Uma medida drástica para terminar com o caos na circulação e no estacionamento. O presidente da Câmara Municipal de Lisboa, António Costa, quer proibir a circulação de automóveis, que não sejam de residentes e de adeptos com lugar fixo, em perímetros a criar em redor dos estádios da Luz e Alvalade XXI, em dias em que Benfica e Sporting joguem em casa. Costa diz que já defendeu essa medida junto da divisão de trânsito da Polícia de Segurança Pública, mas que a mesma não se terá mostrado receptiva à sua aplicação. “Para acabar com os carros em cima dos passeios, quando há futebol, o melhor seria instituirmos perímetros nos quais apenas pudessem entrar residentes e quem tem lugar nos estádios da Luz e de Alvalade. Todas as outras pessoas teriam de se deslocar até aos recintos usando os transportes públicos”, defende.

 

“É assim em quase todos os países europeus. E enquanto, entre nós, assim não for, continuaremos com a actual situação de caos”, disse o autarca, ontem à noite, durante a reunião descentralizada do executivo municipal, realizada no Teatro Dom Luiz Filipe, no Jardim da Luz (Carnide) destinada a ouvir sobretudo as queixas e sugestões dos munícipes das freguesias de Carnide e São Domingos de Benfica. António Costa respondia a reclamações de alguns deles relativas à confusão instalada nos arruamentos situados nas imediações do estádio da Luz, de cada vez que joga o Benfica. “Para que haja alterações de comportamentos é preciso combinar a oferta de alternativas, para as pessoas chegarem ao estádio, com a repressão das situações de infracção. Neste momento, é apenas uma ideia, mas as ideias fazem o seu caminho”, acrescentou.

 

Texto e fotografia: Samuel Alemão

Comentários
  • Manuel Vital
    Responder

    Em Frankfurt/M (Alemanha) quando joga o Eintracht é ver a quantidade de autocarros dos transportes públicos estacionados junto ao Estádio. A Carris também já se fez isso quando havia jogos no Estádio Nacional no tempo da outra senhora.
    Os transportes públicos em Lisboa são ineficientes.

Deixe um comentário.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

O Corvo nasce da constatação de que cada vez se produz menos noticiário local. A crise da imprensa tem a ver com esse afastamento dos media relativamente às questões da cidadania quotidiana.

O Corvo pratica jornalismo independente e desvinculado de interesses particulares, sejam eles políticos, religiosos, comerciais ou de qualquer outro género.

Em paralelo, se as tecnologias cada vez mais o permitem, cada vez menos os cidadãos são chamados a pronunciar-se e a intervir na resolução dos problemas que enfrentam.

Gostaríamos de contar com a participação, o apoio e a crítica dos lisboetas que não se sentem indiferentes ao destino da sua cidade.

Samuel Alemão
s.alemao@ocorvo.pt
Director editorial e redacção

Daniel Toledo Monsonís
d.toledo@ocorvo.pt
Director executivo

Sofia Cristino
Redacção

Mário Cameira
Infografías 

Paula Ferreira
Fotografía

Margarita Cardoso de Meneses
Dep. comercial e produção

Catarina Lente
Dep. gráfico & website

Lucas Muller
Redes e análises

ERC: 126586
(Entidade Reguladora Para a Comunicação Social)

O Corvinho do Sítio de Lisboa, Lda
NIF: 514555475
Rua do Loreto, 13, 1º Dto. Lisboa
infocorvo@gmail.com

Fala conosco!

Faça aqui a sua pesquisa

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com