Busto de Catarina de Bragança retirado depois de ter sido vandalizado

ACTUALIDADE
Rui Lagartinho

Texto

DR

Fotografia

CULTURA

Arroios

11 Outubro, 2014

Quem passeia pelo Paço da Rainha já deve ter dado por falta do busto da patrona do local, onde agora resta apenas a peanha em que a escultura assentava. O Corvo foi tentar saber onde está o busto da rainha.

 

No final da semana passada, o busto de Catarina de Bragança foi vandalizado por indivíduos não identificados, que fugiram antes da chegada da polícia. A Academia Militar, que ocupa o palácio da Bemposta – um vasto edifício que domina a zona -, optou por retirar a estátua para avaliar os estragos e promover a sua recuperação. O capitão Ferreira, da Academia Militar, garantiu ao Corvo que, “em breve, a situação estará resolvida, porque o público já não prescinde da estátua como parte da identidade da zona.”


 

Agora, segundo a mesma fonte, “ficam ainda mais evidentes as fragilidades da zona em termos de vigilância. A própria entrada da igreja da Bemposta, parte integrante do edifício da Academia, foi recentemente vandalizada com graffitis.

 

Filha de João IV, Catarina casou com o rei Carlos II de Inglaterra, em cuja corte introduziu o famoso ritual do chá das cinco. A sua biografia é sempre dada como exemplo das boas relações históricas entre Portugal e Inglaterra, desde o século XVII. Catarina acabou os seus dias neste descampado fora das portas da cidade e que moldou com o seu séquito e a sua influência.

 

Foi por isso que, em 2002 – e como forma de assinalar o jubileu da Rainha Isabel II -, a British Historical Society of Portugal promoveu uma homenagem à rainha, através da criação de um busto em bronze, da autoria do escultor Tim Fargher.

 

O Paço da Rainha é uma alameda frondosa, um passeio aprazível de ligação entre o Palácio Pombeiro, embaixada de Itália, e o Campo dos Mártires da Pátria. Um local nobre em termos de património histórico edificado, mas muito pouco habitado.

MAIS ACTUALIDADE

COMENTÁRIOS

O Corvo nasce da constatação de que cada vez se produz menos noticiário local. A crise da imprensa tem a ver com esse afastamento dos media relativamente às questões da cidadania quotidiana.

O Corvo pratica jornalismo independente e desvinculado de interesses particulares, sejam eles políticos, religiosos, comerciais ou de qualquer outro género.

Em paralelo, se as tecnologias cada vez mais o permitem, cada vez menos os cidadãos são chamados a pronunciar-se e a intervir na resolução dos problemas que enfrentam.

Gostaríamos de contar com a participação, o apoio e a crítica dos lisboetas que não se sentem indiferentes ao destino da sua cidade.

Samuel Alemão
s.alemao@ocorvo.pt
Director editorial e redacção

Daniel Toledo Monsonís
d.toledo@ocorvo.pt
Director executivo

Sofia Cristino
Redacção

Mário Cameira
Infografias & Fotografia

Paula Ferreira
Fotografía

Catarina Lente
Dep. gráfico & website

Lucas Muller
Redes e análises

ERC: 126586
(Entidade Reguladora Para a Comunicação Social)

O Corvinho do Sítio de Lisboa, Lda
NIF: 514555475
Rua do Loreto, 13, 1º Dto. Lisboa
infocorvo@gmail.com

Fala conosco!

Faça aqui a sua pesquisa

Send this to a friend