Benfica inaugura hoje a primeira “zona 30” de Lisboa

ACTUALIDADE
Samuel Alemão

Texto & Fotografia

MOBILIDADE

Benfica

23 Outubro, 2013


Poderá ser a solução há muito reclamada para pôr cobro à sinistralidade dentro de diversas zonas da cidade. E, certamente, assume-se como uma medida amiga dos peões e dos ciclistas, prometendo ainda colocar algum freio no elevado número de atropelamentos registados. O relativamente pouco conhecido Bairro do Charquinho, situado em Benfica, tem a honra de ser o primeiro em Lisboa a ver entrar em funcionamento uma Zona 30 – no perímetro da qual os carros não podem ultrapassar os 30 quilómeros por hora. A inauguração é hoje (quarta-feira, dia 23), às 11h30. Trata-se de uma medida inovadora, que, numa primeira fase, se vai estender a mais cinco áreas:  Carnide, Arco Cego, Bairro das Estacas, São Miguel e Encarnação. Todas elas fazem parte de um conjunto mais alargado de três dezenas, onde a Câmara Municipal de Lisboa quer minorar os efeitos do tráfego automóvel.

A iniciativa camarária, além de diminuir a velocidade dos automóveis e a sinistralidade dela decorrente, pretende ainda reduzir o tráfego de atravessamento indesejado, bem como a poluição sonora e ambiental em áreas de características residenciais. Para além da delimitação destes perímetros urbanos, com sinalização vertical e a introdução de medidas que obrigam ao abrandamento de quem lá entra, as zonas 30 caracterizam-se por diversas intervenções no espaço que desincentivam a condução em velocidade elevada, a saber: redução da largura da via e aumento do espaço pedonal; introdução de elementos que transmitam a percepção de redução da largura da via aos automobilistas (arbustos/árvores, mobiliário urbano, entre outros); descontinuidade no alinhamento do eixo rodoviário; ou a partilha entre peões e veículos dos espaços de circulação.

MAIS ACTUALIDADE

COMENTÁRIOS

O Corvo nasce da constatação de que cada vez se produz menos noticiário local. A crise da imprensa tem a ver com esse afastamento dos media relativamente às questões da cidadania quotidiana.

O Corvo pratica jornalismo independente e desvinculado de interesses particulares, sejam eles políticos, religiosos, comerciais ou de qualquer outro género.

Em paralelo, se as tecnologias cada vez mais o permitem, cada vez menos os cidadãos são chamados a pronunciar-se e a intervir na resolução dos problemas que enfrentam.

Gostaríamos de contar com a participação, o apoio e a crítica dos lisboetas que não se sentem indiferentes ao destino da sua cidade.

Samuel Alemão
s.alemao@ocorvo.pt
Director editorial e redacção

Daniel Toledo Monsonís
d.toledo@ocorvo.pt
Director executivo

Sofia Cristino
Redacção

Mário Cameira
Infografias & Fotografia

Paula Ferreira
Fotografía

Catarina Lente
Dep. gráfico & website

Lucas Muller
Redes e análises

ERC: 126586
(Entidade Reguladora Para a Comunicação Social)

O Corvinho do Sítio de Lisboa, Lda
NIF: 514555475
Rua do Loreto, 13, 1º Dto. Lisboa
infocorvo@gmail.com

Fala conosco!

Faça aqui a sua pesquisa

Send this to a friend