Metropolitano de Lisboa diz estar preparado para receber as enchentes da Web Summit

ACTUALIDADE
Samuel Alemão

Texto

Metropolitano de Lisboa

Fotografia

MOBILIDADE

Parque das Nações

6 Novembro, 2017

O Metropolitano de Lisboa garante estar preparado para o súbito acréscimo da procura relacionada com a realização da edição 2017 da Web Summit, a decorrer entre a tarde desta segunda-feira (6 de novembro) e a noite de quinta-feira (dia 9), com epicentro no Parque das Nações. Durante os quatro dias do acontecimento, que juntará na capital portuguesa cerca de 60 mil participantes, a empresa de transportes diz que “vai monitorizar a circulação nas suas linhas, em especial na linha Vermelha”, que serve diretamente o encontro internacional relacionado com tecnologia e inovação – e para o qual assegura se ter começado a preparar há alguns meses. A transportadora apela ainda ao uso, como alternativa, das “ligações da CP Santa Apolónia/Oriente e a Linha de Cintura, que cruza três linhas de Metro, com estações de correspondência”.

“Sabemos que seremos melhor que no ano passado”, diz Miguel Rodrigues, director de clientes num vídeo colocado online pela empresa, e assegurando que a oferta será sempre ajustada à procura, a cada momento, “no sentido de garantir um serviço de transporte de qualidade aos seus clientes”. Em comunicado, a transportadora pública garante que vai “reforçar o serviço de apoio ao cliente na generalidade das estações e, em particular, nas estações Aeroporto, Oriente, Alameda, São Sebastião, Restauradores, Baixa Chiado e Cais do Sodré, tendo em conta que a afluência de passageiros, prevista por ocasião deste evento, poderá implicar alterações ao serviço de transporte programado, amenizando, deste modo, eventuais constrangimentos que daí possam advir”. Existem pontos de apoio aos utentes do metro nas tendas de acreditação do evento, no aeroporto e na FIL.

MAIS
ACTUALIDADE

COMENTÁRIOS

Deixe um comentário.

O Corvo nasce da constatação de que cada vez se produz menos noticiário local. A crise da imprensa tem a ver com esse afastamento dos media relativamente às questões da cidadania quotidiana.

O Corvo pratica jornalismo independente e desvinculado de interesses particulares, sejam eles políticos, religiosos, comerciais ou de qualquer outro género.

Em paralelo, se as tecnologias cada vez mais o permitem, cada vez menos os cidadãos são chamados a pronunciar-se e a intervir na resolução dos problemas que enfrentam.

Gostaríamos de contar com a participação, o apoio e a crítica dos lisboetas que não se sentem indiferentes ao destino da sua cidade.

Samuel Alemão
Director editorial e redacção

Daniel Toledo Monsonís
Director executivo

Sofia Cristino
Redacção

Mário Cameira
Infografías 

Hugo David
Fotografía

Margarita Cardoso de Meneses
Dep. comercial e produção

Catarina Lente
Dep. gráfico & website

Lucas Muller
Redes e análises
Fala conosco!

Not readable? Change text. captcha txt

Start typing and press Enter to search

Send this to a friend