Autarca do centro histórico alerta para “descontrolo” dos tuk tuk

ACTUALIDADE
Francisco Neves

Texto

DR

Fotografia

MOBILIDADE

Santa Maria Maior

26 Novembro, 2014

Um autarca do centro histórico de Lisboa apelou, esta terça-feira (25 de Novembro), à Câmara Muncipal de Lisboa para que discipline urgentemente a actividade dos tuk tuk, que estará a causar um mal-estar crescente aos moradores.

 

Perante a Assembleia Municipal, Miguel Coelho (PS), presidente da Junta de Freguesia de Santa Maria Maior, disse que a exploração destes veículos “está, neste momento, desordenada e completamente descontrolada” pelo que é necessário um regulamento próprio.

 

Esta freguesia resulta da agregação de 12 circunscrições da zona histórica, abrangendo bairros como o Castelo, Alfama, Mouraria, Chiado, Baixa, São Nicolau ou Socorro.

 

Coelho argumentou, numa das duas recomendações que apresentou à Assembleia Municipal, que a “actividade diária e constante dos Tuk-Tuk provoca muito ruído e poluição pelos sítios onde passam e tem vindo a causar um crescendo mal-estar nos residentes dos bairros históricos, pondo em causa o seu direito à privacidade e à tranquilidade.”

 

“Igualmente, circulam muitas vezes com total desrespeito pelas regras do Código da Estrada, não respeitando sentidos proibidos e ruas de exclusiva circulação pedonal”, prosseguiu.


 

Os condutores destas motoretas destinadas aos turistas – cujo número se ignora – “não olham a meios para estacionar e parquear os veículos nos vários pontos dos percursos que percorrem, causando por vezes engarrafamentos no trânsito e também danos nas calçadas dos passeios”, lê-se na recomendação. O autarca sugeriu ainda à CML que estabeleça um número máximo para estes veículos e pediu mais fiscalização por parte da PSP. 

 

O negócio dos tuk tuk tem sido também criticado pelos taxistas, que se queixam de concorrência desleal. Em Julho, o vereador Manuel Salgado disse que a Direcção Municipal de Mobilidade e Trânsito estava a preparar um regulamento.

 

Cresce descontentamento com bares 

 

Noutra recomendação, Miguel Coelho avisou também que a falta de intervenção para travar o impacto negativo dos bares e outros estabelecimentos nocturnos está a gerar “um profundo descontentamento contra o poder autárquico”.

 

As medições do ruído dos bares chegam sempre tarde e não são eficazes, advertiu. Há bares licenciados até às quatro da manhã, em ruas com menos de dois metros de largura, exemplificou. O ruído e a falta de higiene têm sido motivo de reclamações de muitos residentes na grande freguesia do centro histórico e são vários os que dizem “que vão mudar de residência porque não suportam o barulho”, afirmou Miguel Coelho.

 

O presidente da junta quer que as autorizações municipais à alteração do horário dos bares sejam condicionadas a parecer vinculativo da sua autarquia. Ou, em alternativa, que a competência das autorizações municipais seja transferida para a freguesia.

MAIS ACTUALIDADE

COMENTÁRIOS

O Corvo nasce da constatação de que cada vez se produz menos noticiário local. A crise da imprensa tem a ver com esse afastamento dos media relativamente às questões da cidadania quotidiana.

O Corvo pratica jornalismo independente e desvinculado de interesses particulares, sejam eles políticos, religiosos, comerciais ou de qualquer outro género.

Em paralelo, se as tecnologias cada vez mais o permitem, cada vez menos os cidadãos são chamados a pronunciar-se e a intervir na resolução dos problemas que enfrentam.

Gostaríamos de contar com a participação, o apoio e a crítica dos lisboetas que não se sentem indiferentes ao destino da sua cidade.

Samuel Alemão
s.alemao@ocorvo.pt
Director editorial e redacção

Daniel Toledo Monsonís
d.toledo@ocorvo.pt
Director executivo

Sofia Cristino
Redacção

Mário Cameira
Infografias & Fotografia

Paula Ferreira
Fotografía

Catarina Lente
Dep. gráfico & website

Lucas Muller
Redes e análises

ERC: 126586
(Entidade Reguladora Para a Comunicação Social)

O Corvinho do Sítio de Lisboa, Lda
NIF: 514555475
Rua do Loreto, 13, 1º Dto. Lisboa
infocorvo@gmail.com

Fala conosco!

Faça aqui a sua pesquisa

Send this to a friend