Quem somos

O Corvo nasce da constatação de que cada vez se produz menos noticiário local. A crise da imprensa tem a ver com esse afastamento dos media relativamente às questões da cidadania quotidiana. Em paralelo, se as tecnologias cada vez mais o permitem, cada vez menos os cidadãos são chamados a pronunciar-se e a intervir na resolução dos problemas que enfrentam. Gostaríamos de contar com a participação, o apoio e a crítica dos lisboetas que não se sentem indiferentes ao destino da sua cidade. Queremos proporcionar o debate e cobrir temas que vão desde o aumento das rendas aos novos locais de lazer ou bandas de música, dando especial ênfase a tudo o que tenha que ver com a qualidade de vida das pessoas que aqui vivem e trabalham. Ambiente, transportes, habitação, espaço público e património serão aqui presenças frequentes.

 

Vimos de experiências diferentes, mas aproximamo-nos no desejo de fazer um jornalismo independente e vivo, que tenha as pessoas e as comunidades no seu centro. Não pretendemos, nem para isso temos meios, competir com qualquer jornal. Dentro deste quadro, seremos um grupo aberto, desejoso de todas as contribuições e procurando sinergias. Tentaremos usar como princípio orientador uma escrita rigorosa e legível, fazendo por desmontar lugares-comuns, vícios de linguagem e o pensamento prêt-a-porter. Quem aqui escreve tentará fazer a ponte entre uma visão pessoal e um apelo universal.

Tem uma opinião? Ideias para uma boa reportagem? Contacte-nos para: infocorvo@gmail.com

––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––

Estatuto editorial d’O Corvo

  1. O Corvo pratica jornalismo independente e desvinculado de interesses particulares, sejam eles políticos, religiosos, comerciais ou de qualquer outro género.
  2. O Corvo é uma publicação online de informação generalista, com enfoque na actualidade da cidade de Lisboa.
  3. O corpo redactorial d’O Corvo é composto por jornalistas independentes e detentores de carteira profissional.
  4. O Corvo pugna pela prática de um jornalismo assente na exactidão e rigor dos factos.
  5. A abordagem editorial d’OCorvo rege-se por critérios estritamente jornalísticos e discutidos, numa base regular e quotidiana, pelos elementos do seu corpo redactorial.
  6. O Corvo dá, tendencialmente, cobertura a assuntos que tenham um interesse o mais abrangente possível para a comunidade.
  7. O Corvo pauta a sua prática jornalística pela utilização de uma linguagem cuidada e que cumpre as regras do português, o equilíbrio das posições expostas e o uso do princípio do contraditório.
  8. A identificação das fontes é regra d’O Corvo.
  9. O Corvo rejeita o tratamento discriminatório das pessoas em função da sua cor, raça, credo, nacionalidade, sexo, orientação sexual ou idade.
  10. O Corvo assume as responsabilidades pelo que publica e tenta rectificá-lo de pronto, caso se verifique ser falso ou inexacto.

——————————————————————————————————–

Redacção

Samuel Alemão

Nascido em 1973, sempre trabalhou como jornalista. Licenciado em Ciências da Comunicação, foi correspondente do PÚBLICO nos municípios de Loures, Odivelas e Mafra, entre 1998 e 2001. Passou os três anos seguintes n’ A Capital, onde acompanhou as áreas de política, informação local e sociedade. Desde 2004, exerce em regime freelancer, tendo sido colaborador permanente da Revista de Vinhos, entre Março de 2006 e Outubro de 2013. Escreveu para a Grande Reportagem e, depois, para a Notícias Sábado (DN e JN). Foi editor do projecto Migalhas – Cultura à Mesa, entre 2009 e 2011.

 

Sofia Cristino

Natural de Vila Real, abandonou a terra-natal aos 17 anos para perseguir o sonho de ser jornalista. Licenciou-se em Ciências da Comunicação pela Universidade do Porto e começou a trabalhar como jornalista em 2011, na rádio M80-Vila Real e, no mesmo ano, na Rádio Voz do Marão. No final de 2012, decidiu ir viver para Lisboa, onde realizou um estágio na Rádio Renascença e concluiu um mestrado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Em 2014 abraçou a oportunidade de ser correspondente de Vila Real do jornal Público, onde colaborou essencialmente na secção “local”, tendo realizado ainda artigos nas áreas de sociedade, política, cultura, saúde e desporto, durante um ano. Nesse ano, colaborou, também, com outras publicações locais em regime freelancer. Voltou para Lisboa em 2015, onde trabalhou nas revistas Ambitur, Ambientemagazine, Mais Superior e Mais Educativa. A par destas experiências profissionais, fez parte da fundação de uma revista na área do turismo e lifestyle, a Portugal 360. Desde fevereiro colabora com o jornal O Corvo.

 

Pedro Arede

Nascido em 1988, iniciou a atividade de jornalista em 2009, no semanário Vida Económica. Nesse mesmo ano, começa a escrever no portal noticioso do MSN Portugal, onde colaborou nas áreas da política, internacional, cultura e tecnologia. A partir de 2012, juntou-se à equipa fundadora do portal de tecnologia da Multimédia com Todos, onde ganhou o gosto pelo vídeo e por estar à frente da câmara. Em 2014, envereda por uma nova experiência de produção de conteúdos, na área do E-learning, na SABE Online. Paralelamente a este percurso, partilha a paixão pelo jornalismo com a do desporto, sendo também atleta de alta competição na modalidade de esgrima, desde 2005.

 

Álvaro Filho

Álvaro Filho é jornalista e escritor brasileiro. Em 20 anos de profissão, colaborou com diversas publicações, entre elas o Jornal do Commercio, a Folha de S.Paulo e a Revista Placar. Foi comentarista esportivo da SporTV e da rádio CBN, além de ter sido editor de portais na Rede Globo Nordeste e no Sistema Jornal do Commercio. Cobriu as Copas da França, Alemanha e Brasil, e a Olimpíada de Atenas. É autor de cinco livros, entre eles os romances “Jornalismo para Iniciantes“, “O Diário de Viagem do Sr. A.” e “Curso de Escrita de Romance – nível 2“. Vive em Lisboa, onde cursa doutoramento em Ciências da Comunicação.


–––––––––––––––––––––——————————————————-

Fotografia

Paula Ferreira

Nasceu em Lisboa, começou a fotografar aos 12 anos com a máquina do pai, uma Voigtlander Vitrona 35mm. Aos 15 anos, ofereceram-lhe uma Nikkormat EL com uma lente macro e, dez anos depois, comprou numa casa de penhores, ao Camões, uma Leica III de 1953 e fez o seu primeiro corpo de trabalho a preto e branco. Acabou o curso de formação artística das Belas Artes de Lisboa, em 1973, e em 74 partiu para Bruxelas, onde passou a frequentar diariamente a Cinémathèque, via todas as exposições de fotografia e perdia-se nas livrarias de arte. Daí nasceu a ideia de abrir uma livraria em Lisboa, nas Escadinhas do Duque. Começou por se chamar Mundo da Banda Desenhada (MBD), mais tarde rebaptizada Op (opticidade: tudo o que é favorável aos olhos), que se dedicava à venda de livros e revistas importados de arte contemporânea. Fechou em 1987.

 

Luísa Ferreira

Luísa Ferreira nasceu em Lisboa, em 1961. Trocou o curso de Geografia pela fotografia, em meados dos anos 1980. Integrou a equipa de fotojornalistas fundadores do jornal diário PÚBLICO, em 1989. Interrompeu a actividade diária de fotojornalista em 1998, após dois anos na agência noticiosa norte-americana Associated Press. Expõe individualmente com regularidade, desde 1989. Mestrado em Design e Cultura Visual, área de especialização Estudos de Fotografia, ESD.

www.luisaferreira.com
luisaferreiraphotography.blogspot.com

 

Líbia Florentino

Líbia Florentino é fotógrafa brasileira, formada em Comunicação Digital e atuou no foto-jornalismo nos últimos 5 anos com trabalhos publicados no Portal de notícias LeiaJá. Cobriu a Copa das Confederações 2013, Copa do mundo 2014, UFC 2014, acompanhou eventos políticos com a presidenta brasileira Dilma Roussef e colabora para agência de imagens Brazil Photo Press em coberturas internacionais. Atualmente vive em Lisboa.
libiaflorentino.carbonmade.com/

–––––—————————————————————————————–

Ilustração

Sofia Morais

Nasceu no coração da grande cidade no ano de 1979 e, embora tenha crescido muito perto dela, foi só quando entrou na Faculdade de Belas Artes que pôde conhecer de perto as suas ruas, a sua luz, o seu modo de estar. Hoje, essa cidade é aquela que escolheu para viver – Lisboa. Nela é,  desde 2004, designer gráfica como ganha pão. Nela é, desde sempre, ilustradora de coração.
cargocollective.com/sofiamorais

 

 

——————————————————————————————————

Agenda

Susana Simplício

Vive e trabalha em Lisboa, cidade onde nasceu, em 1981. Licenciada em Artes Plásticas pela Escola Superior de Artes e Design de Caldas da Rainha e mestre em Comunicação, Cultura e Tecnologias da Informação pelo ISCTE – IUL. O seu percurso profissional passa por áreas tais como de relações públicas, organização de eventos, promoção, produção e divulgação cultural. Colabora, também, com o Rosa Maria – Jornal da Mouraria desde 2013. Trabalha actualmente na Associação Renovar a Mouraria, como gestora de projectos.

www.susana-simplicio.com

––––––––––––––––––––––––————————————-

Design gráfico

Alexandre Neves

Nasceu em Lisboa no ano de 1984. Concluiu o mestrado em Design de Comunicação na Faculdade de Arquitectura de Lisboa em 2011. Trabalhou no ano seguinte em S.Paulo, Brasil, no Rico Lins +Studio e agora está de volta à sua cidade a trabalhar como freelancer.
cargocollective.com/alexneves/

 

——————————————————————————————————–

 

Ficha Técnica

Fundadores: Fernanda Machado Ribeiro, Francisco Xavier Neves e Samuel Alemão

Proprietário: O Corvinho do Sítio de Lisboa, Lda.

Morada: Rua do Loreto, 13 – 1º Dto., Lisboa

Número de Registo na E.R.C.: 126586

Director: Samuel Alemão

Periodicidade: diária

Sede da Redacção: Rua do Loreto, 13 – 1º Dto., Lisboa

Editor: Samuel Alemão

Rua do Loreto, 13 – 1º Dto., Lisboa

Os Comentários estão encerrados.