Com as obras a aproximarem-se do fim, Eixo Central começa a revelar nova cara

REPORTAGEM
Paula Ferreira

Fotografia

URBANISMO

Avenidas Novas

4 Janeiro, 2017


Os passeios mais largos, associados aos novos espaços verdes e a novas ciclovias, estão a começar a conferir ao troço do Eixo Central de Lisboa compreendido entre a Praça de Entrecampos e a Rotunda do Marquês de Pombal um aspecto bem diferente do lhe conhecíamos. Uma autêntica revolução no espaço público na mais importante artéria da capital portuguesa está, agora, a assumir contornos bem mais definidos, passados longos meses de obras, de engarrafamentos, mas também de polémica e de viva contestação por parte de sectores da oposição e de alguns grupos de moradores.

Antes dos trabalhos terem início, nos primeiros dias de maio de 2016, houve um forte debate em torno da real necessidade do projecto, orçado em 7,5 milhões de euros, e das suas implicações no estacionamento da zona – a discussão sobre quantos lugares iriam desaparecer fez correr muita tinta e ocupou muitas horas de debate. A inauguração deverá chegar lá mais para o fim do mês, embora a Câmara Municipal de Lisboa, questionada pelo Corvo nesta terça-feira (3 de janeiro), se tenha escusado a avançar com uma data. Os peões e os ciclistas, no entanto, já estão a sentir as mudanças, como constatou a fotógrafa Paula Ferreira, no passado fim-de-semana.

Com as obras a aproximarem-se do fim, Eixo Central começa a revelar nova cara
Com as obras a aproximarem-se do fim, Eixo Central começa a revelar nova cara
Com as obras a aproximarem-se do fim, Eixo Central começa a revelar nova cara
Com as obras a aproximarem-se do fim, Eixo Central começa a revelar nova cara
Com as obras a aproximarem-se do fim, Eixo Central começa a revelar nova cara
Com as obras a aproximarem-se do fim, Eixo Central começa a revelar nova cara
Com as obras a aproximarem-se do fim, Eixo Central começa a revelar nova cara

MAIS REPORTAGEM

COMENTÁRIOS

O Corvo nasce da constatação de que cada vez se produz menos noticiário local. A crise da imprensa tem a ver com esse afastamento dos media relativamente às questões da cidadania quotidiana.

O Corvo pratica jornalismo independente e desvinculado de interesses particulares, sejam eles políticos, religiosos, comerciais ou de qualquer outro género.

Em paralelo, se as tecnologias cada vez mais o permitem, cada vez menos os cidadãos são chamados a pronunciar-se e a intervir na resolução dos problemas que enfrentam.

Gostaríamos de contar com a participação, o apoio e a crítica dos lisboetas que não se sentem indiferentes ao destino da sua cidade.

Samuel Alemão
s.alemao@ocorvo.pt
Director editorial e redacção

Daniel Toledo Monsonís
d.toledo@ocorvo.pt
Director executivo

Sofia Cristino
Redacção

Mário Cameira
Infografias & Fotografia

Paula Ferreira
Fotografía

Catarina Lente
Dep. gráfico & website

Lucas Muller
Redes e análises

ERC: 126586
(Entidade Reguladora Para a Comunicação Social)

O Corvinho do Sítio de Lisboa, Lda
NIF: 514555475
Rua do Loreto, 13, 1º Dto. Lisboa
infocorvo@gmail.com

Fala conosco!

Faça aqui a sua pesquisa

Send this to a friend