Os livros regressam ao Parque Eduardo VII

por • 26 Maio, 2016 • Dicas & Bicadas, SlideshowComentários (3)976

É o maior acontecimento do sector do livro em Portugal. Até 13 de Junho, o Parque Eduardo VII é a montra editorial do país. E, este ano, o número de pavilhões volta a aumentar. São 277, representando 123 editoras.

 

Texto: Rui Lagartinho       Fotografias: Paula Ferreira

 

Há um gesto simbólico importante no arranque da Feira do Livro de Lisboa (FLL) deste ano: pela primeira vez, ao fim de dez anos, é colocado um ponto final no jejum institucional ao mais alto nível e é o Presidente da República quem inaugura a edição 86 da FLL.

 

As maiores novidades de um certame desta natureza são, como sempre, os livros que os editores publicaram no último ano. Mas, ao nível do espaço de pavilhões implantados, a FLL cresceu mais um pouco com a chegada de dez novos editores. As 123 chancelas espalham-se agora por um número recorde de 277 pavilhões.

 

Para quem gosta de planear a visita e ir directamente aos livros que procura, a tarefa foi facilitada com a criação da aplicação móvel gratuita “Feira do Livro de Lisboa”, que contém o mapa da feira, as actividades paralelas e a lista dos livros do dia cujo desconto é de 40% sobre o livro de capa.

 

2ª SERIE FEIRA DOLIVRO 2015 157

 

Também ao nível dos descontos, vale a pena estar atento à Hora H: à hora do fecho (22-23horas), entre 2ª e 5ª feira, as editoras aderentes prometem descontos de 50% por cento. Quem não precise de descontos e aprecie tranquilidade, pode, como sempre, fazer as suas compras a partir das 12 horas ou, se optar pelo fim-de-semana, pelas 11 horas.

 

No ano em que se assinala o centenário do nascimento do escritor Vergílio Ferreira, a Associação Portuguesa de Editores e Livreiros (APEL) estabeleceu uma parceria com a Cinemateca Portuguesa, estando programada a projecção, no dia 3 de Junho, do filme “Manhã Submersa”. O realizador Lauro António e a escritora Lídia Jorge apresentam o filme. É uma das actividades paralelas do certame, que propõe programas para todas as idades e gostos, os quais vão do debate literário puro e duro a uma sessão de yoga para toda a família.

 

Aposta da direcção da Associação Portuguesa de Editores e Livreiros (APEL) é, de acordo com o seu presidente, João Alvim, “a presença confirmada na feira de editores e agentes estrangeiros que possam reforçar o interesse e vertente negocial pelos direitos de alguns autores portugueses”.

 

2ª SERIE FEIRA DOLIVRO 2015 231

 

E, curiosamente, é possível que quem não goste de livros ou não tenha hábitos de leitura se sinta atraído por uma passagem pelo parque Eduardo VII: a feira tornou-se, com a sua diversidade de quiosques e de viaturas de street food diversas, um mercado de comida ao ar livre, que inclui escolhas para todos os gostos, das bifanas à comida saudável, sem esquecer a clássica fartura.

 

A Feira do Livro faz-se com um orçamento de 800 mil euros, sendo que a contribuição da Câmara Municipal de Lisboa ronda os 100 mil euros. São esperados, até 13 de Junho, pelo menos meio milhão de visitantes, de acordo com a organização.

Os repórteres de “O Corvo” farão cobertura regular do evento.

 

Informação e programação completa em: http://feiradolivrodelisboa.pt/

 

Pin It

Textos Relacionados

3 Responses to Os livros regressam ao Parque Eduardo VII

  1. RT @ocorvo_noticias: Os livros regressam ao Parque Eduardo VII – https://t.co/ESjPtXo2l8

  2. Tuga News Tuga News diz:

    [O Corvo] Os livros regressam ao Parque Eduardo VII https://t.co/hnigKSA9LE #lisboa

  3. Vasco diz:

    Tenho de ir lá comprar o livro do rael…