Sem tréguas. A cada vez que uma parede for suja, será imediatamente limpa. A Câmara Municipal de Lisboa começou, na semana passada, uma campanha agressiva de combate às pichagens em edifícios, vulgarmente conhecidas por tags. Numa primeira fase, os trabalhos de limpeza decorrem em três eixos: Avenida Almirante Reis; percurso do eléctrico 28; e a sucessão das avenidas de Berna, João XXI e Olaias. “Vamos agir de forma eficaz contra os tags, limpando as paredes e, se elas voltarem a ser sujas, repetindo a acção. Sucessivamente, até eles se cansarem”, promete ao Corvo o vereador com pelouro da Higiene Urbana, José Sá Fernandes.

 

O vereador diz que é importante tomar medidas face a este fenómeno, e que o mesmo não deverá ser confundido com os “graffiti artísticos” – isto na mesma altura em que o Governo cria restrições legais a esta prática. Sá Fernandes afirma ainda que, para além daquelas três áreas, outras três serão abrangidas pela campanha de limpeza desencadeada pela autarquia: Baixa/Chiado; Bairro Alto/Bica; Telheiras/Benfica/Estrada de Benfica; e Avenida de Roma/Avenida do Brasil/Avenida Estados Unidos da América. Questionado sobre a persistente batalha contra a sujidade das paredes do Bairro Alto, José Sá Fernandes reconhece que ainda é necessário agir, mas considera que “as coisas estão muito melhores”.

 

Texto: Samuel Alemão   Fotografia: João Paulo Dias

 

  • nuno caiado
    Responder

    as mesmas afirmações repetem-se ao longo dos anos
    mas ainda não vi nada, nem a grande campanha de limpeza do BA anunciada para Junho

  • Berta Cruz
    Responder

    Quero Felicitar o bom trabalho efectuado na AV. Almirante Reis, Rua da Palma, Av. Gago Coutinho, áreas onde verifiquei o trabalho de limpeza dos ditos “TAGS” que são uma aberração ao ambiente e confirmo que paredes limpas foram de novo sujas onde me revoltei completamente. Já estão limpas de novo. Esses vandalos precisam mesmo de ser apanhados e limparem o que sujam e respectivas multas.
    Em contrapartida temos os trabalhos de excelência como o que está a ser feito no mural da gare do Oriente (junto transportes autocarros).

    Obrigada aos intervenientes de tal projecto que merece todo o nosso apoio pois gosto de ver a minha capital limpa e digna de boa imagem a quem nos visita.

    Obrigada, obrigada
    Berta Cruz

Deixe um comentário.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

O Corvo nasce da constatação de que cada vez se produz menos noticiário local. A crise da imprensa tem a ver com esse afastamento dos media relativamente às questões da cidadania quotidiana.

O Corvo pratica jornalismo independente e desvinculado de interesses particulares, sejam eles políticos, religiosos, comerciais ou de qualquer outro género.

Em paralelo, se as tecnologias cada vez mais o permitem, cada vez menos os cidadãos são chamados a pronunciar-se e a intervir na resolução dos problemas que enfrentam.

Gostaríamos de contar com a participação, o apoio e a crítica dos lisboetas que não se sentem indiferentes ao destino da sua cidade.

Samuel Alemão
s.alemao@ocorvo.pt
Director editorial e redacção

Daniel Toledo Monsonís
d.toledo@ocorvo.pt
Director executivo

Sofia Cristino
Redacção

Mário Cameira
Infografías 

Paula Ferreira
Fotografía

Margarita Cardoso de Meneses
Dep. comercial e produção

Catarina Lente
Dep. gráfico & website

Lucas Muller
Redes e análises

ERC: 126586
(Entidade Reguladora Para a Comunicação Social)

O Corvinho do Sítio de Lisboa, Lda
NIF: 514555475
Rua do Loreto, 13, 1º Dto. Lisboa
infocorvo@gmail.com

Fala conosco!

Faça aqui a sua pesquisa

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com