Uma medida drástica para terminar com o caos na circulação e no estacionamento. O presidente da Câmara Municipal de Lisboa, António Costa, quer proibir a circulação de automóveis, que não sejam de residentes e de adeptos com lugar fixo, em perímetros a criar em redor dos estádios da Luz e Alvalade XXI, em dias em que Benfica e Sporting joguem em casa. Costa diz que já defendeu essa medida junto da divisão de trânsito da Polícia de Segurança Pública, mas que a mesma não se terá mostrado receptiva à sua aplicação. “Para acabar com os carros em cima dos passeios, quando há futebol, o melhor seria instituirmos perímetros nos quais apenas pudessem entrar residentes e quem tem lugar nos estádios da Luz e de Alvalade. Todas as outras pessoas teriam de se deslocar até aos recintos usando os transportes públicos”, defende.

 

“É assim em quase todos os países europeus. E enquanto, entre nós, assim não for, continuaremos com a actual situação de caos”, disse o autarca, ontem à noite, durante a reunião descentralizada do executivo municipal, realizada no Teatro Dom Luiz Filipe, no Jardim da Luz (Carnide) destinada a ouvir sobretudo as queixas e sugestões dos munícipes das freguesias de Carnide e São Domingos de Benfica. António Costa respondia a reclamações de alguns deles relativas à confusão instalada nos arruamentos situados nas imediações do estádio da Luz, de cada vez que joga o Benfica. “Para que haja alterações de comportamentos é preciso combinar a oferta de alternativas, para as pessoas chegarem ao estádio, com a repressão das situações de infracção. Neste momento, é apenas uma ideia, mas as ideias fazem o seu caminho”, acrescentou.

 

Texto e fotografia: Samuel Alemão

Comentários
  • Manuel Vital
    Responder

    Em Frankfurt/M (Alemanha) quando joga o Eintracht é ver a quantidade de autocarros dos transportes públicos estacionados junto ao Estádio. A Carris também já se fez isso quando havia jogos no Estádio Nacional no tempo da outra senhora.
    Os transportes públicos em Lisboa são ineficientes.

Deixe um comentário.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

O Corvo nasce da constatação de que cada vez se produz menos noticiário local. A crise da imprensa tem a ver com esse afastamento dos media relativamente às questões da cidadania quotidiana.

O Corvo pratica jornalismo independente e desvinculado de interesses particulares, sejam eles políticos, religiosos, comerciais ou de qualquer outro género.

Em paralelo, se as tecnologias cada vez mais o permitem, cada vez menos os cidadãos são chamados a pronunciar-se e a intervir na resolução dos problemas que enfrentam.

Gostaríamos de contar com a participação, o apoio e a crítica dos lisboetas que não se sentem indiferentes ao destino da sua cidade.

Samuel Alemão
s.alemao@ocorvo.pt
Director editorial e redacção

Daniel Toledo Monsonís
d.toledo@ocorvo.pt
Director executivo

Sofia Cristino
Redacção

Mário Cameira
Infografías 

Paula Ferreira
Fotografía

Margarita Cardoso de Meneses
Dep. comercial e produção

Catarina Lente
Dep. gráfico & website

Lucas Muller
Redes e análises

ERC: 126586
(Entidade Reguladora Para a Comunicação Social)

O Corvinho do Sítio de Lisboa, Lda
NIF: 514555475
Rua do Loreto, 13, 1º Dto. Lisboa
infocorvo@gmail.com

Fala conosco!

Faça aqui a sua pesquisa

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com