Demora a aprovar programa leva alguns lojistas a desistirem do “Lojas com História”

ACTUALIDADE
Samuel Alemão

Texto

URBANISMO

Cidade de Lisboa

10 Janeiro, 2017


Passados quase dois anos de uma deliberação da Câmara Municipal de Lisboa, votada por unanimidade do executivo, a apoiar a promoção do comércio local tradicional “como marca diferenciadora da cidade”, sob o lema “preservar inovando”, ainda está por aprovar o projecto de regulamento da distinção “Lojas com História”. Em simultâneo, passará em março próximo um ano desde que a Assembleia da República recebeu uma proposta legislativa do Governo para criar um regime de protecção para estes estabelecimentos, no âmbito de alterações sugeridas à Lei das Rendas. Mas nada ainda transpareceu do Parlamento. Por causa disto, há já donos de algumas das casas comerciais mais icónicas da capital a pensar sair do programa “Lojas com História”.

“Foi com grande expectativa que vimos nascer o projecto. Esperávamos que, após o anúncio das primeiras 63 lojas, em julho passado, se tivesse avançado na implementação da iniciativa, mas também com a indicação de um outro grupo de 50 ou 60 estabelecimentos, em outubro. Mas as coisas não têm evoluído e os próprios empresários estão a ficar desmoralizados”, diz ao Corvo a presidente da União de Associações do Comércio e Serviços de Lisboa (UACS), Carla Salsinha, referindo-se à demora na efetivação da reclamada protecção para as lojas mais emblemáticas. “Vários lojistas, dada a demora, disseram-nos que já não querem esta chancela. Alguns dizem-nos ‘se calhar, não vale a pena fazer parte do Lojas com História, porque isto não vai servir para nada’”, conta a dirigente.

O atraso na criação do regulamento municipal do programa – apresentado a 16 de outubro de 2015, depois da aprovação de uma deliberação em 19 de fevereiro desse ano – voltou a ganhar relevo na semana passada, quando O Corvo noticiou o que, na quarta-feira (5 de janeiro), parecia ser o encerramento certo da Tabacaria Martins, a funcionar no Largo do Calhariz, desde 1872. Ana Martins, gerente e neta do fundador, queixava-se da falta de vontade em renovar o contrato de arrendamento por parte do novo senhorio, um fundo imobiliário inglês que adquirira o imóvel onde o estabelecimento está instalado, em julho de 2016. O programa “Lojas com História”, queixava-se Ana, não passava de uma “bandeira sem conteúdo”. Dois dias depois, e após uma onda de indignação crescente, soube-se que, afinal, a tabacaria poderia ficar de portas abertas, no sítio de sempre. O proprietário do prédio mudara de ideias.

No mesmo dia em que era publicado o artigo d’O Corvo, o sítio da Assembleia Municipal de Lisboa (AML) avançava com o agendamento, para esta terça-feira (10 de janeiro), da discussão – no âmbito de uma reunião conjunta das suas 2ª e 7ª comissões – e aprovação da submissão ao plenário da AML do“Projeto de Regulamento Municipal de atribuição da distinção ‘Lojas com História’, bem como o Projecto de Regulamento do Fundo Municipal ‘Lojas com História’”. O decretar do luto nacional de três dias, pela morte de Mário Soares, levou, contudo, ao cancelamento de toda a actividade daquele órgão durante esse período. O mais provável é que a ordem de trabalhos venha, entretanto, a ser deslocada para a próxima semana, conseguiu ontem apurar O Corvo junto dos serviços da assembleia. O que permitirá ter uma expectativa de aprovação do regulamento para breve.

Tal não chega, porém, para deixar descansada Carla Salsinha. A delonga na institucionalização da iniciativa leva mesmo a presidente da UACS a assumir o “receio de que, dado todo o tempo que isto já leva, a câmara tenha algum desinteresse” em pôr em prática o programa Lojas com História. Ao mesmo tempo, o facto de a Assembleia da República não se ter ainda pronunciado sobre a iniciativa legislativa governamental de criação de um regime de excepção para este tipo de estabelecimentos – apesar de o mesmo estar a ser discutido em sede de comissão especializada desde março de 2016 – leva a dirigente associativa a temer que “este ano e no próximo possa vir a assistir-se ao encerramento de muitas lojas” consideradas icónicas. Uma consequência do “ disparar das rendas” e da “denúncia unilateral do contrato de arrendamento pelo proprietário”, avisa.

MAIS ACTUALIDADE

COMENTÁRIOS

  • Conceição Cruz
    Responder

    A eterna burocracia!

  • Gomes Gomes
    Responder

    Será aprovado quando não existir nenhuma loja para preservar. Levar 2 anos e condenar o fim das lojas. No entanto foi rápido na questão da notificação de desalojar o senhorio para a construção da Mesquita do M.Moniz.

  • Maia Elbling
    Responder

    é so lojas de monhes vazias k esta gente ker…ate metem nojo

  • Vanda Goncalves
    Responder

    Lisboa, já não é dos Lisboetas! daqui a uns anos fazem os estrangeiros os Santos Populares em Francês, Espanhol, Alemão, enfim …

Deixe um comentário.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

O Corvo nasce da constatação de que cada vez se produz menos noticiário local. A crise da imprensa tem a ver com esse afastamento dos media relativamente às questões da cidadania quotidiana.

O Corvo pratica jornalismo independente e desvinculado de interesses particulares, sejam eles políticos, religiosos, comerciais ou de qualquer outro género.

Em paralelo, se as tecnologias cada vez mais o permitem, cada vez menos os cidadãos são chamados a pronunciar-se e a intervir na resolução dos problemas que enfrentam.

Gostaríamos de contar com a participação, o apoio e a crítica dos lisboetas que não se sentem indiferentes ao destino da sua cidade.

Samuel Alemão
s.alemao@ocorvo.pt
Director editorial e redacção

Daniel Toledo Monsonís
d.toledo@ocorvo.pt
Director executivo

Sofia Cristino
Redacção

Mário Cameira
Infografías 

Paula Ferreira
Fotografía

Margarita Cardoso de Meneses
Dep. comercial e produção

Catarina Lente
Dep. gráfico & website

Lucas Muller
Redes e análises

ERC: 126586
(Entidade Reguladora Para a Comunicação Social)

O Corvinho do Sítio de Lisboa, Lda
NIF: 514555475
Rua do Loreto, 13, 1º Dto. Lisboa
infocorvo@gmail.com

Fala conosco!

Faça aqui a sua pesquisa

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com

Send this to a friend