Assembleia debate saúde após fecho dos hospitais

ACTUALIDADE
Samuel Alemão

Texto

URBANISMO

Cidade de Lisboa

25 Janeiro, 2014


Terão os efeitos do encerramento dos hospitais do Desterro, Miguel Bombarda, São José, Capuchos e Santa Marta sido devidamente estudados? O projecto imobiliário associado a esta operação, a concretizar na chamada Colina de Santana – prevista no plano de construção do futuro Hospital de Todos-os-Santos, na zona oriental da capital -, tem suscitado bastante celeuma. Tanto que a Assembleia Municipal de Lisboa (AML) decidiu organizar um ciclo de cinco debates temáticos relacionados com a profunda mudança prevista para aquela área do coração da cidade. Depois do primeiro, a 10 de Dezembro, em que foram apresentados os aspectos gerais do projecto, no próximo, a realizar já nesta terça-feira, pelas 18 horas, no edifício da assembleia, à Avenida de Roma, será discutido “O impacto das propostas no acesso da população a cuidados de saúde”.

Neste segundo fórum, moderado pelo deputado municipal João Magalhães Pereira, presidente da Comissão Permanente de Direitos Sociais e Cidadania da AML, estarão presentes: Jorge Penedo, coordenador do grupo de técnico para a reforma hospitalar, indicado pelo ministro da Saúde; Jaime Branco, director da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Nova de Lisboa (situada, precisamente, no Campo de Santana); Pilar Vicente, médica no Hospital de São José e dirigente da Federação Nacional dos Médicos; Constantino Sakellarides, perito em saúde pública e ex-director da Escola Nacional de Saúde Pública, e ainda Jaime Mendes, presidente da Secção Regional Sul da Ordem dos Médicos. O debate seguinte, a 4 de Fevereiro, abordará o “impacto urbanístico, social e habitacional das propostas”.

MAIS ACTUALIDADE

COMENTÁRIOS

Deixe um comentário.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

O Corvo nasce da constatação de que cada vez se produz menos noticiário local. A crise da imprensa tem a ver com esse afastamento dos media relativamente às questões da cidadania quotidiana.

O Corvo pratica jornalismo independente e desvinculado de interesses particulares, sejam eles políticos, religiosos, comerciais ou de qualquer outro género.

Em paralelo, se as tecnologias cada vez mais o permitem, cada vez menos os cidadãos são chamados a pronunciar-se e a intervir na resolução dos problemas que enfrentam.

Gostaríamos de contar com a participação, o apoio e a crítica dos lisboetas que não se sentem indiferentes ao destino da sua cidade.

Samuel Alemão
s.alemao@ocorvo.pt
Director editorial e redacção

Daniel Toledo Monsonís
d.toledo@ocorvo.pt
Director executivo

Sofia Cristino
Redacção

Mário Cameira
Infografías 

Paula Ferreira
Fotografía

Margarita Cardoso de Meneses
Dep. comercial e produção

Catarina Lente
Dep. gráfico & website

Lucas Muller
Redes e análises

ERC: 126586
(Entidade Reguladora Para a Comunicação Social)

O Corvinho do Sítio de Lisboa, Lda
NIF: 514555475
Rua do Loreto, 13, 1º Dto. Lisboa
infocorvo@gmail.com

Fala conosco!

Faça aqui a sua pesquisa

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com

Send this to a friend