Câmara de Lisboa vai construir uma ponte ciclo-pedonal sobre a Calçada de Carriche

ACTUALIDADE
Samuel Alemão

Texto

MOBILIDADE

Santa Clara

8 Junho, 2016


A Câmara Municipal de Lisboa (CML) preparar-se para lançar, até ao final deste ano, o concurso público do projecto de construção de uma ponte, destinada aos peões e às bicicletas, sobre o vale da Calçada de Carriche – umas das principais entradas na capital, pela qual passam diariamente dezenas de milhar de automóveis. A infra-estrutura permitirá realizar a ligação entre as zonas ocidental e oriental do futuro Parque Periférico da cidade, ao mesmo tempo que assegurará aos ciclistas uma conexão eficaz entre a zona Norte de Lisboa e a área central da capital e ainda a Odivelas. O estudo prévio está já feito.

A ligação será estabelecida entre a área da Quinta dos Alcoutins, do lado ocidental, e o Vale da Ameixoeira, do lado oriental. Quando estiver construída, permitirá um contínuo atravessamento de bicicleta e a pé entre Monsanto e o Alto do Lumiar, num corredor junto à fronteira setentrional da capital. Disso mesmo deu conta José Sá Fernandes, vereador da Estrutura Verde, na semana passada, durante uma reunião pública descentralizada do executivo municipal. Até à inauguração da ponte estarão concluídas as outras obras, em curso ou a iniciar em breve, de alguns dos parques verdes situados a montante a jusante da futura ligação e que constituem o esqueleto do Parque Periférico.

“Existe o problema da ligação da Quinta dos Alcoutins ao outro lado da Calçada de Carriche. Mas, neste momento, já temos pronto o estudo prévio para uma ponte para peões e bicicletas que vai ligar ao outro lado”, disse o vereador, na referida reunião, quando respondia às queixas de um munícipe pela enorme demora na concretização do Parque Periférico de Lisboa – um projecto anunciado pela CML, em 1992, quando Jorge Sampaio era presidente da autarquia, seguindo um plano elaborado pelo aquitecto paisagista Gonçalo Ribeiro Telles. Neste momento, estão a ser realizadas as obras da área verde que ligará o Vale da Ameixoeira à zona das Galinheiras.

Sá Fernandes considera que a nova ligação “é a parte mais importante para se ligar os dois extremos do Parque Periférico e, assim, não termos aquela barreira”, disse, falando sobre a Calçada de Carriche. “Esperamos lançar o concurso desta obra ainda durante este ano, mas ainda temos que fazer o projecto de execução”, anunciou o autarca, antes de explicar que a construção da passagem superior será aproveitada para realizar um arranjo paisagístico da área entre a Quinta dos Alcoutins e o olival adjacente, local a partir de onde a nova estrutura fará a ligação ao outro lado.

O Corvo tentou saber mais pormenores sobre a construção da ponte para peões e ciclistas, mas o responsável de comunicação do vereador José Sá Fernandes garante que, de momento, as explicações dadas publicamente pelo autarca são as que podem ser adiantadas.

MAIS ACTUALIDADE

COMENTÁRIOS

  • Paulo Ferrero
    Responder

    Seremos 1º Mundo qdo se decidir pela implosão da Calçada de Carriche!

  • Vasco
    Responder

    Poderiam arranjar um nome alternativo para o lugar, tipo Calçada das Marquises ou Calçada do Pato-Bravo.

    • SA
      Responder

      Porquê Calçada das Marquises? Porquê Calçada do Pato Bravo?

      Eduque-se.

      • Vasco
        Responder

        Eduque-se você. A calçada de Carriche é um hino aos prédios feios atolados de marquises. Não há o raio de uma varanda que tenha um vaso com umas plantas. Deduzo que você seja um dos moradores bimbos que aí vivem.

  • Teresa Loureiro (T)
    Responder

    Câmara de Lisboa vai construir uma ponte ciclo-pedonal sobre a Calçada de Carriche https://t.co/iiV93JB8Jj

  • rui coutinho
    Responder

    e uma ciclovia na calçada da carriche, para quem vem de odivelas para lisboa?

  • Sonia Abreu
    Responder

    Sou moradora na Calçada de Carriche e só quem mora lá percebe as dificuldades de manter uma casa naquela zona com a poluição dos carros que ficam depositados por todos lados em casa, e quanto menos se tiver que limpar melhor será…por tanto não da para ter um vaso com plantas na varanda da Calçada.

Deixe um comentário.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

O Corvo nasce da constatação de que cada vez se produz menos noticiário local. A crise da imprensa tem a ver com esse afastamento dos media relativamente às questões da cidadania quotidiana.

O Corvo pratica jornalismo independente e desvinculado de interesses particulares, sejam eles políticos, religiosos, comerciais ou de qualquer outro género.

Em paralelo, se as tecnologias cada vez mais o permitem, cada vez menos os cidadãos são chamados a pronunciar-se e a intervir na resolução dos problemas que enfrentam.

Gostaríamos de contar com a participação, o apoio e a crítica dos lisboetas que não se sentem indiferentes ao destino da sua cidade.

Samuel Alemão
s.alemao@ocorvo.pt
Director editorial e redacção

Daniel Toledo Monsonís
d.toledo@ocorvo.pt
Director executivo

Sofia Cristino
Redacção

Mário Cameira
Infografías 

Paula Ferreira
Fotografía

Margarita Cardoso de Meneses
Dep. comercial e produção

Catarina Lente
Dep. gráfico & website

Lucas Muller
Redes e análises

ERC: 126586
(Entidade Reguladora Para a Comunicação Social)

O Corvinho do Sítio de Lisboa, Lda
NIF: 514555475
Rua do Loreto, 13, 1º Dto. Lisboa
infocorvo@gmail.com

Fala conosco!

Faça aqui a sua pesquisa

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com

Send this to a friend