No início deste ano, o grupo cívico Fórum Cidadania LX, através da iniciativa Círculo de Lojas de Carácter e Tradição, criada em 2015 para defender e promover os melhores representantes do comércio tradicional de Lisboa, desafiou o colectivo de desenhadores em diários gráficos reunidos em torno do movimento Urban Sketchers Portugal a captar os mais icónicos estabelecimentos comerciais da capital. A cada participante, foi pedido que escolhesse uma ou mais lojas-membro do círculo e, através do seu olhar único, lhes captasse a essência, tanto do interior como do exterior. Fachadas, letras, interiores, tectos e pormenores surpreendentes poderiam servir de inspiração. Foi isso que aconteceu com quatro dezenas de casas históricas, cujo registo visual foi fixado, pelo conjunto dos desenhadores, entre janeiro e maio.

 

Agora, finalizada a recolha dos desenhos utilizando esta muito personalizada técnica, o objectivo do Círculo de Lojas de Carácter e Tradição é lançar a colecção num livro, que se prevê venha a ter 1.335 exemplares. “Para que isso possa acontecer, há que garantir o orçamento apresentado pela editora, tendo este sido conseguido maioritariamente pelas próprias lojas aderentes ao projecto. O que nos enche de orgulho, pois reconhecem o empenho do Círculo em ‘inventar’ formas de ajudar a promover as lojas que dele fazem parte”, diz a O Corvo um dos dinamizadores da iniciativa, Paulo Ferrero, do Fórum Cidadania LX. Faltam ainda 800 euros para concretizar o projecto. Razão pela qual se está a realizar, até 31 de agosto, uma recolha de fundos com esse fim, através de uma plataforma de crowdfunding.

Info: ppl.com.pt/pt/prj/uskp

urbansketchers-portugal.blogspot.pt/2017/07/lojas-tradicionais-de-lisboa-campanha.html

 

Casa Xangai (Celeste Vaz Ferreira)

 

Retrosaria Bijou (Paula Cabral)

 

Manteigaria Silva (Teresa Ruivo)

 

Livraria Pereira (Dilar Pereira)

 

Loja Fabrica Sant’Anna (José Leal)

 

Luvaria Ulisses (José Leal)

 

Casa Macário (Helena Monteiro)

 

Conserveira de Lisboa (António Procópio)

 

Tabacaria Martins (Luís Frasco)

 

Deixe um comentário.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

O Corvo nasce da constatação de que cada vez se produz menos noticiário local. A crise da imprensa tem a ver com esse afastamento dos media relativamente às questões da cidadania quotidiana.

O Corvo pratica jornalismo independente e desvinculado de interesses particulares, sejam eles políticos, religiosos, comerciais ou de qualquer outro género.

Em paralelo, se as tecnologias cada vez mais o permitem, cada vez menos os cidadãos são chamados a pronunciar-se e a intervir na resolução dos problemas que enfrentam.

Gostaríamos de contar com a participação, o apoio e a crítica dos lisboetas que não se sentem indiferentes ao destino da sua cidade.

Samuel Alemão
s.alemao@ocorvo.pt
Director editorial e redacção

Daniel Toledo Monsonís
d.toledo@ocorvo.pt
Director executivo

Sofia Cristino
Redacção

Mário Cameira
Infografías 

Paula Ferreira
Fotografía

Margarita Cardoso de Meneses
Dep. comercial e produção

Catarina Lente
Dep. gráfico & website

Lucas Muller
Redes e análises

ERC: 126586
(Entidade Reguladora Para a Comunicação Social)

O Corvinho do Sítio de Lisboa, Lda
NIF: 514555475
Rua do Loreto, 13, 1º Dto. Lisboa
infocorvo@gmail.com

Fala conosco!

Faça aqui a sua pesquisa

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com