Espaço reduzido no passeio da Av. da Igreja

por • 27 Junho, 2016 • Dicas & Bicadas, Segunda ChamadaComentários (14)1091

A Avenida da Igreja, em Alvalade, é uma das mais movimentadas de Lisboa. Maioritariamente habitacional, tem tudo ali à volta: lojas, comércio tradicional, restauração, serviços, um importante mercado municipal, transportes (metropolitano e autocarros), escolas, salas de cinema e um engraxador de rua que se mantém firme no seu posto de trabalho, instalado entre a paragem de autocarro e a esplanada de um franchising recentemente inaugurado. O passeio largo por onde diariamente passam milhares de transeuntes tornou-se estreito, ao ponto de só ser possível a passagem à vez.

 

Texto e Fotografia: Paula Ferreira

 

Pin It

Textos Relacionados

14 Responses to Espaço reduzido no passeio da Av. da Igreja

  1. Tuga News Tuga News diz:

    [O Corvo] Espaço reduzido no passeio da Av. da Igreja https://t.co/gXDaCJqDan #lisboa

  2. Please…. Estreito? Este texto serve o que? A CML que tem um projecto que tem a total oposição dos comerciantes e dos habitantes do bairro?

  3. Um pouco estanha esta “notícia”. Parece incompleta

  4. Maria diz:

    Que estupidez de notícia!

  5. B.A diz:

    Não acho nada estranho, é apenas um exemplo entre tantos e acho bem que alguém fale deles. Parece que estamos tão habituados a conviver alegremente com passeios que servem para tudo menos para trânsito pedonal que já achamos tudo normal. Temos o país que merecemos, realmente!

  6. Não percebo esta “pseudo” noticia… quem é que se queixa? O engraxador?

  7. José diz:

    ALGUEM DEVE TER TIDO A IDEIA,com esta noticia, PARA ACABAR, COM AS ESPLANADAS.

  8. Francisco diz:

    Os passeios são (ou deveriam ser) espaços públicos para deslocação de peões. Infelizmente, cada vez mais são usados para tudo. Por incrivel que parece há passeios (onde dois peões não conseguem ir lado a lado e que servem para mesas de restaurantes. Acontece o cúmulo dos restaurantes ocuparem o passeio que fica do outro lado da estrada. Infelizmente o sentido crítico e cívico da maioria das pessoas parece estar em segundo lugar de prioridades logo a seguir ao interesse económico.
    A que serve esta notícia, perguntaram várias vozes “distraídas”. Serve todos os peões desta cidade. Serve todos os habitantes que merecem qualidade de vida e dignidade. Não serve, certamente interesses de comerciantes com poucos escrúpulos.

  9. como diz a conceição cruz é uma pseudo-notícia. então e as outras esplanadas? algumas com 30 anos, outras com 2 ou 3? mais importante que isso, então e os carros em segunda fila, nos dois sentidos, que impedem os autocarros de circular normalmente, que retiram visibilidade aos peões que pretendem atravessar a avenida? E se há espaço para segunda fila (e por vezes terceira!) então há espaço para alargar os passeios.
    outro ponto importante: antes existiam dois autocarros a servir a av da igreja, agora existe apenas um, menos acessibilidade é isto, é nem ter como lá chegar.
    é bom saber que a paula ferreira anda a pé na avenida da igreja, é pena é ter produzido uma visão sobre este assunto tão estreita quanto a passagem entre o engraxador e a esplanada.

  10. Bruno Viegas diz:

    Estreito? O passeio chega perfeitamente para a circulação pedonal da avenida.

  11. Vasco diz:

    No eixo central andavam todos a
    criticar por andarem a alargar passeios. Aqui queixam-se que os passeios são estreitos…

  12. Duarte Figueira diz:

    É anárquico, o licenciamento de esplanadas por TODA a Lisboa!
    Dou somente um exemplo:
    Av. Julio Diniz
    As floreiras centrais da Av. têm uns muros baixos que permitiam a sua utilização como bancos.
    Quase todas estas floreiras fora invadidas por esplanadas, impedindo o acesso aos ditos locais para um breve descanso ou lazer!
    Agora:
    QUEM QUIZER SENTAR-SE, resta-lhe as esplanadas.
    €€€€€€€€€€€€€€€€€€
    = INACEITÁVEL, só quem paga é que tem direito a sentar-se!