quem se da ao trabalho de levar a reciclagem ate um ecoponto, quer fazer lixo no chao?? Ou sera por os ecopontos estarem cheios ou nao terem abertura para esses objectos ou sacos ??

    É que parece me que a primeira responsavel devia ser a camara por nao fazer uma recolha eficiente

  • Filipe
    Responder

    A Policia Municipal muito pouco faz pela cidade de Lisboa, uma multa apenas não seria de admirar. Basta olhar para os passeios da cidade, constantemente obstruídos por viaturas privadas, o que num pais civilizado era punido fortemente.

Deixe um comentário.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

O Corvo nasce da constatação de que cada vez se produz menos noticiário local. A crise da imprensa tem a ver com esse afastamento dos media relativamente às questões da cidadania quotidiana.

O Corvo pratica jornalismo independente e desvinculado de interesses particulares, sejam eles políticos, religiosos, comerciais ou de qualquer outro género.

Em paralelo, se as tecnologias cada vez mais o permitem, cada vez menos os cidadãos são chamados a pronunciar-se e a intervir na resolução dos problemas que enfrentam.

Gostaríamos de contar com a participação, o apoio e a crítica dos lisboetas que não se sentem indiferentes ao destino da sua cidade.

Samuel Alemão
s.alemao@ocorvo.pt
Director editorial e redacção

Daniel Toledo Monsonís
d.toledo@ocorvo.pt
Director executivo

Sofia Cristino
Redacção

Mário Cameira
Infografías 

Paula Ferreira
Fotografía

Margarita Cardoso de Meneses
Dep. comercial e produção

Catarina Lente
Dep. gráfico & website

Lucas Muller
Redes e análises

ERC: 126586
(Entidade Reguladora Para a Comunicação Social)

O Corvinho do Sítio de Lisboa, Lda
NIF: 514555475
Rua do Loreto, 13, 1º Dto. Lisboa
infocorvo@gmail.com

Fala conosco!

Faça aqui a sua pesquisa

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com

Send this to a friend