Carnide volta a ganhar Orçamento Participativo, desta vez com três projectos

por • 28 Novembro, 2017 • Actualidade, BAIRROS, Carnide, SlideshowComentários (0)1841

Carnide foi a grande vencedora do Orçamento Participativo de Lisboa de 2017. A criação do Pólo Cultural de Carnide acabou por ser o projecto mais votado desta edição, na categoria de Projectos Estruturantes – a qual, no seu conjunto, distribuirá um 1,5 milhões de euros. A ideia terá, por isso, à sua disposição uma verba de 500 mil euros. A freguesia viu ainda mais duas propostas serem aprovadas, pelos 37.673 votos coligidos nesta edição, na categoria de projectos locais: a criação da Casa das Artes de Carnide e a construção de um parque infantil no Bairro Horta Nova. Os vencedores da décima edição do OP Lisboa foram anunciados, ao final da tarde de segunda-feira (27 de novembro), no salão nobre dos Paços do Concelho.

 

Rita Martins, vice-presidente do Teatro de Carnide, responsável pela proposta do Pólo Cultural, explica, em declarações a O Corvo, que a ideia de criar o espaço resulta de “uma série de vontades de entidades culturais que já existem na freguesia de Carnide”. “O Teatro de Carnide tem já uma longa tradição de apoiar criadores emergentes e jovens, que fazem a sua formação e procuram espaços para apresentarem os seus projectos. Ter um novo espaço será uma mais-valia para eles, como para outros criadores, inclusive artistas internacionais, que queiram apresentar as suas propostas. Assim, poderão nascer novos projectos e mais cultura”, explica.

 

“Temos muitos pedidos de acolhimentos, não só de portugueses, e não temos forma de responder. Foi essa falta de resposta que deu origem a esta proposta. Precisamos de um espaço novo, com outras condições. O Teatro de Carnide só tem uma sala e é difícil acolher muitos projectos. Quase todas as semanas rejeitamos propostas por não termos espaço para as acolher”, revela, ainda.

 

“Já andamos nesta luta há dois anos. A ideia é criar um pólo cultural, gerido pelo Teatro de Carnide, aberto à comunidade e que, de alguma forma, contribua para que a comunidade e as diversas entidades culturais funcionem de uma forma mais articulada em colaboração com a Junta de Freguesia de Carnide. A freguesia de Carnide já é uma referência a nível cultural na cidade de Lisboa. É uma vitória de um colectivo que é maior do que eu imaginava”, considera.

 

A segunda ideia mais votada do OP, a colocação de uma peça de arte denominada “Portugal em Lisboa, Turismo e Criatividade”, angariou 4.114 votos e receberá 93 mil euros para a sua execução. Pretende-se que seja colocada uma peça de arte pública no espaço urbano da capital portuguesa com a palavra “Lisboa”, na qual cada letra simbolizará uma dimensão cultural relacionada com Lisboa e Portugal.

 

Ainda nesta categoria, a dos projectos considerados estruturantes, venceu também o projecto 109, que consiste na aquisição de uma ambulância e equipamento de emergência veterinária para socorro animal. Esta ideia recolheu 2.504 votos e terá uma verba de 150 mil euros para a sua concretização. A última das propostas inseridas nesta categoria, a requalificação da piscina do Regimento de Sapadores Bombeiros de Lisboa, em Alvalade, contará com 500 mil euros, depois ter recebido 1.418 votos dos cidadãos que se interessam pela capital portuguesa.

 

Na categoria de Projectos Locais, que disponibiliza verbas até 150 mil euros para cada ideia, foram atribuídos 11 prémios, distribuídos pelas cinco unidades de intervenção territorial de Lisboa (centro histórico, centro, oriental, ocidental e norte). No centro histórico, ganhou o “Circuito de cinco corridas no centro histórico de Lisboa” e o “Memorial às vítimas da escravatura”. Na zona centro, os vencedores foram a “Requalificação da escola básica de São Sebastião”, o “Melhoramento do espaço público e dinamização do comércio local em Entrecampos” e o “Melhoramentos dos passeios em Campolide”.

 

Na zona norte, os dois projectos vencedores pertencem a Carnide: a “Construção de um parque infantil no Bairro da Horta Nova” e a “Criação da Casa das Artes de Carnide”. Na zona ocidental, ganhou a “Requalificação do Lavadouro da Ajuda para ser um espaço cultural” e a “Instalação de um pontão para barcos a remo na doca de Santo Amaro”. Na zona oriental, venceram o “Centro comunitário no Parque das Nações” e a “Criação de uma rádio escolar nas escolas dos Olivais”.

 

O 10º orçamento participativo da Câmara de Lisboa recebeu 434 propostas, menos 100 do que no ano passado, tendo sido submetidas a votação 128 submetidas. O presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina (PS), salientou a importância deste tipo de iniciativas para um maior envolvimento do cidadão, fazendo-o sentir que pode fazer parte das melhorias da cidade. Explicou, ainda, que estes projectos podem servir de “radar” para alertar para os problemas da cidade de que a autarquia possa não ter conhecimento.

 

“O Orçamento Participativo não é hoje um instrumento só para realizar um projeto ou outro, transformou-se numa grande força de mobilização da cidade, uma força imparável. É a vontade dos cidadãos que nos aponta caminhos de mudança”, afirmou, ao final da tarde de segunda-feira (27 de Novembro), na divulgação dos projectos vencedores. “Lisboa é a primeira capital europeia que tem Orçamento Participativo desta dimensão e é um grande orgulho irmos já na décima edição. Termos mais de 72 mil candidaturas em dez anos diz muito sobre a força do OP na transformação da cidade”, disse.

 

Fernando Medina aproveitou, ainda, para recordar projectos vencedores de edições passadas e lembrar como os mesmos transformaram a vida de muitas pessoas e da cidade de Lisboa. “A criação de um jardim no Caracol da Penha de França, um dos projectos vencedores do ano passado, é um exemplo de que ganham força as ideias que hoje fazem parte da política de desenvolvimento da cidade. Aquela zona, durante vinte anos, não teve utilização”, disse, referindo-se ao terreno baldio onde irá surgir um novo espaço verde.

 

No total, a autarquia de Lisboa disponibiliza 2,5 milhões de euros para concretizar as ideias propostas pelos cidadãos da capital. Ao longo dos 10 anos de OP, foram apresentadas mais de 62 mil candidaturas, que resultaram em 7.500 propostas e 105 projectos vencedores.

 

Texto: Sofia Cristino

 

Pin It

Textos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *