Para os que ainda não se deixaram convencer pelo uso quotidiano das bicicletas como vulgar meio de transporte, e não apenas uma forma de lazer, o dia 18 de Setembro (sexta-feira) surge como mais uma oportunidade para perder o acanhamento e experimentar tal opção. Inserida na Semana Europeia da Mobilidade (16 a 22 de Setembro), no último dia da qual se assinala o Dia Europeu Sem Carros, a iniciativa “De Bicicleta para o Trabalho- Bike to Work” – organizada pela Lisboa E-Nova – Agência Municipal de Energia-Ambiente e pela Câmara Municipal de Lisboa – convida todas as empresas e instituições sedeadas ou com instalações na capital a incentivarem os seus trabalhadores a, nesse dia, deslocarem-se para o local de trabalho no referido meio de transporte.

 

“Com esta iniciativa pretende-se sensibilizar as empresas e os seus colaboradores para a necessidade de reduzir os impactos ambientais da mobilidade urbana, promovendo os meios suaves de mobilidade”, dizem os organizadores da Bike do Work, que este ano conhece a sua quinta edição. A ideia principal da mesma, cujas inscrições estão abertas até 15 de Setembro, é a de que cada entidade consiga convencer o maior número de trabalhadores a utilizarem a bicicleta, competindo entre si para ver quem consegue persuadir mais gente a adoptar essa forma de mobilidade urbana. Para fomentar tal espírito, há até um passatempo, com escalões para entidades de diversas dimensões, para estabelecimentos de ensino e para instituições dos concelhos limítrofes.

 

A 18 de Setembro, os trabalhadores que forem de bicicleta deverão colocar em local visível da sua bicicleta um “identificador” do Bike to Work Day – disponibilizado pela Lisboa E-Nova para impressão, juntamente com as outras peças de comunicação. Após a iniciativa, todos os participantes devem preencher um questionário online e enviar “uma fotografia, foto-montagem ou imagem original” alusiva à acção realizada, até às 18h de 25 de Setembro. Depois, entre 28 de Setembro e 6 de Outubro, haverá uma votação para escolher as imagens mais originais, com um vencedor para cada uma das categorias: escalão A – menos de 15 trabalhadores; escalão B – entre 15 a 50 trabalhadores; escalão C – mais de 50 trabalhadores; escalão D – estabelecimentos de ensino; e Escalão “Também foram de bicicleta”.

 

Mais informações em: http://lisboaenova.org/biketowork2015

 

Texto: Samuel Alemão         Fotografia: Cláudia Silveira

 

  • Val Cesar
    Responder

    até acredito que seriam muitos mais, se a cidade oferece-se condições para que tal acontece-se , como por ex: pistas ciclaveis,e que dizer dos buracos!!!

    • Jorge Parente Baptista
      Responder

      oferecesse…acontecesse..

    • Val Cesar
      Responder

      …28anos fora do País,ao qual podemos juntar o ” desacordo ortográfico ”, tem destas coisas, mas a parte a ( Lição ) de Português, tem algo a dizer sobre a noticia?

  • Sónia Vica
    Responder

    E condutores mais atentos tmb

  • Ana Paula Cardoso
    Responder

    E sítios seguros para deixar as bicicletas tb 😉

  • jean némar
    Responder

    a ideia é gira. só não se compreende bem o que terá levado a CML a chamar à coisa “de bicicleta para o trabalho”. Não bastava “Bike to work”? Talvez levada pelo velho princípio de “dar voz às minorias”. Mas não exageremos, CML, pá. Enough is enough, como diz o nosso bom povo.

  • BK Lisboa
    Responder

    18 de Setembro é dia de ir de bicicleta para o trabalho na cidade de Lisboa | O Corvo | sítio de… http://t.co/Lccv1yyxRu

Responder a Jorge Parente Baptista Cancelar resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

O Corvo nasce da constatação de que cada vez se produz menos noticiário local. A crise da imprensa tem a ver com esse afastamento dos media relativamente às questões da cidadania quotidiana.

O Corvo pratica jornalismo independente e desvinculado de interesses particulares, sejam eles políticos, religiosos, comerciais ou de qualquer outro género.

Em paralelo, se as tecnologias cada vez mais o permitem, cada vez menos os cidadãos são chamados a pronunciar-se e a intervir na resolução dos problemas que enfrentam.

Gostaríamos de contar com a participação, o apoio e a crítica dos lisboetas que não se sentem indiferentes ao destino da sua cidade.

Samuel Alemão
s.alemao@ocorvo.pt
Director editorial e redacção

Daniel Toledo Monsonís
d.toledo@ocorvo.pt
Director executivo

Sofia Cristino
Redacção

Mário Cameira
Infografías 

Paula Ferreira
Fotografía

Margarita Cardoso de Meneses
Dep. comercial e produção

Catarina Lente
Dep. gráfico & website

Lucas Muller
Redes e análises

ERC: 126586
(Entidade Reguladora Para a Comunicação Social)

O Corvinho do Sítio de Lisboa, Lda
NIF: 514555475
Rua do Loreto, 13, 1º Dto. Lisboa
infocorvo@gmail.com

Fala conosco!

Faça aqui a sua pesquisa

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com