Será um regresso, embora num formato bem diferente. O lugar onde funcionou o antigo Cinema Europa, em Campo de Ourique, deverá abrir portas como centro cultural, em meados de 2016. O protocolo de delegação de competências da Câmara Municipal de Lisboa (CML) na junta de freguesia local foi assinado, ao final da tarde desta segunda-feira (2 de Novembro), prevendo a criação de um espaço cultural aberto à comunidade e que incluirá uma biblioteca no mesmo sítio em que existiu, até 1981, uma das mais icónicas salas de cinema da capital.

 

O equipamento cultural funcionará num piso térreo – adquirido pela CML, no ano passado, por 1,42 milhões de euros, com este objectivo – de um edifício que partilha com a antiga sala de projecção pouco mais que a localização e a memória. Isto porque o cinema inaugurado na década de 1930 foi demolido para dar lugar a um outro imóvel. A criação do espaço, que será gerido pela junta, é o materializar de uma proposta vencedora do Orçamento Participativo (OP) de Lisboa 2009/2010, dinamizada pelo movimento cívico SOS Cinema Europa.

 

A vitória na referida edição do OP garantiu ao projecto uma verba de 690 mil euros. De acordo com o orçamentado pela Junta de Freguesia de Campo de Ourique, a maior parte de tal verba, 480 mil euros, será gasta em obras, sendo que 176 mil euros se destinam a equipar o seu interior: mesas, cadeiras, estantes, ar condicionado, equipamento audiovisual, livros, entre outros. Além da biblioteca e sala de leitura, destinada a crianças e adultos, o novo pólo cultural albergará um espaço multiusos, com auditório e sala de exposições, e ainda um pequeno jardim de inverno.

 

Texto: Samuel Alemão

 

O Corvo nasce da constatação de que cada vez se produz menos noticiário local. A crise da imprensa tem a ver com esse afastamento dos media relativamente às questões da cidadania quotidiana.

O Corvo pratica jornalismo independente e desvinculado de interesses particulares, sejam eles políticos, religiosos, comerciais ou de qualquer outro género.

Em paralelo, se as tecnologias cada vez mais o permitem, cada vez menos os cidadãos são chamados a pronunciar-se e a intervir na resolução dos problemas que enfrentam.

Gostaríamos de contar com a participação, o apoio e a crítica dos lisboetas que não se sentem indiferentes ao destino da sua cidade.

Samuel Alemão
s.alemao@ocorvo.pt
Director editorial e redacção

Daniel Toledo Monsonís
d.toledo@ocorvo.pt
Director executivo

Sofia Cristino
Redacção

Mário Cameira
Infografias & Fotografia

Paula Ferreira
Fotografía

Catarina Lente
Dep. gráfico & website

Lucas Muller
Redes e análises

ERC: 126586
(Entidade Reguladora Para a Comunicação Social)

O Corvinho do Sítio de Lisboa, Lda
NIF: 514555475
Rua do Loreto, 13, 1º Dto. Lisboa
infocorvo@gmail.com

Fala conosco!

Faça aqui a sua pesquisa